Atlas V 401

Foguete da mais leve United Launch Alliance com coifa de 4 metros

O foguete Atlas V 401 aproveita a concepção modular adotada para os motores auxiliares de propelente sólido da  família “Atlas V” da ULA (United Launch Alliance) que permite entre nenhum e cinco motores (três para a série 400) a serem anexados ao foguete para dimensionar o foguete  especificamente para os requisitos da carga útil a ser colocada  em órbita. A configuração do 401 tem dois estágios, um Common Core Booster e um Centaur Upper Stage. O Centaur pode fazer ignições  múltiplas para colocar  cargas úteis em uma variedade de órbitas, incluindo órbita terrestre baixa, órbita de transferência geoestacionária e órbita geoestacionária, bem como trajetórias de escape (interplanetárias).

O foguete nesta configuração pesa aproximadamente 340 toneladas, dependendo da missão.

A joint venture United Launch Alliance foi formada pelas Lockheed Martin e a Boeing, que fundiram seus programas de lançamento em 2006.

Cada versão do Atlas V tem um código de identificação de três dígitos:

  • Primeiro dígito: Diâmetro da carenagem de cabeça: 4xx – 4m de diâmetro; 5xx – 5,4 m de diâmetro
  • segundo dígito: número de boosters de propelentes sólidos (0-5)
  • terceiro dígito: número de motores tipo RL-10A no estágio Centauro (um ou dois)

Então, o Atlas V 401 é assim denominado por ser um Atlas V – a mais recente versão do foguete histórico cujas raízes estão nos primeiros projetos de mísseis intercontinentais dos EUA – com uma coifa de carga útil de 4,1 metros de diâmetro (o “4”), nenhum foguete auxiliar (o “zero”) – também chamado booster – preso ao primeiro estágio; e apenas um motor RL-10 ( o “1”) no segundo estágio Centaur (Centauro).

O “núcleo” Common Core Booster (‘core’ CCB) do primeiro estágio desse Atlas V tem 3,81 m de diâmetro e 32,5 m de comprimento. Os tanques   são estruturalmente estáveis ​​e construídos de barris de alumínio com reforço isogrid (uma malha quadriculada usinada no painel curvo), domos de alumínio formadas por conformação por rotação e ‘saias’ intertanques. A superfície anodizada inicial do estágio de foguete é prateada, mas depois recebe um revestimento Tiodize de cor bronze no topo. Esta varia um pouco de cor e fica mais bronzeada dependendo da exposição ao sol. A propulsão do Atlas é feita pelo  motor RD-180 (  motor único com duas câmaras de combustão). O RD-180 queima RP-1 (Rocket Propelant-1 ou querosene altamente purificado) e oxigênio líquido e produz  390,551 kgf de empuxo ao nível do mar.

Processamento do foguete

O Atlas V é controlado pelo sistema aviônico do Centauro, que faz a orientação, controle de vôo e funções de separação dos estágios durante as fases de vôo.

Entre o CCB e o estágio Centauro está o interestágio Interstage-Adapter ISA-400, construído pela RUAG Aerospace da Alemanha, uma estrutura composta que conecta o estágio principal e o estágio superior.

O segundo estágio   Centauro (“Centaur Upper Stage”) tem 3 metros de diâmetro e 12,6 m de comprimento. Seus tanques de propelente são construídos em aço inoxidável estabilizado por pressurização e resistente à corrosão. Centauro é um estágio criogênico movido a hidrogênio / oxigênio líquidos. Usa um único motor RL10C-1-1 produzindo 10,809 kgf de empuxo. Os tanques criogênicos são isolados com uma combinação de mantas de isolamento purgadas com hélio, escudos térmicos por irradiação e isolamento de espuma spray-on (SOFI). O adaptador avançado Centaur (CFA) tem as montagens estruturais para o sistema aviônico tolerante a falhas e as interfaces estruturais e eletrônicas com a espaçonave a ser lançada.

Coifas

Coifas de 4 metros LPF, EPF e XEPF.

O foguete Atlas V 401 possui carenagens de cabeça com um diâmetro de 4,2 metros. Estão disponíveis quatro comprimentos diferentes: 12,2, 13,05 e 14,09 metros. As principais seções dessas carenagens são a cauda, a seção cilíndrica e o cone do nariz que é encimado por uma calota esférica. Ambas as seções da carenagem e da cauda consistem em longarinas, paineis de alumínio e conchas de fixação.

A carenagem é separada por parafusos pirotécnicos e atuadores de ejeção de mola que empurram as duas metades uma da outra. As carenagens de carga útil são equipadas com painéis acústicos, portas de acesso e janelas de radiofrequencia. O conjunto opcional da carenagem inclui escudos térmicos e portas de controle ambiental. Além disso, a carenagem é conectada a um sistema de purga de ar para garantir um ambiente controlado.

A carenagem de carga extra estendida (XEPF) tem 4 m de diâmetro e 13.8 metros de comprimento. A XEPF, como as outras, é uma carenagem bissetriz (de duas peças). A altura do foguete com a XEPF é de aproximadamente 59,1 m.

Publicidade
%d blogueiros gostam disto: