China lança dois satélites de navegação

Os ‘Weili Kongjian’ testarão sistema de posicionamento global

Kuaizhou-1A número Y16 decola de Jiuquan

Em 6 de setembro de 2022, às 10:24:30, horário de Pequim (02:24:30 UTC, 23:24:30 hora de Brasília no dia 5), o foguete Kuaizhou-1A (KZ-1A) número Y16 foi lançado do centro de lançamentos de Jiuquan dois satélites experimentais de navegação Weili KongJian S3 e S4. O Weili Kongjian S3 (CentiSpace-1 S3) foi colocado em órbita com inclinação de 53,53°, perigeu de 693,0 km, apogeu de 705.1 km e período de 98,75 minutos; O Weili Kongjian S4, com inclinação de 53,53°, perigeu de 694,9 km, apogeu de 706,6 km e período de 98,79 minutos. O último estágio do foguete entrou numa órbita de 53,56°, 198,7 km x 765,6 km, com período de 94,25 minutos.

Foguete KZ-1A

Este foi o 17º lançamento do foguete comercial de propelente sólido KZ-1A desenvolvido pela Chinese Space Science and Industry Corporation, CASIC, em Wuhan e comercializado sob a marca Exace, e o 479º lançamento na história do programa espacial chinês. Além do número de série Y16, o foguete tinha o nome ‘Quan Cheng-1’ (泉城一号).

No dia 21 de agosto, no âmbito deste lançamento, foi anunciada a área de impacto do terceito estágio ao largo da costa da Nova Guiné, na região de 19°S, 156°E, e a 1 de setembro foi acrescentada uma zona de exclusão na China, na fronteira das províncias de Shanxi e Henan.

CentiSpace-1 S3 (Wēi Lí Kōngjiān Yī Hào Xìtǒng S3)

O cliente é a Beijing Future Navigation Science and Technology Co que, em 29 de setembro de 2018, teve seu primeiro satélite experimental Weili KongJian S1 ou Xiangzhikui-1 (向日葵一号 ou Girassol-1, pesando 97 kg ) lançado em órbita . O segundo satélite do mesmo tamanho, o S2, foi lançado em 10 de julho de 2020 em um novo foguete KZ-11, mas foi perdido em pane de decolagem.

O objetivo declarado dos satélites é ser uma adição aos sistemas tradicionais de navegação em órbitas de média altitude. A precisão do posicionamento nos sistemas Beidou, GLONASS e GPS é limitada por uma série de fatores, sendo os mais importantes o erro na determinação e previsão da posição dos próprios satélites, bem como o atraso ionosférico na propagação da navegação. sinal, e com posicionamento operacional não melhor do que 2 a 3 metros.

Com uso de estações corretivas com posição conhecida, o usuário pode contar com a precisão de centimetros. A transmissão dessas correções ao consumidor pode ser realizada apenas com a ajuda de satélites especializados de baixa órbita, que executam simultaneamente funções de comunicação. A capacidade de atingir a precisão de centímetro sublinha seu nome oficial em inglês “CentiSpace”. A letra S na frente do número provavelmente vem da palavra 试验 (Shiyan), ou seja, “experiência”, pois descreve a fase experimental.

Os dois satélites lançados juntos têm fabricantes diferentes. O satélite S3, como o S1 há quatro anos, foi projetado e fabricado pela Innovative Microsatelite Research Academy (IIAM) da Academia Chinesa de Ciências de Shangai – um empreendimento para o qual este lançamento foi o 44º, e o satélite foi o 85º da história.

O nome completo da espaçonave é 微厘空间一号系统S3试验卫星 (Wēi Lí Kōngjiān Yī Hào Xìtǒng S3 e Wēi Lí Kōngjiān Yī Hào Xìtǒng S4); a parte até os caracteres S3 é o nome do sistema e, a partir deles, as especificações do satélite. Os últimos quatro caracteres são pronunciados shiyan weixing e significam “satélite experimental”, com S3 servindo como seu número. Os dois hieróglifos antes de S1 são lidos ‘shitun’ e significam “sistema”. Finalmente, eles são precedidos pelo nome de weili kongjian e o número de série 1. O desenvolvedor não deu características do satélite, dizendo apenas que existem dois módulos em escala real a bordo para testar informações e equipamentos de navegação adicionais para uma linha especial de comunicação entre satélites de baixa velocidade. O dispositivo permitirá testar o sistema em circuito fechado, além de demonstrar a operação autônoma de longo prazo em órbita e o desempenho independente das tarefas.

O S4 foi projetado e fabricado pela Harbin Gongda Satellite Technology Co. Ltd. ou HITSAT) em parceria com o Instituto de Tecnologia de Harbin (HIT) e seu Instituto de Tecnologia Espacial. A Harbin Polytechnic University, fundada em 1920 por engenheiros russos como uma escola técnica da Chinese Eastern Railway, lançou seu primeiro satélite em 2004 e enviou dezenove veículos em órbita no total. O satélite usa um chassi SATware desenvolvido antes mesmo que a empresa fosse formalmente fundada em dezembro de 2020, e o lançamento foi o primeiro. O nome da empresa, é uma abreviação do nome completo da Universidade Politécnica de Harbin em chinês (哈尔滨工业大学, harbin gunye daxue).

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: