SpaceX lançou mais 46 Starlinks hoje

O ‘Grupo 3-02’ entrou em órbita quase-polar

Foguete decolou de Vandenberg

A SpaceX confirmou a colocação de 46 novos satélites de Internet Starlink, completando seu 52º lançamento dedicado de banda larga com financiamento privado. A empresa lançou 2.904 satélites Starlink até o momento, incluindo satélites já desativados. Um foguete Falcon 9 v1.2 FT BL5 lançou os Starlink (Starlink-52, Group 3-02) do Space Launch Complex 4 East (SLC-4E) da Vandenberg Space Force Base em Califórnia, em 22 de julho de 2022, às 17h39 UTC (14h39 Brasilia). Após a separação dos estágios, o ‘core’ de primeiro estágio pousou na balsa-drone ASDS Of Course I Still Love You (OCISLY), estacionada no Oceano Pacífico. O primeiro estágio do Falcon 9 (B1071) anteriormente lançou três missões: NROL-87, NROL-85 e SARah-1. A reentrada de detritos do segundo estágio estava prevista para o sul do Pacífico.

A carga útil, quarenta e seis satélites Starlink, foram colocados em uma órbita final de 97,6 graus de inclinação em trajetória sul-sudoeste com altitude média de 540 km.

Transmissão ao vivo no Canal do Homem do Espaço

Estatísticas sobre a missão de hoje:
166º de um foguete Falcon 9 desde 2010
174º lançamento da família de foguetes Falcon desde 2006
4º lançamento do Falcon 9 booster B1071
108º voo de um booster Falcon reutilizado
52º lançamento dedicado de satélites Starlink
26º lançamento da SpaceX da Base da Força Espacial Vandenberg
32º lançamento do Falcon 9 de 2022
32º lançamento orbital da SpaceX em 2022
7ª tentativa de lançamento orbital baseada em Vandenberg em 2022

Trajetória terrestre do lançamento (ground track)

A empresa de Elon Musk informa que cada satélite Starlink apresenta um design compacto de tela plana que minimiza o volume, permitindo que uma “pilha” de lançamento ‘densa’ aproveite ao máximo os recursos de lançamento do Falcon 9. Com quatro antenas tipo “phased array” e duas antenas parabólicas em cada satélite. “Ao final de seu ciclo de vida, os satélites utilizam seu sistema de propulsão a bordo para desorbitar ao longo de alguns meses. No caso improvável de seu sistema de propulsão se tornar inoperante, os satélites queimarão na atmosfera da Terra dentro de 1 a 5 anos, significativamente menos do que as centenas ou milhares de anos necessários em altitudes mais altas. Além disso, os componentes Starlink são projetados para total desativação.”

‘Core’ de primeiro estágio pousou na balsa-drone
Foguete F9 v1.2 FT BL5 com satélites Starlink sob a carenagem de cabeça

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: