NASA: missão Crew-5 adiada para dia 4 de outubro

Furacão Ian atrasou a preparação da espaçonave C210 Endurance

Por conta da aproximação do furação Ian, a NASA e a SpaceX agora programam para não antes das 12h23 EDT de terça-feira, 4 de outubro de 2022, o lançamento da espaçonave Crew Dragon C210 ‘Endurance’ na missão Crew-5 para a Estação Espacial Internacional. Uma oportunidade de reserva foi estabelecida na quarta-feira, dia 5 . O voo Crew-5 levará os astronautas da NASA Nicole Mann e Josh Cassada, comandante e piloto da missão, respectivamente, com o astronauta da JAXA (Agência de Exploração Aeroespacial do Japão) Koichi Wakata, e a cosmonauta russa da Roskosmos Anna Kikina, que servirão como especialistas de missão .

Espaçonave C210 Endurance

As equipes continuarão monitorando os impactos do furacão na Costa Espacial e no Centro Espacial Kennedy na Flórida e poderão ajustar a data de lançamento novamente, conforme necessário. Mais atualizações sobre o cronograma de planejamento, incluindo a chegada da equipe do Centro Espacial Johnson para Kennedy, serão publicadas nos próximos dias. Com base nos cronogramas atuais, a chegada da tripulação não está planejada antes de sexta-feira, 30 de setembro. A espaçonave deverá se acoplar à estação espacial internacional para render a atual tripulação Crew-4, que completa seis meses de voo. De acordo com a mídia oficial da NASA, “a segurança da tripulação, equipes de solo e equipamento são de extrema importância para a NASA e a SpaceX”.

Tripulação da Crew-5: astronautas da NASA Nicole Aunapu Mann (centro-direita), comandante; Josh Cassada (centro-esquerda), piloto; e os especialistas de missão Koichi Wakata (direita), da JAXA do Japão , e a cosmonauta Anna Kikina, à esquerda, da Roskosmos.

A espaçonave C210 Endurance está montada no foguete Falcon 9 v1.2 FT Block 5 número B1077.1 e protegida dentro do hangar da SpaceX no Complexo de Lançamento 39A. O Kennedy Space Center também está fazendo preparativos em todo o espaçoporto para proteger outras propriedades e infraestruturas. Depois que a tempestade avançar, equipes da NASA e da SpaceX avaliarão os possíveis impactos no centro e determinarão se devem ajustar ainda mais o cronograma da missão. O desengate da missão Crew-4 da estação espacial será atrasada dia a dia junto com a data de lançamento da Crew-5 para permitir uma transferência direta planejada de cinco dias entre as tripulações.

Foguete Falcon 9 Bl5

O foguete B1077 a ser usado neste voo foi danificado durante o transporte para o local de teste , obrigando a SpaceX fazer uma revisão em sua estrutura e atrasar a decolagem em cerca de um mês. Um exemplar novo de Falcon 9 foi planejado para lançar a missão Crew-5, embora a SpaceX tenha uma frota suficiente de estágios já certificados. O novo foguete foi transportado da fábrica de montagem da empresa em Hawthorne, Califórnia, para o local de teste em McGregor, Texas. Na estrada, houve o incidente, sobre o qual a NASA decidiu não comentar até o último momento (o booster atingiu uma ponte rodoviária). Para restaurar o foguete, a SpaceX substituiu a unidade de interestágio danificada e vários instrumentos (garrafas de nitrogênio, tubulações de sangria do motor Merlin Vac, braços dos atuadores das aletas de controle aerodinâmico etc).

A massa do foguete Falcon 9 na decolagem será de 573.000 kg. Espera-se uma massa para a nave Crew Dragon de cerca de 14.200 kg. O navio de apoio Doug e está rebocando a balsa-drone Just Read the Instructions – JRTI com destino ao local de pouso do primeiro estágio do foguete, no oceano Atlântico a 540 km de Cabo Canaveral.

A tempestade levou a NASA a adiar a chegada da tripulação, que estava programada para 26 de setembro. Isso por si só não atrasaria o lançamento: Steve Stich, gerente do programa de tripulação comercial, disse que a tripulação normalmente chegaria cerca de quatro dias antes do lançamento, para as preparações. Se o clima ou outros problemas a atrasarem, Stich disse que há oportunidades adicionais de 7 a 9 de outubro. Joel Montalbano, gerente americano do programa ISS , disse que não havia problemas com a estação se o lançamento atrasasse ainda mais. No momento do briefing, o KSC estava em uma condição chamada HURCON IV, o que significa que se esperava um clima severo nas próximas 72 horas. Isso envolve os preparativos iniciais para a tempestade, disse Kelvin Manning, vice-diretor do centro, como a verificação de equipamentos que seriam usados ​​por uma “equipe de resgate” que ficaria no KSC durante a tempestade para monitorar os danos.

Disposição nos tripulantes na cabine: A comandante da nave é Nicole Mann, que não tem experiência em voos espaciais; o piloto é Josh Kassada, igualmente sem experiência; como especialista da Missão-1 irá Koichi Wakata, astronauta da Agência Espacial do Japão, com quatro voos espaciais; e a especialista de Missão-2 será Anna Kikina, da Roskosmos, também novata

“Estamos protegendo as instalações, propriedades e equipamentos”, disse ele, como em canteiros de obras em KSC. O centro também está coordenando seus planos com o Space Launch Delta 45, que opera a vizinha Estação da Força Espacial de Cabo Canaveral. O KSC entrara no HURCON III, o que significa que ventos fortes eram esperados nas próximas 48 horas, na manhã de 27 de setembro. No briefing, funcionários da NASA e da SpaceX disseram que estavam terminando as revisões de dois problemas técnicos com a espaçonave e o foguete Falcon 9. Um envolveu revisões de um reparo de solda “fora do padrão” em um vaso de pressão revestido com compósito (COPV) em outro veículo. Bill Gerstenmaier, vice-presidente de confiabilidade de construção e voo da SpaceX, disse que a empresa queria garantir que nenhum dos COPVs da Crew-5 fosse afetado e, em caso afirmativo, eles fossem aceitáveis ​​para voar.

“Esta é apenas um excesso de cautela na equipe SpaceX e parabéns a eles por identificá-la”, disse Stich, dizendo ainda que uma segunda questão é verificar uma aba no perímetro da espaçonave onde ela se liga ao material compósito. “Queremos ir ter certeza e verificar as margens”, disse ele.

Nicole Mann

Nicole Aunapu Mann foi selecionada pela NASA em junho de 2013. Uma nativa da Califórnia, é bacharel em engenharia mecânica e mestre em engenharia mecânica. Mann é coronel do Corpo de Fuzileiros Navais e serviu como piloto de testes nos F/A-18 Hornet e Super Hornet. Ela foi sentou praça duas vezes a bordo de porta-aviões em apoio às operações de combate no Iraque e no Afeganistão. Ela nasceu em Petaluma, Califórnia e casou-se com Travis R. Mann. Eles são pais de um filho e moram em Houston, TX. Graduou-se na Rancho Cotate High School, Rohnert Park, Califórnia, em 1995. Obteve um Bacharelado em Engenharia Mecânica pela Academia Naval dos Estados Unidos em 1999. Mestrado em Engenharia Mecânica com especialização em Mecânica dos Fluidos pela Universidade de Stanford em 2001. Mann foi comissionada como Segundo Tenente do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos em 1999. Após a pós-graduação, ela completou a Escola Básica (TBS) em Quantico, Virgínia e se reportou à Estação Aérea Naval (NAS) Pensacola, Flórida, para treinamento de voo em 2001. Ganhou suas asas de ouro como aviadora naval em 2003 e se reportou ao VFA-106 para treinamento de frota no F/A-18C. Começou sua carreira de vôo operacional em 2004 com os Thunderbolts do VMFA-251 com base em Beaufort, Carolina do Sul. Durante esta missão, ela serviu duas vezes com o CVW-1 a bordo do USS Enterprise (CVN-65) e voou em missões de combate em apoio às Operações IRAQI FREEDOM e ENDURING FREEDOM. Ao retornar de sua segunda missão, Mann se apresentou à Escola de Pilotos de Teste Naval dos Estados Unidos, Classe 135, em NAS Patuxent River, Maryland. Em junho de 2009, começou sua turnê de teste de desenvolvimento no Air Test and Evaluation Squadron TWO THREE (VX-23) como piloto de teste do F/A-18/oficial de projeto. Enquanto estava no VX-23, Mann executou uma variedade de testes de voo, incluindo expansão do envelope de carga, qualidades de voo, adequação em porta-aviões e separação de munições no F/A-18A-F. Na primavera de 2011, Mann assumiu funções como Oficial de Operações do VX-23. Em julho de 2012, Mann foi designada para o PMA-281 como Líder da Equipe de Produto Integrado (IPT) do Sistema de Planejamento de Missão Conjunta (JMPS-E) quando foi selecionada como candidata a astronauta. Ela acumulou mais de 2.500 horas de voo em 25 tipos de aeronaves, 200 prisões de porta-aviões e 47 missões de combate no Iraque e no Afeganistão.

Nicole Mann

Mann foi selecionada em junho de 2013 como um dos oito membros da 21ª classe de astronautas da NASA. Seu treinamento de candidato a astronauta incluiu instrução intensiva em sistemas da Estação Espacial Internacional, caminhadas espaciais, treinamento em russo, robótica, treinamento fisiológico, treinamento de vôo T-38 e de sobrevivência na água e na selva. Ela completou o treinamento de Candidato a Astronauta em julho de 2015. Atuou como Oficial de Segurança e Treinamento do T-38 e, mais recentemente, completou uma turnê como Assistente do Chefe de Exploração. Ela liderou o corpo de astronautas no desenvolvimento da espaçonave Orion, Space Launch System (SLS) e Exploration Ground Systems (EGS).

Josh Cassada

Josh A. Cassada foi selecionado pela NASA em 2013. Nasceu em San Diego, Califórnia, mas considera sua cidade natal White Bear Lake, Minnesota. Casado com a ex-Megan Friedly de Charlevoix, Michigan. Eles têm dois filhos. Ele cresceu em White Bear Lake, Minnesota e é físico e piloto de testes da Marinha dos EUA. Antes de se tornar um aviador naval, Cassada obteve seu bacharelado em Física no Albion College e seu Ph. D. na Universidade de Rochester, conduzindo pesquisa experimental em física de alta energia no Fermi National Accelerator Laboratory. Depois de duas missões operacionais no P-3C, incluindo 23 de combate, Cassada foi piloto de teste de P-3C e P-8A, bem como instrutor na Escola de Pilotos de Teste Naval dos EUA. Cassada acumulou mais de 4.000 horas de voo em mais de 45 aeronaves diferentes.
Formou-se na White Bear Lake Area High School, White Bear Lake, Minnesota em 1991. Obteve um Bacharelado em Física pelo Albion College, Albion, Michigan em 1995. Ele obteve um Mestrado em Artes (1997) e um Doutorado (2000) ) em Física com especialização em física de partículas de alta energia pela Universidade de Rochester, Rochester, Nova York. Após concluir sua pesquisa no Fermi National Accelerator Laboratory e defender sua dissertação, Cassada recebeu seu Ph.D. da Universidade de Rochester em 2000. Foi comissionado como oficial da marinha mais tarde naquele mesmo ano, ganhando suas asas de ouro como aviador naval em 2001. Começou sua carreira de vôo operacional em 2002 com os Fighting Tigers de VP-8, estacionados em Brunswick, Maine. Como comandante do avião de patrulha P-3C, comandante da missão e piloto instrutor, Cassada foi destacado para o Pacífico Ocidental, Mar Mediterrâneo e América Central, servindo em várias operações, incluindo Iraqi Freedom, Enduring Freedom e alívio de tsunami em vários serviços durante a Operação Unified Assistance. Após se formar na Escola de Pilotos de Teste Naval dos EUA em 2006, ele atuou como piloto de teste de desenvolvimento para aeronaves P-8A e P-3C em Patuxent River, Maryland. Foi o Oficial de Projeto de Aeronavegabilidade do P-8A e piloto de testes líder para vários programas de Patrulha Marítima e Aeronaves de Reconhecimento. Cassada então completou um tour como piloto instrutor de T-38C e T-6A na Escola de Pilotos de Teste Naval dos EUA, dando instrução em todas as fases do currículo de asa fixa. Em 2011, ele foi designado para a DCMA Boeing Seattle como Chefe de Operações de Voo, liderando todas as operações de aeronaves e supervisão de contratos para P-8A, KC-46, AWACS e USMC UAV, ao mesmo tempo em que executava o teste de aceitação de voo da Marinha da aeronave P-8A. . Mais tarde, co-fundou a Quantum Opus, LLC, produzindo detectores de fótons de alta velocidade e baixa perda para permitir experimentos de próxima geração em óptica quântica, computação quântica óptica, comunicação de fóton único, biofotônica de baixo fluxo e sensoriamento remoto. Acumulou mais de 4.000 horas de voo em mais de 40 aeronaves diferentes, além de 23 missões de combate.

Josh A. Cassada

Cassada foi selecionado em junho de 2013 como um dos oito membros da 21ª classe de astronautas da NASA. Seu treinamento de candidato incluiu instrução intensiva em sistemas da Estação Espacial Internacional, atividade extraveicular, robótica, treinamento em língua russa, treinamento fisiológico, treinamento de vôo em T-38 e de sobrevivência na água e na selva. Após a conclusão do treinamento de candidato a astronauta em julho de 2015, Cassada apoiou as operações e a integração da estação espacial em tempo real, inclusive servindo como comunicador de cápsula no Controle da Missão, bem como o desenvolvimento das espaçonaves Orion e Crew Dragon do Programa de Tripulação Comercial.

Espaçonave antes de ser montada no segundo estágio do foguete

Koichi Wakata

O astronauta japonês Koichi Wakata acumulou vários recordes durante sua carreira. Entre eles, ele foi o primeiro astronauta japonês a fazer quatro voos espaciais. Além disso, em 2014, Wakata se tornou o primeiro japonês a comandar a Estação Espacial Internacional. Wakata nasceu em 1º de agosto de 1963, em Saitama, Honshu, Japão. Quando menino, sonhava em se tornar um astronauta. No entanto, ele não achava que fosse possível, porque naquela época o Japão não tinha um programa espacial relevante. Em vez disso, voltou sua atenção para construir e pilotar aviões . Wakata frequentou a Universidade Kyushu em Fukuoka, na ilha de Kyushu . Graduou-se em engenharia aeronáutica em 1987 e fez mestrado em mecânica aplicada em 1989. Anos depois, em 2004, obteve o doutorado em engenharia aeroespacial.

Koichi Wakata

Em 1989, Wakata começou a trabalhar na Japan Airlines como engenheiro estrutural de aeronaves. Três anos depois, a Agência Nacional de Desenvolvimento Espacial do Japão (agora a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão, ou JAXA) o escolheu para iniciar o treinamento de astronauta. A organização o enviou para a NASA nos Estados Unidos. A NASA treinou Wakata no Johnson Space Center em Houston, Texas. Lá ele estudou robótica de ônibus espaciais , cargas úteis e operações da ISS.

Em 1996, Wakata fez sua primeira missão no ônibus espacial Endeavour . Ele operou o braço robótico para recuperar um satélite japonês. Em 2000 ele viajou para a ISS no shuttle Discovery . Mais uma vez ele usou o braço robótico, desta vez para mover e instalar partes da estação espacial . Em 2006, Wakata comandou uma pequena equipe no habitat submarino da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica na costa da Flórida. Durante a estadia de uma semana, a tripulação tentou missões no fundo do oceano. O ambiente submarino simula as condições do espaço.

Em 2009, Wakata realizou sua primeira missão de longa duração . Ele permaneceu por cerca de cinco meses, tornando-se o primeiro astronauta japonês a viver na ISS por um longo período . Ele conduziu experimentos e cuidou da instalação da estação usando os braços robóticos. Wakata começou sua estadia de seis meses na ISS no final de 2013. Por dois desses meses, em 2014, ele serviu como comandante da estação espacial.

Anna Kikina

Anna Kikina é a única mulher no corpo de cosmonautas russo e será a quinta cosmonauta russa. Anna tem 37 anos e nasceu em 27 de agosto de 1984 em Novosibirsk. Em 2005, fez cursos no Ministério de Situações de Emergência como instrutora de ensino de primeiros socorros à população e possui certificado de salva-vidas. Em 2006, ela se formou na Academia Estadual de Transporte Aquático de Novosibirsk em Proteção de Emergência. No mesmo local, em 2008, recebeu um segundo ensino superior na especialidade “Economia e gestão na empresa (transporte)”. De acordo com sua primeira formação, Kikina é engenheira hidráulica, e sua segunda formação, é como economista-gerente. Por algum tempo antes de ingressar no corpo de cosmonautas, Anna trabalhou como diretora de programa na Radio Siberia Altai LLC. Foi lá que soube do início da seleção para o corpo de cosmonautas. “Antes disso, eu nem pensava no espaço. Mais ou menos entendendo que tipo de atividade é essa, tendo avaliado a situação, decidi que era exatamente isso que queria fazer a seguir. Eu estava em chamas com o desejo de auto-realização nesta profissão ”, disse Kikina em uma de suas entrevistas.

Anna Kikina

Este será o primeiro voo de uma mulher russa ao espaço em oito anos (a russa anterior, Elena Serova, foi ao espaço em 2014 e retornou em 2015). Este será o primeiro voo de um representante russo na espaçonave Crew Dragon, e o primeiro vôo em 20 anos de um russo em uma espaçonave americana (em dezembro de 2002, Valery Korzun e Sergei Treshchev pousaram no ônibus espacial Endeavour). Será o 22º russo que voou em uma espaçonave americana (Sergey Krikalev fez três voos, Vladimir Titov, Yuri Usachev, Vladimir Dezhurov e Nikolai Budarin – dois voos cada, o resto um cada) Este será o segundo voo de uma russa em uma espaçonave americana (em maio de 1997, Elena Kondakova voou no ônibus espacial Atlantis).

Em 2012, Kikina tornou-se participante da primeira competição aberta de seleção para o corpo de cosmonautas. No total, foram apresentadas 43 candidaturas de mulheres, das quais seis foram convidadas para o Centro de Formação de Cosmonautas para seleção. Como resultado, apenas Anna foi incluída no grupo de oito candidatos (os sete restantes eram homens) que foram autorizados a treinar. De 2012 a 2014, Anna passou por treinamento espacial geral. Nessa época, ela aprendeu a pilotar a aeronave L-39, saltou de paraquedas, passou por treinamento de imponderabilidade a bordo da aeronave de laboratório Il-76MDK, testes em câmara de isolamento, treinamento de mergulho e treinamento de sobrevivência em várias zonas climáticas e geográficas. “Nós ‘sobrevivemos’ com o equipamento feito especificamente para astronautas. As condições são as mesmas, mas os itens que você usa são estritamente definidos. Você aprende como lidar corretamente com o veículo de descida, como sair dele. Sair ou não sair, usar como cobertura ou não. Comunicação de rádio, acesso à comunicação, atraindo a atenção para as equipes de resgate. Você se ajusta, você sai da situação. Você, por exemplo, tem apenas um facão para toda a tripulação. Não há nada de especial para cavar na neve, não há pá ”, Anna compartilhou com a mídia anteriormente.

Em 2014, por decisão da Comissão Interdepartamental de Qualificação, Kikina foi recomendada para admissão ao cargo de cosmonauta de teste do corpo de cosmonautas. Em 2017, participou do experimento de isolamento internacional SIRIUS, que simulou um voo para a Lua. Desde maio de 2021, Kikina, juntamente com Sergey Prokopiev e Dmitry Petelin, vinha treinando como tripulação reserva da ISS-67 como engenheira de voo para a espaçonave Soyuz MS-22 e engenheira de voo para a Estação Espacial Internacional .

Fases de voo entre o lançamento e a entrada em órbita da nave espacial

Em 2021, Kikina tornou-se embaixadora da coleção de roupas para atletas russos nas Olimpíadas de Tóquio. Em 2021, a marca Barbie lançou uma boneca com sua imagem: a Barbie Cosmonauta Kikina é apresentada em duas versões : em traje de treino e em escafandro espacial. Anna Kikina é mestre em esportes em poliatlo (all-around) e rafting. Certificada em PADI/Open Water Diver, é instrutora de aerotransporte e completou mais de 150 saltos de paraquedas.

Em julho de 2022, a Roskosmos e a NASA assinaram um acordo sobre voos cruzados. Dentro de sua estrutura, astronautas americanos voarão na espaçonave russa Soyuz e cosmonautas russos nas espaçonaves americanas. O acordo prevê três trocas de cosmonautas. Como parte do primeiro deles, o astronauta Francisco Rubio se juntou à tripulação da nave russa Soyuz MS-22, e Anna Kikina foi nomeada especialista em missão para a tripulação da missão Crew 5.

Sequência de setores de abortamento previstos

A Roskosmos publicou na segunda-feira um vídeo mostrando o treinamento final da cosmonauta russa antes do voo . “Falta uma semana para o lançamento. Anna Kikina continua a se preparar ativamente para o voo, mantém sua aptidão física em nível muito alto. A cosmonauta está em quarentena em um complexo especial no Lyndon Johnson Space Center em Houston” diz a descrição do vídeo publicado no canal Telegram da Roskosmos. O vídeo mostra Kikina se exercitando em aparelhos de musculação na academia. “Um grande olá a todos. Sentindo-me bem, em boa forma. Até breve”, desejou a cosmonauta. Os cosmonautas da Roscosmos Sergey Prokopyev e Dmitry Petelin, que decolaram na nave Soyuz MS-22 em 21 de setembro estarão esperando por Anna na ISS.

Locais de pouso de amerrissagem de emergência

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

E-Book espaçonave Crew Dragon

Publicidade

Autor: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d blogueiros gostam disto: