CAPSTONE: NASA anuncia problemas com o satélite lunar

Cubesat de testes foi lançado há uma semana e enfrenta falha de comunicação

A NASA emitiu um comunicado sobre os problemas com a misssão do cubesat CAPSTONE no dia 5 de julho de 2022:
“Após a colocação em órbita bem-sucedida e o início do comissionamento da espaçonave em 4 de julho, a Cislunar Autonomous Positioning System Technology Operations and Navigation Experiment ( CAPSTONE ) experimentou problemas de comunicação enquanto estava em contato com a Deep Space Network. A equipe da responsável atualmente está trabalhando para entender a causa e restabelecer o contato. A equipe tem bons dados de trajetória da espaçonave com base na primeira passagem completa e na segunda parcial da estação terrestre com a Deep Space Network. Se necessário, a missão tem propelente suficiente para atrasar a manobra inicial de correção da trajetória pós-separação por vários dias. Atualizações adicionais serão fornecidas assim que possível.”

Após seu lançamento em 28 de junho, a CAPSTONE orbitou a Terra ligada ao estágio superior Photon do seu foguete-lançador Electron da Rocket Lab, que manobrou em posição para sua transferência para a Lua. Nos seguintes seis dias, os motores do Photon dispararam sete vezes em momentos-chave para elevar o ponto mais alto da órbita para cerca de 1.303.568 km da Terra antes de liberar o cubesat em sua trajetória de transferência lunar balística lunara. A espaçonave está sendo pilotada pelas equipes da Advanced Space e Terran Orbital.

Como um desbravador para a estação de transbordo lunar Gateway , que faz parte do programa Artemis da NASA , o CAPSTONE ajudará a reduzir o risco para futuras naves tripuladas validando novas tecnologias de navegação e verificando a dinâmica de sua órbita em forma de halo. Esta órbita, formalmente conhecida como órbita halo quase retilínea (NRHO), é significativamente alongada. Sua localização em um ponto de equilíbrio nas gravidades da Terra e da Lua oferece estabilidade para missões de longo prazo como o Gateway e requer energia mínima para se manter. A órbita do CAPSTONE também estabelecerá um ponto que é uma área de preparação ideal para missões à Lua . A órbita trará o CAPSTONE a 1.600 km de um pólo lunar em sua passagem próxima e 70.000 km do outro pólo em seu apogeu a cada sete dias, exigindo menos capacidade de propulsão para naves voando para a superfície lunar do que outras órbitas circulares.

Após uma viagem de quatro meses até o seu destino, o CAPSTONE orbitará essa área ao redor da Lua por pelo menos seis meses para estudar as características da órbita. Especificamente, ele validará os requisitos de energia e propulsão para manter sua órbita conforme previsto pelos modelos da agência espacial , reduzindo as incertezas logísticas. Também demonstrará a confiabilidade de soluções de navegação para espaçonaves, bem como recursos de comunicação com a Terra. A órbita NRHO oferece a vantagem de uma visão desobstruída da Terra, além da cobertura do pólo sul lunar.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: