SpaceX lança hoje à noite espaçonave de teste e mais Starlinks

Foguete Falcon 9 colocará 51 satélites de internet e uma espaçonave da Boeing

O foguete deverá ter uma massa na decolagem de 567.737 kg

A SpaceX deve lançar domingo, 4 de setembro de 2022, o foguete Falcon9 v1.2 FT Block 5 número n° B1052.7 com cinquenta e um satélites Starlink V1.5 e um veículo de transferência orbital Sherpa-LTC da Spaceflight. O foguete decolará do Space Launch Complex 40 (SLC-40) na Estação da Força Espacial de Cabo Canaveral, na Flórida. A janela de lançamento instantâneo é às 22h09 ET ou 23:09 de Brasília (02:09 UTC em 5 de setembro), e uma oportunidade de reserva está disponível na segunda-feira, dia 5, às 21h39 ET (01:39 UTC em 6 de setembro). A órbita-alvo inicial é de 236 x 329 km, inclinada em 53,2 graus.

O ‘core’ do primeiro estágio desta missão lançou anteriormente os Arabsat-6A, STP-2, COSMO-SkyMed Segunda Geração FM2, a sonda sul-coreana lunar KPLO e duas missões Starlink. Após a separação dos estágios, o core pousará na balsa-drone Just Read the Instructions, que ficará estacionada no Oceano Atlântico, rebocada pelo navio de apoio ‘Doug‘.

Starlinks

Os satélites de internet de Elon Musk (totalizando 15.657 kg, exemplares 1425 a 1475) fazem parte do ‘Group 4-20’, para juntarem-se aos exemplares já estabelecidos em suas órbitas de trabalho. Os satélites serão liberados em bloco único na órbita-alvo inicial de aproximadamente 230 km inclinada em 53,2°, para depois se separarem e seguirem para suas órbitas finais de 540 km.

Varuna-TDM

A Missão de Demonstração de Tecnologia Varuna da Boeing (Varuna-TDM, de 180kg de massa total, para 140kg sem propelente) testará equipamentos de comunicações de banda V para uma constelação proposta de 147 satélites não-geoestacionários de banda larga. O satélite será ejetado a partir do rebocador espacial (“OTV”) tipo Sherpa-LTC2 da Spaceflight para uma órbita de 1056 km, inclinada em 54°. Ele elevará a órbita através de duas iginições em uma trajetória de Hohmann para sua órbita operacional para operar por um período de até dois anos. Na conclusão da missão, ele realizará a queima de saída de órbita para reduzir o perigeu para 300 km até a reentrada.

Sherpa LTC-2 com o Varuna Technology Demonstration Mission

A espaçonave consiste no veículo de transferência orbital Sherpa-LTC 2 com um sistema de propulsão bipropelente integral e um arranjo de painel solar, e equipamento de guiagem e controle acondicionados dois módulos construídos pela Astro Digital e aparafusados no anel de suporte do veículo de transferência. Esses módulos são o sistema de comando e controle (CCS) e o módulo de carga útil de banda V. O sistema de propulsão química do Sherpa utiliza o conjunto-motor Polaris da Benchmark Space Systems com propelentes “verdes”. O oxidante é o peróxido de teste alto (HTP) e o álcool isopropílico (IPA) é o combustível alimentados usando nitrogênio gasoso como pressurizador. Este sistema bipropelente de modo duplo com quatro motores controlados independentemente. O HTP pode ser usado como monopropelente no modo de baixo empuxo ou combinado com o IPA no modo de alto empuxo. Cada propulsor pode fornecer até 22 N de empuxo individualmente; quando operados juntos, todos os quatro produzem até 88 N de empuxo. Com a capacidade de comandar os propulsores de forma independente, o Sherpa pode dirigir sem a necessidade de basculamento.

Relações entre a Spaceflight e SpaceX estremecidas

A Spaceflight confiou nos lançamentos da SpaceX para sua linha em expansão de rebocadores espaciais de próxima geração. O primeiro deles foi um Sherpa-FX, que não tem propulsão, que fez sua estreia como parte da missão de carona Transporter-1 em janeiro de 2021. A missão Transporter-2 então lançou um Sherpa-FX2 e um Sherpa-LTE – o primeiro OTV da Spaceflight com propulsão elétrica no final daquele ano, em junho. Depois que o Sherpa-LTC foi removido do voo Transporter 3 da SpaceX em janeiro de 2022, a Spaceflight planejava lançar um Sherpa-FX em seu próximo voo compartilhado em abril.

No entanto, a SpaceX decidiu remover o rebocador de sua Transporter-4 após preocupações com fatores ambientais que afetariam os satélites instalados no OTV. Cerca de uma semana depois, a empresa de Muks disse que não trabalharia mais com o Spaceflight após as missões atualmente manifestadas. O CEO da Spaceflight, Curt Blake, se recusou a discutir o relacionamento da Spaceflight com a SpaceX, ou qual seria seu último OTV a voar com a empresa.

Para ampliar suas opções, a Spaceflight anunciou em 8 de agosto um acordo para lançar futuros rebocadores espaciais nos foguetes Vega da Arianespace, incluindo seu Vega C de próxima geração. Blake disse que assinou um acordo para usar o Vega com a SAB Launch Services da Itália – que também fornece serviços em outros lançadores europeus – para cobrir lançamentos a partir do próximo ano.

Blake disse que o Spaceflight está “muito próxima de identificar detalhes” para os clientes e missões do Vega que usariam o Sherpa, com o primeiro lançamento provavelmente no final de 2023 ou início de 2024. A Spaceflight e a SAB também estão em parceria para oferecer aos clientes acesso a instalações compartilhadas de integração e armazenamento na Europa e nos Estados Unidos. Blake disse que a Spaceflight está conversando com “vários” outros fornecedores de lançamento e “se aproximando de finalizar acordos para lançar OTVs em vários foguetes”.

CONTAGEM REGRESSIVA

hh:min:ss – Evento

  • 00:38:00 Diretor de lançamento da SpaceX verifica autorização para abastecimento de propelente
  • 00:35:00 O abastecimento do querosene RP-1 começa
  • 00:35:00 O abastecimento do 1º estágio LOX (oxigênio líquido) começa
  • 00:16:00 O abastecimento da LOX do 2º estágio começa
  • 00:07:00 Falcon 9 inicia o resfriamento dos motores antes do lançamento
  • 00:01:00 Computador de voo de comando inicia as verificações finais de pré-lançamento
  • 00:01:00 A pressurização dos tanques de propelente para a pressão de voo começa
  • 00:00:45 Diretor de lançamento da SpaceX verifica o lançamento
  • 00:00:03 O controlador do motor comanda a sequência de ignição
  • 00:00:00 Decolagem
Perfil de decolagem

LANÇAMENTO, ATERRISSAGEM E LIBERAÇÃO DAS CARGAS

Todos os tempos são aproximados

hh:min:ss – Evento

  • 00:00:00 Decolagem
  • 00:01:12 Max Q (momento de pico de estresse mecânico no foguete)
  • 00:02:29 Corte do motor principal do 1º estágio (MECO)
  • 00:02:33 1º e 2º estágios separados
  • 00:02:39 Ignição do motor do 2º estágio
  • 00:03:13 Liberação da carenagem
  • 00:08:05 Início da ignição de entrada do 1º estágio
  • 00:06:36 Ignição de reentrada do 1º estágio concluída
  • 00:08:05 Início da ignição de pouso do 1º estágio
  • 00:08:27 Pouso do 1º estágio
  • 00:08:45 Corte do motor do 2º estágio (SECO-1)
  • 00:45:25 2ª Ignição do motor do 2º estágio (SES-2)
  • 00:45:27 2°Corte do motor do 2º estágio (SECO-2)
  • 00:49:28 Sherpa-LTC da Spaceflight é liberado
  • 01:12:23 Satélites Starlink são liberados

Live do lançamento no Canal do Homem do Espaço

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: