China lança observatório da atmosfera

Longa Marcha 4C decolou de Taiyuan

Foguete decolou do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan, Província de Shanxi, norte da China

Homem do Espaço com informações de Igor Lissov

Um foguete Longa Marcha-4C (CZ-4C No. Y28) lançou o Atmospheric Environment Monitoring Satellite (AEMS) do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan, Província de Shanxi, norte da China, 15 de abril de 2022, às 18:16 UTC (16 abril, às 02:16 hora local). Segundo fontes oficiais, o satélite entrou na órbita desejada. O AEMS, também conhecido como Daqi-1 (大气一号, Dàqì yī hào, Atmosfera-1), é descrito como “o primeiro satélite do mundo com capacidade de detecção a laser de CO₂” que pode “realizar a detecção de dióxido de carbono durante todo o dia e de alta precisão”. O satélite Daqi foi catalogado em uma órbita sincronizada solar de 681 x 690 km x 98,1 graus com um plano orbital de 01:35 hora local. O estágio superior do foguete estabeleceu-se em uma órbita de 500 x 691 km. Foi o 454º lançamento espacial chinês, o 416º para a família de foguetes Longa Marcha, o 157º para os porta-aviões fabricados em Shangai e o 90º para os foguetes Longa Marcha-4B.

O desenvolvedor do Lidar do DQ-1 é o Instituto de Óptica e Mecânica Fina de Shangai. O sistema óptico do Lidar e o espectrômetro de câmera de banda larga foram criados no Instituto de Física Técnica de Shangai. Os três instrumentos restantes foram fornecidos pelo Instituto Anhui de Óptica e Mecânica Fina da Academia de Ciências Físicas de Pesquisa de Hefei da Academia Chinesa de Ciências.

Cargas úteis
Detecção de aerossol e dióxido de carbono lidar ACDL(Aerosol and Carbon Dioxide Detection Lidar) é usado para sondagem vertical 24 horas por dia da atmosfera da Terra. Um sinal de laser é emitido com comprimento de onda de 1572 nm, energia de pulso de 75 mJ, duração de 15 ns e taxa de repetição de 200 μs, alternadamente em dois estados, off-line e on-line. O sinal refletido é recebido através de um telescópio Schmidt-Cassegrain com abertura de 1 m e campo de visão de 0,2 mrad (0,7′), que corresponde a 140 m na superfície da Terra e passa por um sistema de registro que determina a absorção diferencial no caminho integral devido à passagem do feixe de laser através de nuvens e aerossóis na presença de dióxido de carbono. Comparado aos instrumentos passivos, o lidar oferece alta resolução espacial e é menos sensível à presença de nuvens e aerossóis. Lidar (LiDaR) é um aparelho de telemedição por pulsos de luz ou laser,

O espectrômetro de câmera de banda larga WSI (Wide Spectral Imager) está fotografando em 21 canais espectrais na faixa do visível ao infravermelho térmico em uma banda larga de 2300 km com a melhor resolução de 75 m, formando diariamente um “retrato” global de a Terra. O dispositivo detecta aerossóis e poeira fina, poluição atmosférica, fumaça de grama queimada, nebulosidade.

Atmospheric Environment Monitoring Satellite (AEMS)

A câmera de polarização multi-ângulo DPC-II (Eng. Directional Polarization Camera) é uma modificação do dispositivo DPC do satélite Gaofen-5 e, por sua vez, era uma versão aprimorada do dispositivo POLDER-3 no Parasol francês satélite (NC nº 2, 2005). O instrumento fornece medições de polarização multi-ângulo e multi-espectral para caracterizar aerossóis na atmosfera da Terra (densidade óptica, coeficiente de retroespalhamento, etc.), conteúdo total de vapor de água e dados de cobertura de nuvens.

O polarímetro de varredura de aerossol POSP (Particulate Observing Scanning Polarization) opera na faixa de 410 a 2250 nm e é capaz de “separar” os processos de polarização associados às características da superfície e da atmosfera, o que permite medir com mais precisão a componente atmosférica e obter dados mais confiáveis ​​sobre a concentração de partículas de aerossol na superfície da Terra. Via de regra, ele é pareado com um DPC-II, usando as mesmas faixas de medição e tendo o mesmo campo de visão, de modo que os dois instrumentos se complementam.

O hiperespectrômetro de pequenos componentes para estudos ambientais EMI-II (Eng. Environmental Trace Gas Monitoring Instrument) é uma modificação do instrumento EMI do satélite Gaofen-5, construído como um análogo do instrumento OMI na espaçonave americana Aura (NC No. 9 , 2004). O dispositivo realiza medições na faixa ultravioleta e visível, que determinam a distribuição global de pequenos componentes atmosféricos (O 3 , NO, NO 2 , SO 2 , HCHO, BrO, OClO e outros compostos) com resolução espacial de 24 km e sua dinâmica.

A organização e gestão do projeto Daqi-1 foi de responsabilidade da Administração Espacial Nacional Chinesa, que é o “rosto” civil da Administração Estatal de Ciência, Tecnologia e Indústria de Defesa. A criação do sistema de aplicação foi confiada ao Ministério da Proteção Ambiental, à Administração Meteorológica da China, ao Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais e outros departamentos de acordo com suas áreas de responsabilidade. O Centro de Aplicações de Satélites Chineses de Recursos Naturais e a Academia de Pesquisa de Informação Aeroespacial da Academia Chinesa de Ciências foram responsáveis ​​pela criação de um sistema terrestre para receber e processar informações. A Academia SAST é responsável pela criação do satélite e do veículo lançador, enquanto a Diretoria Geral de Lançamentos, Controle e Controle de Satélites é responsável pelo lançamento em órbita e controle da espaçonave em voo.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Autor: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d blogueiros gostam disto: