Assinado o contrato da estação espacial russa

Roskosmos e Energiya celebram acordo de esboço de design da ROSS

Visão artística da ROSS

A agência espacial russa Roskosmos e a corporação de foguetes e espaço RKK Energiya assinaram um contrato para elaborar o projeto conceitual da futura estação orbital nacional, de acordo com materiais publicados no site de compras do governo russo hoje, quinta-feira, 5 de maio. “O contratado geral deve assumir uma tarefa do cliente para realizar um trabalho de P&D [pesquisa e desenvolvimento] intitulado: ‘Criação o Complexo Espacial da Estação Orbital Russa’ “, diz o contrato. O trabalho deve ser concluído em 31 de março de 2024. O contrato vale quase 2,69 bilhões de rublos (cerca de US$ 41 milhões).

Como a Energiya especificou à agência TASS, o trabalho no projeto da futura estação já está em andamento. “Em abril deste ano, a Roskosmos e a Energiya assinaram um contrato para a elaboração do projeto conceitual e a equipe da Energiya já vem realizando trabalhos nesta área há algum tempo por instrução do chefe da Roskosmos, “, disse a assessoria de imprensa da empresa.
Em abril de 2021, o vice-primeiro-ministro Yury Borisov disse que a condição da ISS deixava muito a desejar e, por esse motivo, a Rússia deveria se concentrar na criação de seu próprio posto orbital. A corporação Energiya foi encarregada de entregar o primeiro módulo de uma futura estação orbital em 2025. O módulo de pesquisa e eletricidade que originalmente deveria se juntar à ISS em 2024 será usado como base. O conselho de ciência e pesquisa Roskosmos emitiu recomendações para incluir a criação de um projeto técnico para uma nova estação orbital no Programa Espacial Federal de 2025. No final de fevereiro deste ano, o CEO Dmitry Rogozin, disse que prosseguir com o projeto da ISS e construir uma nova estação orbital ao mesmo tempo seria problemático devido a restrições financeiras. Ele sugeriu o que descreveu como um “período de sobreposição”, quando a ISS e a ROSS seriam usadas simultaneamente.

A ROSS deve ser capaz de abrigar uma tripulação de duas a quatro pessoas, ser servida por uma a duas naves tripuladas e uma a três naves de carga por ano, e terá um total de 667 m3 de espaço interno

O trabalho de projeto conceitual de uma futura estação orbital russa (Rossiyskaya Orbital’naya Sluzhebnaya Stantsiya, ou
Estação de Serviço Orbital Russa – ROSS) incluirá duas etapas. A primeira etapa prevê a análise dos cenários de implantação e inclinação da órbita alvo, incluindo o cenário de desacoplamento dos módulos operacionais do segmento russo da Estação Espacial Internacional (ISS). Especialistas também calcularam o custo de transporte de 1 kg de carga, o custo de montagem em órbita da estação em sua configuração inicial e transferência de veículos espaciais da órbita-alvo da ROSS para uma órbita próxima à Lua. Esta etapa deve ser concluída até junho deste ano e seus resultados serão analisados ​​pelo Conselho Científico e Técnico da Roskosmos.
A ROSS deveerá consistir em três a sete módulos, e de duas a quatro pessoas poderão habita-la. Os cosmonautas trabalharão de forma rotativa para reduzir o consumo e a carga de radiação na tripulação. Entre as tarefas estarão o sensoriamento remoto, pesquisas e experimentos, comunicações e navegação, detecção de desastres causados ​​pelo homem, implementação de projetos educacionais no interesse das universidades, exploração geológica, monitoramento florestal e turismo espacial.

A estação terá um séquito de espaçonaves-acompanhantes, para funções de serviço, aplicação e teste de tecnologias

De acordo com a atribuição técnica, a segunda etapa durará até março de 2024. Prevê-se a elaboração do projeto e das especificações da estação orbital com base nos resultados da primeira etapa. Os especialistas também vão estudar as questões de como dotar a nova estação orbital de comunicações, treinar cosmonautas, transportar medicamentos, as opções de operação nos modos tripulado e não tripulado, o uso de sistemas robóticos e outros assuntos.

O vice-primeiro-ministro russo Yury Borisov anunciou em abril de 2021 que a condição da Estação Espacial Internacional (ISS) deixou muito a desejar e a Rússia pode se concentrar na criação de seu próprio posto orbital. A Energiya Space Rocket Corporation da Rússia recebeu a tarefa de preparar o primeiro módulo básico para uma nova estação orbital russa em 2025. O novo módulo será baseado em uma unidade de pesquisa e Energiya que anteriormente foi destinada ao lançamento na Estação Espacial Internacional em 2024..

O Conselho Científico e Técnico da Roskosmos recomendou que o trabalho de criação do projeto técnico da nova estação orbital da Rússia seja incluído no programa espacial federal de 2025. No final de fevereiro deste ano, o chefe Rogozin disse que seria difícil implementar simultaneamente o projeto da ISS e o projeto de construção de um novo posto orbital nacional devido a restrições financeiras. Ele também disse que era necessário estipular algum “período de sobreposição” quando o ISS e o ROSS operariam simultaneamente por algum tempo.

O plano de efetivação da ROSS deve se sobrepor à participação russa na ISS

Softwares ilegais banidos

Qualquer risco de início não autorizado do software responsável pela operação da futura estação orbital será descartado. Esta questão será escrutinada de perto durante a fase de desenho, conforme decorre dos termos de referência disponíveis no site de compras do Estado. “Os recursos cibernéticos a bordo devem descartar o risco de lançamento não autorizado de programas de controle. A possibilidade de emitir comandos não autorizados para os dispositivos executivos e sistemas a bordo deve ser evitada da mesma forma”, dizem os termos de referência.

Origens da decisão de construção da ROSS

Em abril de 2021, o presidente Vladimir Putin aprovou a criação de uma alternativa à Estação Espacial Internacional (ISS) durante uma reunião fechada sobre o desenvolvimento da indústria espacial. De acordo com o Moskovsky Komsomolets em 12 de abril de 2021, a construção do ROSS deveria começar em um futuro próximo, a fim de evitar um grande intervalo de tempo entre a conservação do segmento russo na ISS e o aparecimento de uma nova área de trabalho em órbita. A data estimada para a conservação do antigo segmento da ISS era anteriormente 2025, agora estendida para 2030. O secretário de imprensa do presidente da Rússia, Dmitry Peskov disse em abril de 2021 que a questão da conveniência de continuar a participação da Rússia no projeto da Estação Espacial Internacional foi discutida no dia anterior em uma reunião espacial com Putin. De fato, foi dito na reunião que “a ISS e o segmento russo não são eternos. O design se “cansa” com o tempo e, mais cedo ou mais tarde, você precisará tomar uma decisão final. A conveniência de continuar este trabalho, a elaboração desta questão foi muito enfatizada durante a reunião”, disse à época o porta-voz do Kremlin.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: