NASA seleciona primeira equipe para o Starliner

Whitmore e Williams, veteranos, farão o voo de prova pilotado da nave da Boeing

Suni Williams, Mike Fincke e Barry Wilmore estão junto de um foguete Atlas V encimado por uma espaçonave Starliner em maio de 2022, um dia antes do lançamento da missão Orbital Flight Test-2 (OFT-2). (Boeing/John Grant)

A NASA selecionou a primeira tripulação a voar a bordo da nova espaçonave comercial da Boeing. Barry “Butch” Wilmore e Sunita “Suni” Williams voarão no Crew Flight Test (CFT) da espaçonave CST-100 Starliner, com lançamento talvez ainda este ano. Os dois astronautas veteranos passarão cerca de duas semanas na órbita da Terra, com a maior parte da missão na Estação Espacial Internacional. As atribuições são a mais recente mudança da NASA para o complemento da tripulação CFT, que viu pelo menos três outros astronautas se prepararem para a missão desde 2018. Wilmore, que comandará o voo de teste, foi adicionado pela primeira vez à tripulação   em outubro de 2020, quando   o astronauta Chris Ferguson, ex-comandante do ônibus espacial da NASA, se retirou da missão, citando preocupações familiares. Wilmore já havia registrado 178 dias no espaço em duas missões, incluindo uma estadia de longa duração na estação espacial.

Williams tem servido como piloto de teste reserva para CFT enquanto foi designada como comandante da missão Starliner-1, a primeira missão pós-certificação da Boeing. Como piloto do CFT, Williams substitui Nicole Mann, que estava na tripulação original designada para a missão em 2018. A NASA transferiu Mann para a Crew-5 da SpaceX em outubro de 2021. O CFT será o terceiro voo de Williams depois de passar 322 dias a bordo de duas expedições na ISS.

Barry “Butch” Wilmore (à esquerda) e Suni Williams dentro de uma CST-100 Starliner ainda em montagem durante uma visita de 2017 ao Commercial Crew and Cargo Processing Facility no Kennedy Space Center, Flórida. 
(Boeing/John Profes)

Mike Fincke, que substituiu o colega americano Eric Boedevido a um problema médico não especificado em janeiro de 2019, foi removido da equipe principal do CFT. Fincke agora servirá como reserva para Wimore e permanece elegível para uma missão futura. Ele começou a trabalhar no Starliner como assistente do chefe da tripulação comercial no escritório de astronautas do Johnson Space Center em 2015. “Mike Fincke dedicou os últimos nove anos de sua carreira a essas primeiras missões da Boeing e Suni os últimos sete. Butch fez um trabalho maravilhoso liderando a equipe como comandante da espaçonave desde 2020”, disse o astronauta-chefe Reid Wiseman em comunicado. “Estamos todos ansiosos para torcer por Butch e Suni quando eles voarem na primeira missão tripulada do Starliner”.

A redução de três para dois tripulantes no CFT foi baseada nos recursos atuais da estação e nas necessidades de programação. Uma missão de curta duração com apenas dois pilotos de teste   é suficiente para atender a todos os objetivos   da NASA e da Boeing para o CFT, que incluem demonstrar a capacidade do Starliner de voar com segurança em missões tripuladas operacionais de e para a estação espacial. Para proteger contra eventos imprevistos com transporte para a estação, a NASA pode estender a duração do CFT em modo acoplado em até seis meses e adicionar um astronauta adicional posteriormente, se necessário.

A NASA e a Boeing continuam realizando análises de dados do Orbital Flight Test-2 (OFT-2) não tripulado, missão concluída em maio: a cápsula Starliner que voou nessa missão foi devolvida ao Centro de Processamento de Carga e Tripulação Comercial da Boeing no Centro Kennedy na Flórida, onde está recebendo verificações do sistema e inspeções.

A equipe da Boeing está no processo de passar os dados iniciais do voo de teste à NASA e determinar conjuntamente o trabalho futuro antes do CFT. Espera-se que essas revisões de engenharia e programa continuem por várias semanas, culminando em uma avaliação do cronograma de lançamento no final de julho, com base na prontidão da espaçonave, necessidades de programação da estação espacial e disponibilidade para lançamento da Estação da Força Espacial de Cabo Canaveral, na Flórida.

“O Starliner e o Atlas V tiveram um bom desempenho durante todas as fases do OFT-2, e agora estamos analisando cada sistema para determinar o que precisa ser atualizado ou melhorado antes do CFT, assim como fazemos com todos os outros voos tripulados. ” disse Steve Stich, gerente do programa de tripulação comercial da NASA. “Além disso, Butch, Suni e Mike foram fundamentais no desenvolvimento do Starliner no caminho para ter um segundo sistema de transporte de tripulação da estação espacial”.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: