A Shortfall of Gravitas

Terceira barca-drone operacional da SpaceX para recuperação de foguetes

A Shortfall of Gravitas

As barcas-drone (ASDS) são embarcações autônomas capazes de posicionamento de precisão, originalmente declarado dentro de 3 metros mesmo em condições de tempestade, usando informações de posição de GPS e quatro propulsores azimutais movidos a diesel. Além do modo de operação autônomo, os navios também podem ser controlados teleroboticamente. Os propulsores azimutais são unidades de propulsão externa com motorização hidráulica com unidades modulares de acionamento diesel-hidráulico fabricadas pela Thrustmaster, um fornecedor de equipamentos marítimos do Texas. O foguete em retorno não deve apenas pousar dentro dos limites da superfície do convés, mas também lidar com as ondas do oceano e erros de GPS. A SpaceX equipa os navios com uma variedade de sensores e tecnologia de medição para coletar dados sobre o retorno do ‘booster’ e tentativas de pouso, incluindo câmeras GoPro comerciais disponiveis no mercado.

No centro das plataformas de pouso das barcas-drone está um círculo que envolve o “X” estilizado da SpaceX em um ponto de pouso que marca X no local.

A mais nova droneship (barca-drone) da SpaceX, A Shortfall of Gravitas, foi montada na Louisiana. A ASOG – construída sobre um casco MARMAC 302 pela Bollinger – deixou Port Fourchon, Louisiana. A estrutura de aço e camada anti-chama do convés principal, blindagem contra incêndio e fragmentos, além de cabines de equipamento eletrônicos foram montadas no casco principal da barcaça MARMAC 302. Foi feitas instalações de geradores de eletricidade, ajustes na cablagem eletrônica, instalação dos periféricos dos motores, tanques de combustível e os controles de navegabilidade.

Como os outros dois navios-drone, a ASOG é nomeada em homenagem ao trabalho do falecido autor de ficção científica Iain M. Banks. A inspiração é a nave fictícia “Experiencing A Significant Gravitas Shortfall”, enquanto as outras duas naves também recebem nomes de embarcações mencionadas nos romances “Culture” de Banks. A Shortfall of Gravitas substituirá o papel do antigo navio drone (droneship) Of Course I Still Love You , que trabalha nos lançamentos do Atlântico desde 2015. Este mês, ela foi transferida para a costa do Pacífico em um mês – um longa jornada começando em 10 de junho. A SpaceX está acelerando o lançamento de seus satélites Starlink da Califórnia, exigindo mais suporte para navios drones para capturar os estágios reutilizáveis ​​de seus foguetes. Enquanto isso, a ASOG trabalhará no Atlântico ao lado de outra barca, Just Read the Instructions, que se mudou para Port Canaveral do Porto de Los Angeles em 2019. Supõe-se que os droneships podem trabalhar juntos para receber boosters laterais reutilizáveis ​​de próximos lançamentos.

Os dois outros navios-drone da SpaceX, Just Read the Instructions (JRTI) e Of Course I Still Love You (OCISLY), são ambos também construídos sobre barcaças Marmac, tipo 303 e 304. Ambas têm o mesmo projeto e construção. Elon Musk já confirmou que a droneship ASOG servirá para pousos do foguete Falcon 9 e foi ainda confirmado quando um terceiro robô Octagrabber (usado para fixação do estágio após o pouso) foi visto em construção nas instalações da SpaceX em Cidco Road, na Flórida.  O design da nova barca é semelhante ao da Just Read the Instructions , que recebeu sua própria atualização em 2020, porém com um convés de pouso alargado.

Elon Musk revelou a nova plataforma de pouso de foguete no Twitter junto com um vídeo dramático feito por um drone circulando o navio. “[O] navio-robô autonômo da SpaceX, A Shortfall of Gravitas”, Musk escreveu sucintamente no post . “O navio drone é totalmente automatizado, sem necessidade de rebocador para levá-lo ao Oceano Atlântico próximo ao local de lançamento usual da SpaceX no Kennedy Space Center.”

A mesma empresa contratada para modificar a ASOG já trabalhou no Ms Tree e também foi responsável pela instalação de um heliporto e outros equipamentos no navio de recuperação GO Navigator em suas instalações em Fourchon.

Imagens capturadas pelo satélite Sentinel-2A mostraram que a grande barcaça de proporções corretas foi atracada no estaleiro Fourchon da Bollinger já em janeiro de 2021.

Marmac 302 em Port Fourchon. Imagem © Sentinel Hub

No site da Bollinger descobriu-se uma série de imagens tiradas em 21 de janeiro passado, que incluiu fotografias aéreas e das docas. Uma foto comprovou que a barcaça vista nas imagens de satélite era a Marmac 302 e a foto aérea deu sua localização exata no estaleiro. A barcaça não estava ainda modificada visualmente nesta fase e em condição de pré-contrato.

Visão aérea do estaleiro Bollinger em 21 de janeiro, combinando as imagens de satélite do mesmo dia. – Estaleiro Bollinger
Nome Marmac 302 claramente visível na lateral da barcaça em Port Fourchon. As embarcações circundantes correspondem às imagens aéreas e de satélite. – Estaleiro Bollinger

Em 14 de abril, a MARMAC 302 foi movida entre duas docas secas flutuantes. Em uma foto do solo vista por SpaceXFleet.com após esta data, a 302 foi vista com um andaime ao redor do casco.

Marmac 302 mudou-se para uma doca seca flutuante. Imagem © Sentinel Hub. https://www.sentinel-hub.com/

As imagens de satélite confirmaram que, em algum momento antes de 7 março, a MARMAC 302 foi transferida novamente para uma vaga nas proximidades.

Com a construção do robô Octagrabber da ASOG em andamento na Flórida, preve-se que a ASOG será estacionada em Port Canaveral, deslocando as OCISLY ou JRTI para as operações do Oceano Pacífico, onde a SpaceX acaba de alugar uma nova instalação de recuperação no Porto de Long Beach, Califórnia.

%d bloggers like this: