China lança mais três satélites de sensoriamento

Longa Marcha 2D com os Yaogan-36 03 A,B e C decolou de Xichang

Longa Marcha CZ-2D n° Y89 decola de Xichang

Às 20h23 de 27 de novembro de 2022 hora de Pequim (08:23 Brasília), a China lançou um foguete Longa Marcha 2D n° Y89 do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang, que colocou três satélites, os Yaogan-36 03A(遥感三十六号03A), Yaogan-36 03B(遥感三十六号03B) e Yaogan-36 03C (遥感三十六号03C) na órbita predeterminada de 615 km × 619 km, inclinada em 97,8 °. Dois dos satélites foram construídos pela CAST e o terceiro pela SAST. Uma ‘vela’ de arrasto para forçar a saída de órbita está instalada no adaptador de carga útil do segundo estágio do foguete.

Os satélites de sensoriamento Yaogan 36, possivelmente de inteligência eletrônica, adotam um design de configuração de plataforma integrada que usa uma treliça como principal estrutura de suporte, o que reduz efetivamente o peso e ao mesmo tempo reduz seu tamanho. Por meio de um design modular e integrado, a carga é totalmente incorporada na configuração e no layout e o caminho mais curto entre o dispositivo de controle de atitude e a carga é realizado sob a premissa de atender aos requisitos de interface de instalação de precisão e estabilidade de sensores estelares e outros, melhorando o desempenho em órbita. É uma plataforma de satélite leve, pequena, de alta agilidade e alta estabilidade construída pela Oitava Academia da Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial. Além disso, o sistema de comunicação adota um design integrado, que otimiza e medição e controle, transmissão de dados e processamento em tempo real. Possui as características de multilink, alta integração, forte poder de computação e alta velocidade.

Seção de cabeça do foguete antes de ser içada para instalação sobre o segundo estágio

O foguete CZ-2D número Y89 completou com sucesso o lançamento no estilo “uma flecha e três estrelas” (segundo os chineses, quando um foguete – a ‘flecha’ – lança três satélites -as ‘estrelas’ ao mesmo tempo). Este voo foi o 176º lançamento da série de modelos de Longa Marcha desenvolvidos especificamente pela Oitava Academia, e também o 451º da série Longa Marcha em geral.

Os satélites Yaogan (遥感卫星; Yáogan Wèixing – satélite de detecção remota’) são conhecidos por dar suporte principalmente a Força de Apoio Estratégico do Exército de Libertação do Povo (PLASSF), anteriormente o Aerospace Reconnaissance Bureau do Segundo Departamento do Estado-Maior. Os satélites são o programa sucessor do programa de reconhecimento recuperável Fanhui Shi Weixing ( FSW ), mas, ao contrário de seu antecessor, inclui uma variedade de classes utilizando vários meios de sensoriamento remoto, como reconhecimento óptico, radar de abertura sintética ( SAR ) e inteligência eletrônica (ELINT) para vigilância marítima. Os satélites Yaogan são lançados do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan (TSLC) na província de Shanxi, do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan (JSLC) na Região Autônoma da Mongólia Interior e do Xichang Satellite Launch Center (XSLC) na província de Sichuan.

Bloco do primeiro estágio do foguete-lançador

Embora os satélites Yaogan individuais sejam muitas vezes referidos pelo seu número, os satélites de reconhecimento militar chinês são tipicamente categorizados pela sua designação Jianbing. Jianbing (尖兵) se traduz em “soldado de ponta”, “de vanguarda ” ou “pioneiro ” e entrou em uso em designações da primeira série de satélites de reconhecimento da China, FSW-0, como a série Jianbing-1. O primeiro satélite Yaogan, Yaogan 1, foi um dos três satélites da série Jianbing-5 (JB-5) após o FSW-3 final. Como as designações exatas para os Jianbing são secretas e apenas os números de Yaogan são usados oficialmente, as designações Jianbing para classes posteriores ainda permanecem desconhecidas do público.

Emblema da campanha de lançamento

Desde 2022, uma equipe de pesquisa e desenvolvimento foi estabelecida em Shangai para permitir lançamentos de alta frequência e alta intensidade, cronogramas apertados e um pequeno número de funcionários. Para realizar as tarefas com eficiência, a equipe de teste usa um sistema de turnos de modo a atingir “trabalho hoje, conclusão hoje” e concluir todos os trabalhos da área técnica em uma semana. Após a conclusão o trabalho no local de lançamento, os membros da equipe se transformaram se dividem entre Pequim, Xi’an e outros lugares para realizar várias tarefas. A equipe de teste em órbita está sediada em Pequim em constante rotação de plantão para monitorar o funcionamento dos satélites.

Desde seu primeiro voo bem-sucedido em 1992, o foguete transportador Longa Marcha-2D foi lançado com sucesso setenta vezes seguidas, enviando com sucesso 171 satélites para as órbitas predeterminadas. Nos últimos anos, o sucesso em lançamentos de alta densidade se beneficiou da otimização do sistema de gerenciamento de modelos, contando com uma equipe trabalhando no chamdo regime de trabalho “seis estrito”. O layout é planejado com antecedência e o desenvolvimento das tarefas de lançamento é tratado por meio de produção em lote dos satelites, sua integração com os foguetes lançadores e seu lançamento seguindo padrões otimizados adotados na indústria chinesa.

O Longa Marcha 2 é o foguete “medalha de ouro” da China. Foi desenvolvido pela Oitava Academia – e desenhado em 1990, voando pela primeira vez em 9 de agosto de 1992. Segundo a mídia chinesa, com uma taxa de sucesso “extremamente alta”, índice de confiabilidade de 0,97 e é citado como o melhor de sua classe no mundo. Tem um empuxo de decolagem de 300 toneladas e uma capacidade de carga de 1,2 toneladas correspondente a uma órbita circular síncrona solar de 700 quilômetros; Os chineses o descrevem como de “alta confiabilidade, alta segurança, baixo custo e ciclo curto de preparação”. Ele pode ser combinado com um estágio superior para lançar “redes interorbitais multissatélite”, deste modo melhorando bastante sua capacidade de carga acima da altitude de 1.000 quilômetros.

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Publicidade

Autor: homemdoespacobrasil

Astronautics

%d blogueiros gostam disto: