China lança 14 novos satélites

Longa Marcha 2D Y71 decolou de Taiyuan

Foguete decolando de Taiyuan

A China lançou hoje, 15 de janeiro de 2023, com sucesso o foguete Longa Marcha-2D número de série Y71 no domingo, enviando quatorze satélites ao espaço. O foguete decolou do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan, na província de Shanxi, norte do país, às 11h14 horário de Pequim (03:14UTC ou 00:14 Brasília). Os satélites, incluindo os Qilu-2 e Qilu-3, entraram na órbita inicial planejada de 488 km por 504 km, inclinada em 97.37° (mais tarde os parãmetros foram descritos como 482 x 496 km, período de 94.39 minutos e inclinação de 97.38°. Este lançamento é o 74º do foguete transportador Longa Marcha 2D, o 182º da série Longa Marcha de foguetes desenvolvidos pela Oitava Academia e o 462º lançamento da série em geral.

Painéis de isaolamento térmico se solta como planejado durante o início da subida

Esta missão enfrentou condições climáticas mais frias do ano no Centro de Lançamento Taiyuan; especialmente quando a data de lançamento se aproximava, a neve e a queda acentuada da temperatura foram um teste severo para o lançamento. Para garantir a execução da tarefa, a equipe organizou vários sistemas para realizar “preparação dupla” e checagens para encontrar elos fracos, adotando medidas para aumentar a proteção de equipamentos ao ar livre, adicionar isolamento ao compartimento dos motores fornecer ar na carenagem, aquecer os motores e aumentar a temperatura inicial do propelente. Isso foi feito retardando a retirada dos dutos de suprimento de ar vindos da plataforma antes do tiro e fazendo um plano de pré-tiro para garantir a funcionalidade do equipamento.

Satélites

A campanha de lançamento adotou o estilo “quatorze estrelas com uma flecha” (estrela = satélite, flecha = foguete); a (confusa) lista de espaçonaves inclui os:

Lista divulgada na internet dos satélites a bordo

Qilu-2 齐鲁二号, Qilu-3 齐鲁三号, Jinzijing-3 金紫荆三号, Jinzijing-4 金紫荆四号 e Jinzijing-6 金紫荆六号; Beiyou-1 北邮一号, Luojia-3 01 (Yantai-1) 珞珈三号01(烟台一号), Tianzhi-2D (Rizhao-3) 天智二号D (日照三号); Jilin-1 Gaofen 03A34 吉林一号高分03D34; Jilin-1 Mofang 02A03 吉林一号魔方02A03, Jilin-1 Mofang 02A04 吉林一号魔方02A04, Jilin-1 Mofang 02A07(Huashui-1) 吉林一号魔方02A07(华水一号), Jilin-1 Hongwai 02A03 (Wo Fu Man), 吉林一号红外A07(沃福曼号) e Jilin-1 Hongwai 02A03 (Haihe-1) 吉林一号红外A08(海河一号).

Um dos satélites foi identificado como “BUPT 1” e é um veículo teste/demonstrador de comunicações da Universidade de Correios e Telecomunicações de Pequim.

Jinzijing “Bauhinia Dourado 3”, Jinzijing “Bauhinia Dourado 4” e Jinzijing “Bauhinia Dourado 6” – Satélites do Grupo de Tecnologia Aeroespacial de Hong Kong para uma constelação de 165 unidades de sensoriamento remoto LEO equipados com sensores ópticos e de radar.

Jilin-1 de alta resolução 3D 34 (Jilin-1 GF3D 34) – Satélite de imagem multiespectral de alta resolução.

Jilin-1 MF02, Jilin-1 MF03 e Jilin-1 MF04 – Satélites de imageamento.

Luojia-3 01 (Shuangqing 1) – Pequeno satélite equipado com um sistema de imagem e um sistema de processamento inteligente para preparar os dados antes da transmissão ao solo. Também equipado com um sistema de comunicação (provavelmente a laser) para fornecer links para outros satélites.

Dois dos satélites colocados no adaptador do segundo estágio

Qilu 2 e Qilu 3 – Pequenos satélites equipados com um sistema de imageamento da Terra. Também carrega um sistema de comunicação a laser para links de satélite para satélite com o Qilu 1 lançado anteriormente.

Tianzhi 2 (Rizhao-3) – Satélite definido por software da Academia Chinesa de Ciências, carregando um sistema de imagem. O software é capaz de modificar a forma como o sistema opera e processar os dados a bordo antes de transmiti-los ao solo.

Jilin-1 Hongwai A08, também chamado TJ Hai He 01 – Satélite pequeno com um detector infravermelho, não claro se é para observação da Terra ou para astronomia.

Jilin-1 Hongwai A07, também chamado Wo Fu Man 01 – Satélite pequeno com um detector infravermelho – não ficou claro se é para observação da Terra ou para astronomia.

Esquema da estrutura do Longa Marcha usado neste voo

Esta missão foi usada para experimentar o modo de lançamento comercial “de carona” do foguete CZ-2D. Os 14 satélites vieram de sete unidades de pesquisa e desenvolvimento. De acordo com os vários requisitos de interface propostos por diferentes cientes, como montagem vertical, lateral e o formato dos satélites , o modelo foi adaptado. A carenagem foi adaptada para dar um jogo completo às vantagens de uma variedade de opções de montagem, e o recém-desenvolvido pequeno adaptador de satélite universal tipo ESPA possibilitou uma configuração combinada de multi-satélite em série, paralelos e montado na lateral, que resolveu o problema de configuração e layout do foguete. A filiosofia deu uma solução generalizada para lançamentos de grupos de satélites , encurtou o ciclo de projeto e produção, “com o intuito de responder rapidamente e atender à demanda cada vez mais vigorosa de micro e nano satélites” – anunciou a mídia oficial chinesa.

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

E-Book espaçonave Crew Dragon

E-book Balsas-drone da SpaceX

Publicidade

Autor: homemdoespacobrasil

Astronautics

%d blogueiros gostam disto: