Rússia lança satélite usando um Angara de classe leve

Foguete decolou de Plesetsk

Imagem atribuída ao lançamento do Angara

Hoje, sexta-feira 29 de abril de 2022, o foguete leve Angara-1.2 foi lançado do cosmódromo de Plesetsk, na região de Arkhangelsk, com uma espaçonave EMKA Nº 3 (chamado oficialmente Kosmos 2555) , para o Ministério da Defesa russo.

O Angara-1.2 número 1L / 71602 decolou do “Cosmódromo Norte” às 19.55.22.612 UTC/ 22:55.22.612 hora de Moscou (16:55.22.612 hora de Brasilia)
“… às 22h56, horário de Moscou, a equipe de combate das Forças Aeroespaciais lançou com sucesso um veículo de lançamento de classe leve Angara-1.2 com uma espaçonave no interesse do Ministério da Defesa russo a partir da mesa nº 1 da área 35 do Cosmódromo de Teste Estatal de Plesetsk ” – disse o comunicado oficial.
O controle de rastreio americano indicou que o satélite foi colocado em uma órbita quase circular síncrona com o Sol de 279 x 294 km, inclinada em 96.44º , sendo que a órbita do EMKA mais recente foi de 319 x 347 km, 96.64 graus e período de 90,94 minutos.

Imagem do Angara divulgada pelo diretor da agência espacial russa

Todas as operações de pré-lançamento e o lançamento do foguete ocorreram no modo normal. O controle de lançamento e vôo do foguete foi realizado por um “complexo de controle automatizado baseado em terra”.

O Ministério da Defesa confirmou que o satélite foi inserido com sucesso na órbita planejada e que a telemetria constante está sendo recebida dele. O satélite se separou do foguete às 20h18 UTC. O Kosmos-2555 entrou em órbita síncrona do sol de 279 x 294 km com uma inclinação de 96,44 graus no horário local às 11:30. Ao mesmo tempo, de acordo com dados ocidentais, após a separação do satélite, o estágio superior AM, por volta das 02:03, horário de Moscou, em 30 de abril, foi observado sobre o Reino Unido, realizando o que foi inicialmente percebido como reentrando na atmosfera da Terra ou despejando combustível. No entanto, seus dados de rastreamento de órbita mostraram que o bloco AM na verdade elevou seu apogeu a uma altitude de cerca de 500 km, provavelmente simulando a capacidade de transportar uma carga útil a uma órbita mais alta, e depois foi desorbitado sobre o Oceano Pacífico.

O Angara lançado hoje tem um segundo estágio de diâmetro menor que o dos utilizados anteriormente. A carenagem da cabeça é um modelo 14S733.

Estes parâmetros são bastante semelhantes à órbita inicial do Kosmos-2551, que foi lançado em 295 x 307 km x 96,4 graus no mesmo plano orbital em setembro passado. De acordo com alguns observadores ocidentais, o veículo lançado foi mesmo um satélite militar de reconhecimento óptico da série EMKA (possível designação também como Zvezda e Razdan-N ) produzido pelo A. G. Iosifyan JSC VNIIEM, anteriormente o Instituto de Pesquisa de Eletromecânica Russo VNIIEM).

Este foi o primeiro lançamento do Angara-1.2 em execução em série, cujo principal desenvolvedor é o Centro Estatal de Pesquisa e Produção Espacial M. V. Khrunichev. Inicialmente, o foguete Angara-1.2, de acordo com o projeto, teria dois estágios e deveria usar dois módulos de bloco de foguetes universais : URM-1 como primeiro estágio e URM-2 como segundo. Produzido nesta forma em 2014, o teste de lançamento do protótipo do foguete Angara-1.2, designado como Angara-1.2PP (PP – Perviye Pusk, “primeiro lançamento”, código 14A125-01, número nº 71601), de Plesetsk ao longo de uma trajetória suborbital. 21 minutos após o lançamento, a carga útil do modelo de peso não destacável pesando 1.430 kg com o segundo estágio caiu em uma determinada área do local de teste de Kura na Península de Kamchatka a uma distância de 5.700 km.
De fato, posteriormente o projeto foi completamente redesenhado, tornando-se essencialmente um foguete de três estágios, incluindo o bloco URM-1 como primeiro estágio (com o motor RD-191), um segundo estágio especialmente projetado com diâmetro de 2,9 m (com o motor RD -0124A, usado no URM-2) e um módulo agregado destacável AM como terceiro estágio (equipado com quatro motores pequenos 11D458 com empuxo de 40 kgf e 14 motores 17D58E com empuxo de 1,3 kgf). O módulo AM foi originalmente apresentado nas primeiras versões do projeto do Angara-1.2 na década de 1990. O comprimento do Angara-1.2 neste projeto é de cerca de 41,5 m, com peso de lançamento de aproximadamente 171 toneladas, e carga útil é de 3.800 kg quando lançado em uma órbita de referência baixa com uma altitude de cerca de 200 km (foi nesta forma o primeiro lançamento do foguete serial Angara-1.2 Nº 1L)

As observações do que parece ter sido a ignição de órbita do estágio AM do Angara-1.2 sobre a Europa Ocidental às 2303 UTC de 29 de abril não são muito consistentes com os two-line elements TLEs (elementos orbitais) do Kosmos-2555 e sugerem que o estágio elevou sua órbita para cerca de 500 km apogeu após a ejeção do satélite. O estágio AM passou por testes adicionais após a separação do satélite, e foi colocado em uma órbita mais alta não apenas para testar os sistemas de propulsão, mas também para melhorar sua visibilidade nas estações de rastreamento russas, permitindo que obtivessem melhor telemetria.

Angara no prédio de integração e testes

O Angara faz parte de uma família de veículos de lançamento russos fabricados em Omsk pela Polyot (parte do Centro M.V. Khrunichev da Roskosmos). O primeiro Angara-1.2PP ( 14A125-01 No. 71601 ) foi o primeiro veículo de voo da família Angara . Seu lançamento foi realizado com sucesso em 9 de julho de 2014 . Esta missão suborbital de uma configuração de bloco único com partes de variações das famílias Angara-1 e Angara-A3 serviu como demonstração de desenvolvimento antes de seu uso operacional. O voo ocorreu de acordo com o plano . O segundo estágio entrou em uma trajetória suborbital ( inclinação de 75,2° ± 2′; perigeu previsto 1008,527 ± 5,8 quilômetros; apogeu previsto de 188,878 ± 0,3 quilômetros com período de revolução de 76,3 minutos ± 3,5 segundos), o voo o tempo foi de 21,28 minutos. O modelo de dimensão de massa de carga útil, inseparável do segundo estágio, caiu no polígono de teste em Kura na Kamchatka a cerca de 5.700 quilômetros do local de lançamento .

O chefe da Roskosmos, Dmitry Rogozin, lembrou que o mesmo foguete abrirá os testes da segunda etapa do cosmódromo de Vostochny. O Angara-1.2PP foi lançado até agora uma única vez em julho de 2014 também de Plesetsk. Mais cedo, em 11 de abril, Rogozin, falando sobre planos, disse que em dezembro de 2023 a versão leve do Angara será lançada de Vostochny, e o lançamento de mais um foguete Angara-A5 também estava planejado para este ano.

Antes disso, em 21 de janeiro, Rogozin informou que em 2022 estava planejado o lançamento de pelo menos dois Angaras. Depois de 25 de janeiro, o diretor da Roskosmos observou que estava sendo aventada a possibilidade de criar uma versão do foguete com um “pacote de retorno” de cinco blocos URM do primeiro estágio.

A espaçonave lançada pelo Angara 1.2

Concepção artística do EMKA (A. Zak – russianspaceweb.com)

O especialista Anatoly Zak, do russianspaceweb, assinala que “… uma revisão cuidadosa de fontes abertas feita por Bart Hendrickx, historiador espacial, estabeleceu uma forte ligação entre a missão e o programa ‘pequena espaçonave experimental’ Eksperementalny Maly Kosmicheskii Apparat EMKA, desenvolvido na corporação VNIIEM, com sede em Moscou. Em 2016, a organização divulgou em seu relatório anual que estava trabalhando em um complexo de sensoriamento remoto baseado na EMKA.
O documento também dizia que o lançamento do satélite estava programado para 2017 e a empresa estava se preparando para participar de seus testes e controle de voo.” O lançamento do primeiro EMKA (presumivelmente Zvezda-1, designação Kosmos-2525) foi realizada num foguete Soyuz-2.1V a partir de Plesetsk em 29 de março de 2018. O satélite operou em uma órbita com altitude de 270 km a 320 km e entrou na atmosfera em 1º de abril de 2021.

De acordo com fontes ocidentais, o aparelho EMKA era experimental e realmente atuou como um protótipo de demonstração de satélite de reconhecimento óptico de pequeno porte da nova geração da série Razbeg desenvolvida pela mesma VNIIEM. Presumivelmente, tinha uma massa de cerca de 250 kg, e possivelmente menos, e está equipado com uma câmera digital desenvolvida pela OJSC Peleng (Bielorrússia), que tem uma resolução máxima de 0,9 metros no modo pancromático. O lançamento do primeiro satélite Razbeg sob a designação Kosmos-2551 foi realizado por um Soyuz-2.1V de Plesetsk em 9 de setembro de 2021, mas não teve sucesso – o dispositivo não funcionou a partir do momento entrou em órbita e queimou em 20 de outubro na atmosfera. Em vista disso, pode-se supor que o aparelho agora lançado pelo veículo de lançamento Angara-1.2 sob a designação Kosmos-2555 é o segundo satélite da série Razbeg.

“A base de dados pública russa de rastreamento de aquisições federais também mencionou um contrato entre a corporação VNIIEM e o Ministério da Defesa para o desenvolvimento de um satélite assinado em 23 de outubro de 2015. Um contrato separado cobria a entrega do contêiner com a espaçonave EMKA de Moscou a Plesetsk, que aparentemente ocorreu em 24 de fevereiro de 2018, a bordo de um avião de transporte Il-76 partindo do aeródromo de Chkalovsky. Por fim, vários outros documentos de aquisição do governo russo listaram a compra de vários serviços da VNIIEM e estão associados ao projeto EMKA.” “Em uma publicação de 2014, de coautoria de executivos líderes do VNIIEM e um oficial da Academia Pedro, o Grande das Forças de Mísseis Estratégicos, foi divulgado que a empresa havia começado a trabalhar num pequeno satélite MKA-V destinado a capturar imagens da superfície terrestre de alta resolução. As aplicações de defesa foram listadas entre vários objetivos de sua missão.”

Em 1 de março passado, p Diretor Geral do Centro. M. V. Khrunichev, Alexei Varochko, dissera que onze veículos lançadores Angara estão em produção na fábrica Polyot (em Omsk, uma filial do Centro Khrunichev): três Angara-1.2 classe leve e oito Angara-A5 classe pesada. Em abril, o diretor da Roskosmos, Dmitry Rogozin, afirmou que no momento há oportunidade de produzir pelo menos quatro foguetes Angara pesados e pelo menos dois leves nas instalações de Omsk na Sibéria. E em um ano produzir-se-ão oito foguetes Angara pesados e dois leves, que cobrem completamente todas as necessidades de qualquer cliente, seja Roskosmos ou o Ministério da Defesa.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: