NASA muda requisitos para voos privados à ISS

Experiência com a missão Ax-1 levou a novas regras para astronautas privados

Os primeiros astronautas privados na ISS voaram este ano

A NASA está mudando as regras para futuras missões privadas de astronautas à Estação Espacial Internacional, incluindo a exigência de que tais missões sejam lideradas por um ex-astronauta da NASA. Em um aviso de aquisição de 1º de agosto, a agência anunciou mudanças nos requisitos para futuras solicitações de missões de astronautas particulares, ou “private astronaut missions”- PAMs, para a estação. As mudanças, disse a agência, vieram da experiência da primeira missão desse tipo, o voo Ax-1 da Axiom Space em abril, “e outros voos espaciais recentes de tripulações civis”.

Uma das maiores mudanças, e que ainda está sendo finalizada de acordo com o edital, é a exigência de que tais missões tenham “um ex-astronauta do governo dos EUA ” como comandante. “Um ex-astronauta da agência fornece orientação experiente para os astronautas particulares durante a preparação pré-voo até a execução da missão”, afirma o documento, e “fornece uma ligação entre a tripulação residente da ISS e os astronautas particulares e reduz o risco para as operações da ISS e os PAM e à segurança da ISS.”

Michael López-Alegría, astronauta da Axiom

A missão Ax-1 foi liderada por um ex-astronauta, Michael López-Alegría. A segunda missão da empresa, a única outra PAM aprovada até o momento, também será liderada por uma ex-astronauta da NASA, Peggy Whitson. “Ficou bem claro, em primeiro lugar, que os clientes realmente não querem voar com ninguém que não tenha feito isso antes”, lembrou López-Alegría sobre o planejamento da missão Ax-1 durante uma palestra na Conferência de Pesquisa e Desenvolvimento da ISS em 28 de julho. “Em segundo lugar, a NASA estava muito mais confortável com alguém experiente no comando.” No entanto, os executivos da Axiom disseram pouco antes da Ax-1 que estavam planejando voos sem um astronauta profissional a bordo. Michael Suffredini, presidente e executivo-chefe da empresa, disse em um briefing de 1º de abril que a empresa esperava levar quatro clientes, em vez de três clientes e um astronauta profissional, em sua quarta missão.

Essa mudança tem implicações para a receita e lucratividade desses voos. A Axiom se recusou a dizer se as missões atuais, com três clientes pagantes, são lucrativas. Outras mudanças nos requisitos do PAM descritos no aviso da NASA também refletem claramente a experiência do Ax-1. A NASA exigirá que missões privadas enviem planos de pesquisa ao Laboratório Nacional da ISS com pelo menos doze meses de antecedência, a fim de revisá-los e certificar cargas úteis. “Atividades de pesquisa significativas não foram originalmente previstas como um objetivo principal para missões de astronautas particulares”, afirma o documento.

Da mesma forma, os novos requisitos incluem um “plano de comunicação específico da missão” descrevendo as atividades comerciais e de mídia para determinada missão, incluindo aquelas que ocorrem no espaço, e os papéis da agência e da empresa que fornecerá o veículo da tripulação. “Nosso tempo na ISS foi extraordinariamente ocupado”, disse López-Alegría na conferência. “Tínhamos um cronograma que parecia uma linha do tempo da NASA.” Isso incluiu 25 experimentos e 30 eventos de divulgação que levaram “bem mais de 100 horas” do tempo da equipe, disse ele. Esse cronograma apertado esteve ligado a outra mudança de requisitos. “A chegada ao ambiente do voo espacial exige tempo de adaptação de cada indivíduo; portanto, a agência está exigindo tempo adicional para adaptação à microgravidade e tarefas de entrega antes da execução das principais atividades da missão”, afirma o documento.

“Chegamos lá e, veja, ficamos impressionados”, disse López-Alegría. “Acostumar-se à gravidade zero não é uma coisa da noite para o dia.” As linhas do tempo originais, disse ele, não permitiram tempo suficiente para se adaptar à vida na estação e, em seguida, trabalhar com uma agenda ambiciosa de experimentos e eventos de divulgação. Ele disse na conferência que a Axiom estava encerrando seus próprios processos de lições aprendidas, juntamente com outros separados pela agência espacial e a SpaceX. Uma mudança para a Ax-2 é que Whitson terá mais tempo para ajudar os astronautas particulares que a acompanham. “Isso ajudará a descarregar o fardo que colocamos na tripulação da ISS”, disse ele. A Axiom está nos estágios finais de planejamento para essa missão, que deve voar na próxima primavera no hemisferio Norte. Ele disse que a empresa “meio que montou” uma missão Ax-3, dependendo de quando a NASA buscar propostas para outro PAM. “Ainda temos muito a aprender”, disse Kathy Lueders, administradora associada da agência para operações espaciais, sobre missões de astronautas particulares durante outro painel na conferência em 27 de julho. em futuras solicitações de PAMs. “Você verá parte desse aprendizado à medida que lançarmos nossos novos acordos daqui para frente.”

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: