Coréia do Sul lança novo foguete com satélites de teste

Lançamento do segundo KSLV2 ‘Nuri’ foi bem-sucedido

Foguete decola da província costeira da Coréia do Sul

O foguete sul-coreano Nuri nº 2 (KSLV-II nº 2) foi lançado da plataforma LC-2 do Centro Espacial Naro, na província de Jeolla-nam-do pelo Korea Aerospace Research Institute (KARI) hoje, 21 de junho de 2022. O foguete de três estágios, com mais de 47 metros de comprimento e pesando 200 toneladas, foi lançado às 16h, horário local (03:00 hora de Brasilia). Um satélite de 162,5 kg projetado para verificar o desempenho do foguete fez contato com sucesso com uma estação base na Antártida depois de entrar em órbita, disseram autoridades. O foguete colocou em órbita um simulador de satélite de 1,3 tonelada e quatro pequenos satélites tipo cubesat desenvolvidos por universidades. Segundo informações da mídia sul-coreana, foram transportados os seguintes satélites : o Performance Verification Satellite – PVSAT; O cubesat (tipo 6U) STEP Cube Lab-II; outro cubesat (tipo 3U) SNUGLITE-II; o cubesat (3U) MIMAN “Cubesat Yonsei”; e o cubesat 3U RANDEV “ASTRIS 2”. Os cubesats foram desenvolvidos na Universidade Nacional de Seul, na Universidade Yonsei, na Universidade Joseon e no Instituto de Ciência e Tecnologia da Coréia (KAIST) e realizarão missões de observação da Terra, como o monitoramento da atmosfera, por até dois anos. A órbita-alvo é uma SSO (sincronizada com o sol) com 700 km de altitude média. O ultimo estágio colocou as cargas em órbita cerca de 15 minutos após a decolagem. Inicialmente, Nuri estava programado para ir ao espaço em 15 de junho, mas o lançamento foi adiado para o dia 16 devido a fortes ventos nas proximidades do espaçoporto. Durante a preparação, especialistas descobriram um problema em um sensor para medir o nível de oxidante no tanque, que apresentou dados anormais. O foguete foi levado para o hangar, onde especialistas inspecionaram os equipamentos e substituíram as peças.

Relação de cubesats lançados
Foguete Nuri KSLV-II tem 47,2 metros e 203 toneladas na decolagem

O presidente Yoon Suk-yeol assistiu ao lançamento de seu escritório e agradeceu a todos os envolvidos ao ser informado por Lee e outros sobre o sucesso, prometendo manter a promessa eleitoral de criar uma nova agência para cuidar dos assuntos espaciais, de acordo com um comunicado de seu escritório.
“O céu do universo coreano está agora aberto”, disse o ministro da Ciência e Tecnologia, Lee Jong-ho, em um briefing. “Nossa ciência e tecnologia fizeram grandes avanços”… “… fruto dos difíceis desafios dos últimos 30 anos. Agora, o sonho e a esperança de nosso povo coreano e de nossos jovens alcançarão o espaço.” O foguete KSLV-II Nuri de três estágios, projetado pelo KARI para eventualmente colocar cargas úteis de 1,5 tonelada em órbita de 600 a 800 km, é uma pedra angular das metas ambiciosas do país para redes 6G, satélites espiões, e até sondas lunares. Ele usa apenas tecnologias de foguetes coreanas e é o primeiro veículo de lançamento espacial construído no país. O último impulsionador da Coreia do Sul, lançado em 2013 após vários atrasos e vários testes fracassados, foi desenvolvido em conjunto com a Rússia.

No primeiro teste de Nuri em outubro, o foguete completou suas sequências de voo, mas não conseguiu colocar a carga útil de teste em órbita depois que seu motor de terceiro estágio queimou antes do planejado. Os engenheiros ajustaram o tanque de hélio dentro do tanque oxidante de terceiro estágio de Nuri para resolver esse problema, informou a agência de notícias Yonhap. O KARI disse que planeja pelo menos mais quatro lançamentos de teste até 2027. Nuri é fundamental para os planos sul-coreanos de construir um sistema de navegação coreano baseado em satélite e uma rede de comunicações 6G. O país também planeja lançar uma série de satélites militares, mas as autoridades negam que o Nuri tenha qualquer uso como arma.

A Coreia do Sul também está trabalhando com os Estados Unidos em um orbitador lunar e espera pousar uma sonda na Lua até 2030. Após o lançamento bem-sucedido de terça-feira, a Embaixada dos EUA em Seul disse no Twitter que está ansiosa pela cooperação entre EUA e Coreia do Sul no espaço. Os lançamentos espaciais têm sido uma questão delicada na península coreana, onde a Coreia do Norte enfrenta sanções por causa de seu programa de mísseis balísticos com armas nucleares. Em março, os militares da Coreia do Sul supervisionaram o que disseram ser seu primeiro lançamento bem-sucedido de um foguete espacial de combustível sólido, outra parte de seus planos de lançar satélites espiões. Nos últimos anos, a Coreia do Sul e os Estados Unidos concordaram em eliminar os limites bilaterais ao desenvolvimento de mísseis e foguetes de Seul, abrindo caminho para novos lançamentos civis e militares. Antes desta missão, apenas Rússia, Estados Unidos, União Europeia, China, Japão e Índia haviam desenvolvido um veículo de lançamento espacial capaz de transportar um satélite de mais de 1 tonelada, segundo o KARI. A Coreia do Sul tentou lançar pela primeira vez um satélite simulado com um foguete Nuri em outubro passado. A tentativa falhou quando o motor do terceiro estágio desligou prematuramente e o satélite não conseguiu atingir a órbita baixa.

Terceiro estágio com o adaptador de carga útil e o simulador de satélite

Indústria espacial em expansão

A Coréia do Sul tem lutado para acompanhar seus vizinhos asiáticos na corrida espacial. Como um veículo de lançamento coreano de três estágios, o Nuri pode colocar diretamente um satélite de 1,5 tonelada em uma órbita síncrona solar de 600-800 km. Como motorização, tem um motor de propelente líquido KRE-075 SL de 75 toneladas-força (em duas versões) e outro motor líquido KRE-007 da classe de 7 toneladas. O primeiro estágio consiste em quatro motores agrupados KRE-075 SL, o segundo possui um motor KRE-075 Vacuum otimizado para funcionar no vácuo com 75 toneladas-força e o terceiro estágio, o motor KRE-007 Vacuum de sete toneladas.
O Nuri foi desenvolvido com tecnologia nacional independente em todos os processos de projeto, fabricação e teste. A fase 1 do projeto de desenvolvimento construiu uma instalação de teste de motor de propulsão e realizou o teste de combustão do motor de 7 toneladas. A fase 2 desenvolveu o motor de 75 toneladas e conseguiu lançar o veículo lançador de teste (2018). O veículo de lançamento de teste de estágio único consistia em no motor de 75 toneladas para verificar o desempenho de voo. Com o lançamento bem-sucedido do veículo de teste, a Coréia se tornou o sétimo país do mundo a ter um motor de foguete líquido de médio a grande porte de 75 tf ou mais. O Nuri está atualmente passando pela fase final 3 de desenvolvimento. O KARI concluiu a verificação do segundo e terceiro estágios lançando o veículo de teste e o teste de combustão abrangente dos três estágios, e passou montar o modelo de voo, quando iniciou o teste de combustão integrada para verificar a tecnologia de agrupamento de quatro motores de 75 toneladas e o desempenho do 1º estágio. O primeiro lançamento do Nuri, em 2021, não transportava um satélite operacional, pois se concentrava na verificação do desempenho do veículo lançador. O segundo lançamento para verificação de desempenho é que teria um satélite carregado. Depois, o Nuri cumprirá a missão de lançar satélites desenvolvidos internamente de 2022 a 2027. Os dois primeiros lançamentos de foguetes sul-coreanos, em 2009 e 2010 (os KSLV-I Naro) usaram motores desenvolvidos na Rússia, e ambos não conseguiram alcançar a órbita. Em 2013, a Coreia do Sul finalmente conseguiu enviar um foguete para a órbita baixa da Terra – mas isso também foi desenvolvido usando tecnologia russa.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: