SpaceX lança mais um lote de Starlinks e um satélite-protótipo

Foguete ‘core’ de primeiro estágio foi usado pela 14ª vez – um recorde

Falcon 9 v1.2 FT BL5 n° B1058.14 decola de Cabo Canaveral com o lote G4-2 de Starlinks e o Bluewalker-3

A SpaceX lançou no sábado, 10 de setembro de 2022, o foguete Falcon 9 v1.2 FT BL5 n° B1058.14 com 34 satélites Starlink e um BlueWalker 3 da AST SpaceMobile em órbita baixa terrestre a partir do Complexo de Lançamento 39A (LC-39A) do Kennedy Space Center, na Flórida. O lançamento foi às 21h20 ET, 22:20 Brasilia, ou 01:20 UTC de 11 de setembro, domingo. Uma oportunidade de reserva estava disponível no domingo, às 20h48 ET, ou 00:48 UTC de 12 de setembro.

O ‘core’ do primeiro estágio desta missão lançou anteriormente as missões Crew Demo-2, ANASIS-II, CRS-21, Transporter-1, Transporter-3 e oito lotes de Starlink. Após a separação dos estágios, o ‘core’ de primeiro estágio B1058 pousou na balsa-drone A Shortfall of Gravitas, que estava estacionada no Oceano Atlântico e as conchas da coifa de cabeça pousaram no mar e foram recuperadas pelo navio de apoio Bob. Esta também foi a primeira missão de cinco ignições dos motores Merlin 1DPlus Vac do segundo estágio do Falcon 9. O foguete pesou 563.838 kg na decolagem.

Contando com o lote ‘Group 4-2’ lançado hoje, a SpaceX lançou mais de 3.200 satélites desde 2019, com milhares ainda programados. A SpaceX planeja completar sua constelação inicial com 12.000 Starlinks e solicitou permissão para aumentar para até 30.000 satélites. No domingo, 11 de setembro, a empresa planeja lançar mais um lote de Starlink. Esse voo, que levará 54 satélites , está programado para ser lançado do Space Launch Complex 40 na Estação da Força Espacial de Cabo Canaveral, na Flórida, às 22h53 EDT (23:53 de Brasília, ou 02:53 GMT no dia 12)

Resumo do lançamento

A empresa lançou mais de 3.200 satélites desde 2019, com milhares ainda programados. A SpaceX planeja completar sua constelação inicial com 12.000 Starlinks e solicitou permissão para aumentar para até 30 mil satélites. No domingo, 11 de setembro, a empresa planejava lançar mais um lote de Starlink. Esse voo (G4-34), que levará 54 satélites , estava programado para decolar do Space Launch Complex 40 na Estação da Força Espacial de Cabo Canaveral, Flórida, às 22h53 EDT (23:53 de Brasília, ou 02:53 GMT no dia 12), mas foi aparentemente adiado para o dia 13 às 22:00 EDT (quarta-feira, dia 14, às 02:00 UTC).

Satélite Starlink

Cronograma de lançamento

  • 00:01:12               Max Q (momento de máximo de estresse mecânico no foguete)
  • 00:02:32               Corte dos motores principais do 1º estágio (MECO)
  • 00:02:35               primeiro e segundo estágios separados (estagiamento)
  • 00:02:42               ignição do motor do 2º estágio
  • 00:03:16               Liberação da carenagem
  • 00:06:17               Início da ignição de reentrada do 1º estágio
  • 00:06:37               Ignição de reentrada do 1º estágio concluída
  • 00:08:09               Início da ignição de pouso do 1º estágio
  • 00:08:28               Corte do motor do 2º estágio (SECO-1)
  • 00:08:31               Core de 1° estágio pousa
  • 00:47:16               Ignição 2 do motor do 2º estágio (SES-2)
  • 00:47:20               Corte 2 do motor do 2º estágio (SECO-2)
  • 00:49:51               O satélite BlueWalker 3 da AST SpaceMobile é liberado
  • 01:07:36               Ignição 3 do motor do 2º estágio (SES-3)
  • 01:07:38               Corte 3 do motor do 2º estágio (SECO-3)
  • 01:53:56               Ignição 4 do motor do 2º estágio (SES-4)
  • 01:54:05               Corte 4 do motor do 2º estágio (SECO-4)
  • 02:03:49               Os satélites Starlink são liberados
BlueWalker 3

Bluewalker

O BlueWalker 3 é um protótipo de satélite para a constelação de comunicações móveis SpaceMobile da AST & Science. O aparelho foi desenvolvido nas instalações da AST no Texas. O satélite de 1.500 quilos tem uma antena ‘phased array’ de 10 metros de largura com 64m2 de área, composta por vários módulos de sub-antena idênticos, para conectar diretamente a smartphones e outros dispositivos em velocidades de banda larga. É um protótipo para os satélites BlueBird operacionais maiores.

“A razão pela qual nosso satélite é grande é porque, para se comunicar com um telefone de baixa potência e baixa força interna, você só precisa de uma antena grande de um lado com muita potência, e isso é uma parte crítica de nossa infraestrutura “ segundo o diretor de estratégia da AST SpaceMobile, Scott Wisniewski, disse em uma entrevista ao space.com. “Achamos que isso é realmente importante para a comunicação direta com aparelhos comuns, sem alterações no aparelho, sem encargos extras para o usuário.”

Os primeiros cinco BlueBird serão semelhantes ao BlueWalker 3, enquanto os restantes serão maiores. A startup possui uma licença experimental para testes em órbita do BlueWalker 3 para configurar equipamentos e softwares terrestres para os satélites operacionais. A empresa disse, em 16 de maio, que o desenvolvimento do BlueBird está tão avançado que está pronta para é regular a lançar os satélites operacionais em 2023, mesmo que o Blue Walker 3 tenha problemas.

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: