Irã anuncia lançamento de foguete mas não confirma entrada em órbita

Foguete Simorgh teria missão de orbitar três satélites

Simorgh decola do Centro Imam Khomeini

Um porta-voz do Ministério da Defesa e Apoio das Forças Armadas anunciou o lançamento bem-sucedido de um foguete Simorgh hoje, quinta-feira 30 de dezembro de 2021, supostamente com três satélites de pesquisa – porém estes não entraram em órbita. De acordo com o anúncio da agência oficial de notícias IRNA, Seyed Ahmad Hosseini, Vice-Ministro da Cultura e Relações Públicas do Ministério da Defesa, afirmou: A este respeito, o projeto e o desenvolvimento da base espacial Imam Khomeini (que Aláh tenha misericórdia dele) e o foguete Simorgh foram incluídos no programa da indústria espacial do país.” Quanto ao desempenho dos satélites do Simorgh, ele disse: “Neste lançamento, o desempenho das instalações da base espacial e dos estágios do foguete foram realizados de forma correta e, por fim, foram alcançados os objetivos de pesquisa pretendidos. ” Ou seja, o porta-voz indicou um funcionamento satisfatório do foguete-portador mas não confirmou a entrada em órbita das espaçonaves. Mais adiante, Hosseini pareceu indicar que as três cargas úteis não seriam satélites, mas sim equipamentos de telemetria, ou até mesmo modelos dimensionais de massa contendo equipamentos de telemedidas.

O porta-voz observou: “Nesta missão de pesquisa espacial, pela primeira vez, três cargas de pesquisa foram lançadas simultaneamente a uma altitude de 470 km e a uma velocidade de 7.350 m/s”. Hosseini, informando que foram analisados os dados da telemetria, acrescentou: “Combinando os dados e analisando a performance do foguete, será feito o planejamento necessário para um lançamento operacional.” – indicando que o voo seria realmente um teste técnico do foguete e que as cargas não eram destinadas a entrar em órbita. Porém, o anúncio pode esconder uma falha de tentativa orbital, não atingindo a velocidade orbital com seu último estágio e conseguindo atingir apenas a altitude de 470 quilômetros e posteriormente caindo de volta ao solo. Para um teste deste tipo não seria normal a colocação de três cargas úteis de pesquisa diferentes – um único pacote de telemetria seria suficiente.

O lançador tem 87 toneladas de massa no lançamento

O Irã já fez cinco lançamentos com este foguete, começando em 2016 com um teste suborbital aparentemente bem-sucedido e mais quatro outras tentativas orbitais, em 2017, 2019, 2020 e a última em junho passado – todas sem sucesso. É difícil acreditar que os iranianos teriam feito apenas mais um teste suborbital após quatro tentativas orbitais anteriores.

O foguete Simorgh (“Fênix” em Persa) tem uma relação de volume dos tanques de oxidante / combustível de primeiro estágio de cerca de 1,4 (este estágio é derivado do foguete norte-coreano Unha-3). O primeiro estágio tem quatro motores controle de atitude com turbobomba separada com quatro motores LRE-4 (4D10V), cada um com duas turbobombas. O segundo estágio é um foguete Safir alongado, e com diâmetro expandido. Os dois primeiros estágios funcionam com propelentes líquidos hipergólicos – tetraóxido de nitrogênio e dimetil-hidrazina assimétrica. Acredita-se que o terceiro estágio é um Saman-1 com um motor de combustível sólido Arash-24.

Acredita-se que o Simorgh seja baseado na tecnologia de mísseis norte-coreanos, amplamente usada nos mísseis iranianos de médio alcance Shahab-3. As agências de inteligência dos EUA acreditam que a Coréia do Norte forneceu ao Irã dados de projeto, tecnologia de separação de estágios e equipamento de apoio para este e outros lançadores. O foguete Simorgh tem 26,5 metros de comprimento e uma massa de lançamento de 87.000 kg. Seu primeiro estágio com um diâmetro de 2,4 metros é movido por um conjunto de quatro motores derivados do foguete Shahab, cada um com até 37.000 kgf (360 kilonewtons ) de empuxo, além de um motor de quatro tubeiras verniers, usado para controle de atitude, produzindo um adicional de 14.000 kgf (140 kN ). Na decolagem, esses motores geram um total de 162.000 kgf (1.590 kN ) de empuxo. O segundo estágio, com um diâmetro de 1,5 metro, utiliza quatro motores menores (originalmente os motores vernier do foguete militar soviético R-27) produzindo 7.000 kgf, ou 69 kN. O terceiro é um estágio superior tipo Saman-1 movido a combustível sólido produzindo 1.300 kgf, ou 13 kN. de empuxo. O Simorgh é tido como capaz de colocar uma carga útil única de 350 kg ou uma carga principal e vários cubesats secundários em uma órbita terrestre baixa de 500 quilômetros.

O tempo total de vôo para uma órbita de 500-530 km é entre 480 e 495 segundos, e a separação do primeiro estágio deve ocorrer a uma altitude de 90 km e a uma velocidade de 2300 m / s. Então o segundo estágio são acionados e a carenagem de cabeça é descartada, e o satélite é então acelerado para 7400 m / s e colocado em órbita. Em contraste com seu antecessor Safir, o Simorgh é integrado e montado verticalmente na plataforma de lançamento; cada estágio é construído horizontalmente e posteriormente levado para a plataforma de lançamento, onde o empilhamento é concluído numa torre vertical de serviço.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: