Rússia lança satélite militar de seu ‘cosmódromo Norte’

Foguete leve Soyuz 2.1v colocou em órbita um ‘Nivelir’

Soyuz 2.1v decola de Plesetsk

Um foguete de classe leve Soyuz-2.1v foi lançado na noite de segunda-feira (1° de agosto de 2022) do cosmódromo de Plesetsk, colocando em órbita uma espaçonave desenvolvida para o Ministério da Defesa da Rússia, disse o departamento de informação e comunicações : “Na segunda-feira, 1 de agosto, às 23h25, horário de Moscou [17:25 Brasilia], do Cosmódromo de Teste do Estado do Ministério da Defesa da Federação Russa (Cosmódromo de Plesetsk), a equipe de combate das Forças Aeroespaciais lançou com sucesso um veículo de lançamento leve Soyuz-2.1v com uma espaçonave, desenvolvida no interesse do Ministério da Defesa russo”; O estágio superior Volga com um satélite militar (possivelmente um Nivelir nº 3) foi separado do segundo estágio do foguete, e o colocou em órbita com parâmetros inicialmente supostos em 512 x 512 km, 97,4° de inclinaçao. “A ogiva espacial do foguete de classe leve Soyuz-2.1v com a unidade de lançamento Volga e a espaçonave do Ministério da Defesa, no tempo estimado de 23 horas e 34 minutos (horário de Moscou) foi rotineiramente separada do segundo estágio do veículo lançador “, disse o comunicado. Caso seja confirmado seu funcionamento, o satélite deve ser chamado oficialmente de Kosmos 2558.

A carga útil do Soyuz 2-1v não foi divulgada oficialmente, embora rumores generalizados com base em várias indicações identificaram como ‘Artigo 14F150’ ou Nivelir – um nome de projeto obscuro alinhado com vários outros programas de satélite operados pelos militares russos, como 14F137 para os satélites de reconhecimento de alta resolução Persona ou o satélite de comunicações militares 14F149 Blagovest. Embora sejam conhecidos detalhes sobre Persona, Blagovest e muitos outros, 14F150 é pouco conhecido: as funções oficialmente anunciadas para o Nivelir são vigilância espacial e sensoriamento remoto da Terra. A designação começou a flutuar na documentação, incluindo quebras de orçamento em 2013, mas nenhuma informação sobre o propósito do satélite foi revelada. Um documento do fabricante de satélites e veículos lançadores TsSKB Progress vinculou a designação ao projeto Nivelir-ZU de pesquisa geodésica em 2013, que indicava que a empresa estava fornecendo dados e componentes do sistema de eletricidade para o projeto que também foi identificado como “Napryazhenie”. Uma das funções do Nivelir seria acompanhar e espionar satélite ocidentais. É possível que o satelite americano USA 326, que foi lançado por um Falcon-9 em fevereiro passado e colocado em uma órbita, de 512 x 512 km, 97,4° seja seu alvo de observação.

Vídeo oficial do lançamento

O satelite Nivelir 3 Kosmos 2558 foi catalogado internacionalmente como objeto orbital 53323, em uma órbita de 435 x 452 km inclinada de 97,25 graus, próxima da órbita do USA 326 dos EUA. A diferença da ascenção reta e do nodo ascendente com o USA 326 é de apenas 0,04 graus, variando em 0,01 graus por dia. A diferença na inclinação entre o satelite russo e o americano é de 0,14 graus, no perigeu de 53 km e no apogeu, 65 km; no movimento médio, 0,20 revolução por dia. O estágio Volga foi catalogado como objeto 53324 inclinado em 97,25 graus, em órbita de 284 x 425 km.

Resumo do lançamento

As operações de pré-lançamento e o lançamento do foguete ocorreram no modo normal: O foguete decolou da plataforma 4 da Área 43 em Plesetsk e aparentemente seguiu um perfil de subida padrão visto em missões anteriores de satélites Nivelir.. A decolagem e o vôo foram controlados “por meio do complexo de controle automatizado baseado em terra”. Também foi relatado que “… o foguete espacial Soyuz-2.1v, lançado às 23h25 (MSK) do cosmódromo de teste do estado de Plesetsk, foi aceito para escolta por terra do Centro Espacial de Teste Principal G. S. Titov das Forças Espaciais Aeroespaciais. “, disse o comunicado.

O Ministério da Defesa da Federação Russa lembrou que os testes de voo do foguete Soyuz-2 começaram em Plesetsk em 8 de novembro de 2004. Este modelo substituiu o Soyuz-U, que foi operado naquele cosmódromo de 1973 a 2012. Durante este período, 435 lançamentos do Soyuz-U foram realizados a partir de Plesetsk, cerca de 430 naves espaciais para diversos fins foram colocadas em órbita.

Foguete Soyuz 2.1v é um Soyuz 2 de linha sem os ‘boosters’ do modelo 2.1a e 2.1b e com um único motor NK-33 no primeiro estágio

O Soyuz 2-1v emprega um primeiro estágio tipo Bloco A altamente modificado que conta com um motor principal NK-33 que encontra suas raízes no foguete lunar N-1 abandonado da URSS, além de um motor de direção de quatro câmaras RD-0110R que é uma adaptação do motor de estágio superior do foguete Soyuz U e Soyuz 2.1a. O segundo estágio é quase idêntico ao dos Soyuz 2-1b e também usa o sistema de controle atualizado, alternando de sistemas de controle analógicos para digitais para tornar o lançador Soyuz mais flexível. No geral, o Soyuz 2-1v tem 44 metros de altura e um diâmetro máximo de 2,95 metros, com uma massa total de decolagem de 157.000 a 160.000 kg. O veículo pode colocar cargas úteis de até 3.000 kg em órbita terrestre baixa, enquanto a capacidade síncrona com o Sol com o estagio superior Volga é de 1.400 kg.

O foguete seguiu quase exatamente para o norte, com seu motor principal NK-33 e os quatro motores de direção RD-0110. Após a subida do primeiro estágio, o segundo assumiu o voo motorizado em torno de dois minutos de voo, acionando seu motor de quatro câmaras momentos antes da separação do primeiro estágio, atraves da estrutura de treliça que permite o fluxo livre do escapamento das tubeiras. Logo após a separação do primeiro estágio, a seção cauda do segundo estágio se dividiu em três segmentos e caiu. Tanto o primeiro estágio quanto os fragmentos da cauda deveriam cair no Mar de Barents, ao norte de Murmansk. À medida que o segundo estágio continuava o voo propulsado, a carenagem de cabeça se dividiu em duas metades e se separou. Seus fragmentos cairiam no Oceano Ártico, ao sul do arquipélago de Spitsbergen. Após a conclusão do disparo do segundo estágio, o estágio superior Volga e sua carga útil entraram em uma órbita de estacionamento inicial. Todas as outras manobras para inserir o satélite em sua órbita final foram realizadas com a ajuda do motor principal do Volga nas seguintes 1,5 horas.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: