Militares dos EUA lançam dois satélites de teste

Missão USSF-12 decolou num Atlas V 541

Um veículo lançador Atlas V 541 AV-094 da United Launch Alliance (ULA) lançou a missão USSF-12 diretamente para a órbita geossíncrona, do Space Launch Complex 41 (SLC-41) na Estação da Força Espacial de Cabo Canaveral, Flórida, em 1º de julho de 2022, às 23h15 UTC (20h15 de Brasília). A missão USSF-12 para o Comando de Sistemas Espaciais da Força Espacial dos EUA (SSC) teve duas cargas : o Wide Field of View (WFOV) para o Space Sensing Directorate do SSC e a espaçonave USSF-12 ‘Ring’ para o Programa de Teste Espacial STP do Departamento de Defesa. O Atlas V transportou ambas as espaçonaves diretamente à órbita geossíncrona aproximadamente 35.500 km acima do equador aproximadamente 6 horas após a decolagem. Segunda queima do estágio Centauro estava prevista para elevar a órbita para 186 x 36.334 km x 26,2 graus de inclinação.

Liberação do WFOV

Uma terceira ignição às 0459 UTC colocou o veículo em uma órbita de 36.106 x 36.168 km x 0,0 graus, e as cargas úteis seriam liberadas junto com um adaptador. A terceira queima do estágio superior Centauro foi completada, terminando a fase de voo propulsado para o lançamento dos dois satélites. O adaptador especial que permitiu ao Atlas V transportar as duas cargas úteis foi descartado com sucesso abrindo caminho para a liberação do anel USSF-12 Ring. A espaçonave USSF-12 Ring para foi liberada pelo Centauro, completando o lançamento. A missão USSF-12 decolou do Cabo Canaveral após um atraso de 24 horas na quinta-feira devido ao clima, bem como atrasos climáticos adicionais no início da janela de sexta-feira. O primeiro e o segundo estágios do Atlas V se separaram quatro minutos e meio após a decolagem, logo seguidos por uma ignição de mais de seis minutos do motor do estágio Centauro.

Ejeção do adaptador de transição

O satélite Wide Field of View (WFOV), é uma plataforma de testes para uma nova geração de tecnologia de vigilância de mísseis. O outro satélite, o STP é um chassi que hospedava uma série de demonstrações de tecnologia para o Departamento de Defesa dos EUA. Foi chamado, simplesmente, de USSF-12 Ring. O satélite WFOV e o USSF-12 Ring foram projetados para operação por até três anos. O WFOV possui um sensor de imagem com mais de 2 metros, que foi construído pela L3Harris Technologies, uma empresa que também produziu componentes ópticos para os telescópios espaciais Hubble e James Webb da NASA, bem como para o telescópio espacial Nancy Grace Roman, que está atualmente em desenvolvimento. O sensor foi projetado para um novo tipo de sistema de detecção – o rastreamento de armas hipersônicas – e o WFOV ajudará o SSC a calibrar sua precisão. O principal objetivo do WFOV é demonstrar que seu sensor pode executar simultaneamente uma missão estratégica – observando lançamentos de mísseis em seu campo de visão – ao mesmo tempo em que se concentra em alvos mais estreitos de significado tático. Ao fazê-lo, demonstrará técnicas e algoritmos que serão vitais para o sucesso das futuras missões do NG-OPIR. O WFOV não faz parte da constelação Tracking Layer da Agência de Desenvolvimento Espacial, outro sistema experimental de detecção de mísseis programado para ser lançado em um futuro próximo, que inclui vários satélites. Dado que a L3Harris, fabricante da carga útil infravermelha do USSF-12 WFOV, é a principal contratada para quatro dos satélites de rastreamento, no entanto, é provável que haja algumas semelhanças e equipamentos potencialmente compartilhados.

Liberação do anel USSF-12 Ring

Os sucessores do WFOV, os satélites do programa OPIR, estão a caminho de ser lançados em 2025, de acordo com um comunicado do SSC, com um total de cinco programados para até 2028. Tanto o WFOV quanto o USSF-12 Ring são considerados cargas úteis classificadas em apoio à segurança nacional, portanto, não há muita informação disponível para nenhum deles. No entanto, representantes de agências governamentais e empreiteiras puderam oferecer alguns detalhes. O USSF-12 Ring foi construído pela Northrop Grumman com base na linha de produtos ESPAStar da empresa. Este anel está sendo controlado pelo DoD e possui seis suportes de carga útil exclusivos, bem como um sistema de propulsão independente, disse Matt Verock, vice-presidente de segurança espacial da Northrop Grumman. O DoD não divulgou detalhes sobre nenhuma dessas cargas, mas o diretor do programa, tenente-coronel Jon Shea, disse que o USSF-12 Ring e suas cargas irão “lançar os principais desbravadores para recursos futuros e oferecer tecnologias inovadoras para nos ajudar a avançar em futuras missões”.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: