China estréia seu maior foguete de propelente sólido

O ZK-1A ‘Lijian-1’ colocou seis satélites em órbita

ZK-1A decola de Jiuquan

Às 12h12 de 27 de julho de 2022 (04:12 UTC), seis satélites, incluindo um de teste de tecnologia espacial e um para sondar a densidade atmosférica, foram lançados por um novo foguete transportador Lijian-1 a partir do Centro de lançamento de satélites de Jiuquan. Esta missão transportou um total de seis satélites: o satélite de teste de nova tecnologia espacial desenvolvido pelo Instituto de Inovação de Microssatélites da Academia Chinesa de Ciências, o satélite de teste de detecção de densidade atmosférica, um satélite de teste de distribuição de chave quântica de baixa órbita, um satélite duplo de teste de montagem eletromagnética e o “Nanyue Science Star” desenvolvido pela Shanghai Aerospace Technology Co., Ltd. O “satélite de teste de tecnologia espacial” é uma plataforma de satélite de teste de nova tecnologia espacial universal, escalável e de resposta rápida, que realizará experimentos em novas cargas úteis de ciência espacial.

Imagem promocional dos satélites colocados em órbita pelo novo foguete

Os satélites foram:
Kongjian Xinjishu Shiyan (Experiências com novas tecnologias no espaço)
Guidao Daqimidu Tance Shiyan (Teste de detecção de densidade atmosférica orbital)
Diguidao Liangzi Mishifenfa Shiyan (Experiência de distribuição de chave quântica de orbita baixa)
Dianci zuzhuang Shiyan (Montagem eletromagnética de teste – dois satélites)
Huawan-Nanyue Kexue (experimento Huawan Nanyue)
Exceto o último, outros também são nomeados como Chuangxin X5 (创新5).

Satélites em voo com o último estágio do foguete

“O Jinan No. 1 entrou na órbita estabelecida, e seu painel solar foi aberto com sucesso – e seu teste em órbita será realizado em breve. O desenvolvimento bem-sucedido do satélite quântico permitirá que a China realize a distribuição de chaves quânticas satélite-terra em tempo real entre satélites e estações terrestres miniaturizadas pela primeira vez, e construir uma rede de comunicação segura Quantum de integração espaço-terra prática e de baixo custo.” – anunciou a mídia oficial chinesa. O satélite também é chamado Diguidao Liangzi Mishifenfa Shiyan (Experiência de distribuição de chaves quânticas de baixa órbita). O “satélite quântico micro-nano” foi desenhado pelo Laboratório Nacional de Hefei e desenvolvido em conjunto pela Universidade de Ciência e Tecnologia da China, o Instituto Jinan de Tecnologia Quântica, o Instituto de Inovação de Microssatélites da Academia Chinesa de Ciências e o Instituto de Física Técnica de Shangai. Com o apoio do Comitê de Gerenciamento da Zona de Alta Tecnologia de Jinan, o Instituto Jinan de Tecnologia Quântica é responsável por organizar o desenvolvimento de sistemas de aplicação terrestre e, como usuário, realiza a verificação geral da tecnologia de aplicação de distribuição de chaves quânticas.

O Jinan-1 é o segundo aparelho de comunicação quântica lançado pela China após o lançamento do satélite experimental “Mozi” em 16 de agosto de 2016, lançado por um o foguete Longa Marcha 2D no Centro de Lançamento de Jiuquan.. Com base na pesquisa e desenvolvimento e experimentos do satélite experimental, a equipe de pesquisa abordou com sucesso tecnologias-chave, como tecnologia de distribuição de chaves quânticas miniaturizadas de baixo custo e tecnologia de extração de chaves em tempo real, que aumentam a frequência da fonte de luz em cerca de seis vezes e melhora a pontualidade da geração de chaves em 2 a 3 ordens de magnitude. A mídia chinesa afirmou ainda que
“… o lançamento bem-sucedido e a operação em órbita do Jinan No. 1” será seguido por uma demonstração de aplicações de redes de comunicação quântica de área ampla comercializadas por meio de uma estação terrestre miniaturizada em Jinan, que ajudará a China a expandir sua presença internacional no campo da comunicação quântica espacial.

O novo foguete chinês

O foguete de propelente sólido Lijian-1 ( ZhongKe 1A ou ZK-1A) foi desenvolvido independentemente pela Zhongke Aerospace Exploration Technology Co., Ltd. sob a Academia Chinesa de Ciências. O novo veículo de quatro estágios com peso de lançamento de 135 toneladas, um impulso de decolagem de 200 toneladas-força, um comprimento total de 30 metros, diâmetro de estágio central de 2,65 metros, e um diâmetro de carenagem de 2,65 metros. É capaz de alcançar e uma órbita síncrona solar de 500 quilômetros com um capacidade de carga de 1.500 quilos. A missão marcou o primeiro voo do modelo. O foguete é uma parte do 14º Plano Quinquenal da Academia Chinesa de Ciências, e foi desenhado pelo Instituto de Mecânica. De acordo com o arranjo do primeiro projeto de voo, a equipe de teste do Instituto de Mecânica é composta por seis departamentos com um total de 174 membros, incluindo 54 membros do partido comunista chinês. Este lançamento marcou a 26ª missão orbital para a China em 2022 e a 90ª em todo o mundo.

Lijian-1 ‘ZhongKe 1A’

O foguete Lijian-1 ‘ZhongKe 1A’ possui “… uma série de recursos como grande capacidade de carga, alta precisão orbital, alta confiabilidade inerente, velocidade de resposta rápida, alta eficiência de lançamento, baixos requisitos de segurança, baixo custo de lançamento, uso flexível e conveniente e boa adaptabilidade ambiental, Com excelentes vantagens, é adequado para lançamento de rede de baixo custo e rápido de órbita média/baixa para cargas de satélites médios/pequenos”, disse a mídia oficial chinesa.

A CAS Space é um braço comercial da Academia Chinesa de Ciências . A empresa arrecadou US$ 31 milhões em 2021, mas os principais investidores foram CITIC Juxin, em última análise de propriedade da empresa estatal de investimentos CITIC Group Corporation, Zhongke Chuangxing, um fundo acelerador criado pela CAS, e Yuexiu Industrial Investment, outro veículo de investimento estatal, operando na Grande Área da Baía Guangdong-Hong Kong-Macau. A base industrial da CAS Space foi estabelecida no distrito de Nansha em Guangzhou, capital da província de Guangdong. Nansha afirma que pretende promover uma cadeia industrial completa, incluindo foguetes, satélites e aplicações downstream. Subsidiárias espaciais da montadora Geely, incluindo Geespace, Shanghe Aerospace e Xingkong Zhilian também se estabeleceram em Nansha.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: