China lança satélite de testes no segundo Longa Marcha 6A

Foguete colocou o Yunhai-3 em órbita para pesquisas ambientais

Longa Marcha 6A Y2 na plataforma

O foguete transportador Longa Marcha-6A n° Y2 fez seu segundo voo no sábado, 12 de novembro de 2022, do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan, no norte da Província de Shanxi. O Yunhai-3 (Yúnhǎi Sān Hào Wèixīng, 云海三号卫星) foi projetado para realizar pesquisas sobre a atmosfera, os oceanos e sobre o espaço imediatamente próximo à Terra, Também servirá para preparação e prevenção de desastres. O satélite foi colocado em uma órbita de 839,8 km x 856,4 km com inclinação de 98,82° e período de 101,89 min. A carga útil principal foi desenvolvida pelo Laboratório de Pesquisa do Ambiente Espacial do Centro Nacional de Ciências Espaciais da Academia Chinesa de Ciências.

Este voo foi o 448º para os veículos lançadores da série Longa Marcha.

Fases do voo (segundos – evento)

  • 0,0 decolagem
  • 114,5 = esgotamento dos boosters
  • 117,5 = separação dos boosters
  • 179,0 = ejeção da carenagem de cabeça
  • 238,5 = descarte do primeiro estágio
  • 240,0 = ignição do º estágio
  • 786,0 = descarte do 2º estágio
  • 886,0 = Liberação do satélite
Foto atribuída ao Yunhai-3

O CZ-6 é o primeiro veículo de lançamento de propelente sólido chinês com boosters a ser usado para lançar satélites em órbita síncrona com o sol. Relatórios oficiais de lançamento se referem ao foguete como um “CZ-6 modificado” (长征六号改), embora os caracteres latinos “CZ-6A” estejam pintados na seção interestágio superior. O processo de seu transporte e montagem na plataforma é rápido, limpo e barato. Adota uma carenagem leve com ponta de ogiva. Além disso, o menor índice de carga útil evita o desperdício de custos da capacidade do foguete. É adequado para o lançamento de vários mini-satélites, focado na competitividade comercial. Sua confiabilidade não é inferior a 0,98, ocupando o primeiro lugar entre os veículos lançadores ativos da China.

Usando uma nova plataforma no Centro de Lançamento de Taiyuan, o foguete pode ser preparado para lançamento rápido em 14 dias, atendendo aos requisitos de missões de alta densidade de satélites de órbita média e baixa.

Para garantir que a missão de lançamento seja bem-sucedida, um sistema de diagnóstico “inteligente” é configurado no primeiro estágio do foguete. Depois que o comando “ignição” é emitido, o motor é acionado primeiro e o sistema de diagnóstico de integridade entrará no modo de trabalho. Se ocorre uma avaria ou anormalidade, o sistema imediatamente implementa um desligamento automático de emergência, e os motores sólidos não são acionados.

Além disso, o foguete adota o diagnóstico de falhas on-line dos servossistemas e a tecnologia de reconstrução adaptativa pela primeira vez na China. Durante o vôo , quando um servomecanismo falha, o “cérebro” inteligente fará o autodiagnóstico e recalculará a trajetória dando instruções de controle para efetuar a correção ou abortar a missão.

O foguete básico com um peso de lançamento de 103 toneladas e uma altura de 29,3 m tem uma carga útil projetada de 1.000 kg em órbita síncrona com uma altura de 700 km. Um esquema de divisão em tandem com estágios de diferentes diâmetros. O primeiro estágio tem um diâmetro de 3,35 m e equipado com um motor de foguete YF-100 a oxigênio-querosene com empuxo de 120 tf. O segundo e terceiro estágios tem diâmetro de 2,25 metros; no segundo tem um motor YF-115 com empuxo de 18 tf e no terceiro, que desempenhava o papel estágio superior, tem motorização com empuxo de 650 kgf usando propelentes hipergólicos (Dimetilhidrazina assimétrica / tetróxido de nitragênio). A carenagem de cabeça do modelo CZ-6A é maior que a do original, com diâmetro de 4,2 m e comprimento de 8,1 m.

A intenção de aumentar a capacidade de carga do CZ-6 adicionando dois ou quatro ‘boosters’ de combustível sólido foi discutida em 2013 e, em novembro de 2018, foi aprovada com uma maquete do novo CZ-6A sendo apresentada no Zhuhai Air Show.

Assim como no CZ-7, dois motores YF-100 foram instalados no primeiro estágio em vez de um. Também como no CZ-7, foram acoplados quatro propulsores mas com propelentes sólidos, com o mesmo empuxo de 120 tf; cada booster é composto por dois segmentos de dois metros de diâmetro cada. O segundo estágio foi aumentado em diâmetro para 3,35 m, e equipado com um YF-115 em vez de quatro no CZ-7. O resultado foi um foguete com uma altura de cerca de 50 m com um impulso de lançamento de 737 tf (7230 kN) e um peso de 530 toneladas, capaz de satelizar 4000 kg de carga útil em órbita síncrona com uma altitude de 700 km.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Publicidade

Autor: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d blogueiros gostam disto: