Artemis I adiada para dia 16

Preparação do foguete SLS ameaçada por tempestade

Foguete SLS na plataforma 39B

A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço dos EUA (NASA) anunciou que o lançamento planejado para 14 de novembro de 2022 do foguete lunar SLS número 1 com a espaçonave Orion foi adiado para o dia 16, devido à iminente tempestade tropical Nicole. Isso foi divulgado em um comunicado publicado no site da agência na terça-feira, dia 8. “A NASA continua monitorando a tempestade tropical Nicole e decidiu reprogramar o lançamento da missão Artemis I para quarta-feira, 16 de novembro, aguardando condições seguras para o retorno dos funcionários ao trabalho, bem como verificações pós-tempestade”, disse o comunicado. A probabilidade de ventos com força de furacão no Centro Espacial Kennedy esta semana devido à tempestade subtropical aumentou para 7%, maior do que quando a NASA devolveu o SLS para o edificia de montagem VAB em setembro para proteger contra o furacão Ian (6%).

O SLS Block I número 1 é composto pelo estágio central CS-1, os ‘boosters’ RSRMV-1L e RSRMV-1R e o estágio superior ICPS n°1. Já a nave espacial Orion será composta pela cápsula Crew Module CM n° 002 e o Módulo de Serviço Europeu ESM-001Bremen’.

Um lançamento durante a janela de duas horas que abre às 01h04 EST em 16 de novembro resultaria em uma amerrissagem na sexta-feira, 11 de dezembro. Se necessário, a NASA tem uma oportunidade de reserva no sábado, 19 de novembro, e coordenará com a Força Espacial dos EUA para oportunidades adicionais.

O foguete SLS foi projetado para suportar ventos de 136 km/h (74,4 nós) no nível de 18 metros com margem estrutural. As previsões preconizam que os maiores riscos na plataforma são ventos fortes que não devem exceder o projetado. O foguete foi projetado para resistir a chuvas fortes na plataforma e as escotilhas da espaçonave são protegidas para evitar a intrusão de água. Em preparação para a tempestade, as equipes desligaram a espaçonave Orion, o estágio principal do SLS, o estágio de propulsão criogênica provisório ICPS e os boosters. Os engenheiros também instalaram uma tampa rígida sobre a janela do sistema de aborto de lançamento, retraíram e prenderam o braço de acesso da tripulação no lançador móvel e configuraram o sistema de controle ambiental na espaçonave e nos elementos do foguete. As equipes também estão protegendo os sistemas próximos e realizando visitas a possíveis detritos na área. As equipes estão prontas para retomar o trabalho assim que o clima e o status do Centro Kennedy permitirem. Uma vez de volta ao local, os técnicos realizarão visitas e inspeções na plataforma para avaliar o status do foguete e da espaçonave o mais rápido possível.

A missão inaugural do sistema SLS/Orion prevê que espaçonave orbitará a Terra e, em seguida, será propelida pelo segundo estágio do foguete para entrar em uma órbita retrógrada elíptica lunar com perigeu e apogeu de 99,7 km a 64.373 km para depois retornar ao nosso planeta após cerca de 42 dias de voo.

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Publicidade

Autor: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d blogueiros gostam disto: