Sonda da NASA faz com sucesso primeiro teste de defesa planetária

Espaçonave autoguiada DART chocou-se contra asteróide

A equipe de controle observa as imagens do asteróide antes do impacto

A espaçonave DART da NASA chocou-se intencionalmente com o asteroide Dimorphos no primeiro teste de defesa planetária da Humanidade. O impacto ocorreu às 19:14 ET (23:14 UTC ou 20:13 hora de Brasília) de 26 de setembro de 2022. O evento foi saudado por aplausos da equipe da missão em Laurel, Maryland. A missão DART, ou Double Asteroid Redirection Test, foi lançada há 10 meses. Embora o asteróide não estivesse em risco de impactar a Terra, esta demonstração poderia determinar como desviar rochas espaciais que poderiam representar uma ameaça no futuro. “Estamos embarcando em uma nova era da humanidade, uma era na qual potencialmente temos a capacidade de nos proteger de algo como um impacto perigoso de asteroide”, disse Lori Glaze, diretora da Divisão de Ciência Planetária da NASA. “Que coisa incrível. Nunca tivemos essa capacidade antes. Este sistema de asteroides foi um alvo perfeito para testar um impacto cinético – o que pode ser necessário se um outro estiver a caminho de atingir a Terra.

A missão DART é um experimento para testar se um impacto cinético pode alterar a velocidade e a trajetória guiando deliberadamente a espaçonave para o asteroide (que orbita um asteroide maior, Didymos) e observando mudanças em sua órbita após o choque. O evento foi capturado por um sistema de câmeras – o Didymos Reconnaissance and Asteroid Camera for Optical Navigation (DRACO), principal instrumento a bordo e é responsável por transmitir imagens ao controle da missão da aproximação de 24.000 km/h ao asteróide. Ele também foi responsável por navegar corretamente a DART até seu ponto de impacto.

Esquema simplificado da fase de impacto e alteração orbital de Dimorphos. O asteroide Didymos e sua pequena lua Dimorphos compõem o que é chamado de sistema binário de asteroides – o que significa que a pequena lua (Dimorphos) orbita o corpo maior (Didymos). O par de asteróides, próximo da Terra (tipo Apollo) foi descoberto em 1996. O sistema está em uma órbita solar elíptica (excentricidade, e=394), inclinada em 3,407 ° em relação à eclíptica, com afélio de 2.2760 AU, periélio de 1,0133 AU, semi-eixo maior de 1.6446 AU com um período de 770,18 dias. Didymos B orbita Didymos A com um período de 11,90h.

Por volta das 16:00 EDT, o instrumento fixou em Didymos quando a nave entrou em sua fase terminal de aproximação. Com o alvo identificado, a DART começou a se autoguiar até o ponto de impacto não recebendo mais instruções do centro de controle. Às 07h30 e 15h30 EDT, as primeiras imagens de Didymos foram transmitidas através do ‘feed’ ao vivo. O sistema de asteróides apareceu inicialmente como um pequeno ponto contra a escuridão do espaço. A 25 minutos do impacto, a nave foi capaz de “ver” Dimorphos – indicado como um pequeno ponto borrado no canto superior direito da tela, que mostrava também o asteroide maior Didymos.

Aproximação da sonda com o alvo
‘Close’ final na superfície rochosa do asteróide

O mini-satélite LICIACube (Light Italian CubeSat for Imaging of Asteroids), da Agência Espacial Italiana, seguiu alguns minutos depois para fotografar o local do impacto. O minissatélite sobrevoou o local da colisão a uma altitude de cerca de 60 quilômetros para capturar as primeiras imagens e dados, ainda a serem decodificados. A espaçonave DART ejetou o LICIACube cerca de dez dias antes do impacto a cerca de 4,2 km por hora para adquirir imagens do impacto e do material ejetado à medida que passa pelo asteróide.

Visão geral da espaçonave DART com Roll Out Solar Arrays (ROSA) estendidos. Com os paineis totalmente estendidos, a DART mede 12,5 metros por 2,4 metros. A DART usa um motor NEXT–C da NASA (NASA Evolutionary Xenon Thruster – Commercial), um sistema de propulsão iônica.

No momento do impacto, Didymos e Dimorphos estavam relativamente próximos da Terra – dentro de 11 milhões de quilômetros. A equipe estima que a espaçonave atingiu o asteroide em um ponto a cerca de 17 metros do centro do corpo celeste. A equipe do DART diz que levará cerca de dois meses para os cientistas determinarem se a órbita do asteroide mudou.

A espaçonave pesava apenas 570 quilos – em comparação com os cinco bilhões de quilos do asteroide – mas isso deve ser suficiente para encurtar sua órbita de 11 horas e 55 minutos em torno de Didymos. A colisão deve reduzir esse tempo em 10 minutos, mas os telescópios levarão de alguns dias a quase um mês para checar a nova órbita. Os cientistas observaram que a mudança orbital esperada de 1% pode não parecer muito, mas enfatizaram que isso levaria a mudanças significativas ao longo dos anos.

Espaçonave no prédio de montagem e checagem

Dimorphos foi escolhido para esta missão porque seu tamanho é similar a asteroides que podem representar uma ameaça à Terra. Se a DART não tivesse atingido Dimorphos, teria sido colocada em uma órbita que criaria outra oportunidade em dois anos. O impacto rápido só mudará a velocidade de Dimorphos à medida que orbita Didymos em 1%, mas mudará o período orbital da pequena lua.

A espaçonave foi lançada por um foguete Falcon 9 nº B1063.3 em 24 de novembro de 2021, às 06:24 UTC, a partir do Space Launch Complex 4 (SLC-4E) da Base Aérea de Vandenberg, Califórnia.

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

E-Book espaçonave Crew Dragon

Publicidade

Autor: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d blogueiros gostam disto: