Foguete japonês lança satélite britânico de comunicação amanhã

Inmarsat 6F1 decola de Tanegashima

Inmarsat-6 F1 – detalhes divulgados pela operadora
Inmarsat-6 F1

O foguete japonês H-IIA (H-2A-204 “Rocketto F45”) será lançado com o satélite britânico de telecomunicações Inmarsat-6 F1 na quarta-feira 22 de dezembro, informou o desenvolvedor Mitsubishi Heavy Industries (MHI). O lançamento está programado para ocorrer do Centro Espacial Tanegashima da plataforma LA -Y1, às 21h33, horário de Tóquio (11h33, horário de Brasília). O aparelho com cerca de 5.470 kg, criado pela Airbus Defense and Space, fará parte do grupo orbital da britânica Inmarsat, uma das maiores provedoras mundiais de serviços de telecomunicações.
O Inmarsat-6 F1 é um satélite de comunicações da operadora britânica Inmarsat, projetado e fabricado pela Airbus Defense and Space no chassi Eurostar 3000EOR. Parte da frota de satélites Inmarsat-6, será o primeiro satélite de carga útil dupla com recursos em banda L (a “ELERA”) e banda Ka (a “Global Xpress”).

Baia de motor do primeiro estágio do H-2A

Os satélites I-6 são citados pela Inmarsat como “os maiores e mais avançados satélites de comunicações comerciais já lançados, e também são os primeiros satélites híbridos da Inmarsat, apresentando cargas úteis de comunicações em banda L (ELERA) e banda Ka (Global Xpress). O I-6 F1 proporcionará o dobro da capacidade por feixe e o dobro da potência da geração anterior de satélites de banda L Inmarsat-4 (“I-4″), e muito mais dados podem ser transportados pela mesma quantidade de largura de banda. Adicione-se flexibilidade ilimitada de roteamento de feixe para atender à demanda segundo a segundo, mesmo em ‘hotpots’ congestionados, e os I-6s serão catalisadores para as capacidades do ELERA.” O I-6 F1, uma vez no espaço, estenderá seus dois painéis solares de 47 metros de envergadura, com um chassi estrutural de 7,5 metros de comprimento, 2,90 de altura e 1,99 m de largura, com uma antena parabólica da banda-L desfraldável de cerca de 8,9 metros de diâmetro feita de malha metálica. Um painel conjugado de nove pratos de banda Ka completa o arranjo da espaçonave.

Primeiro estágio do Mitsubishi H-2A


A empresa já possui 14 satélites em órbita geoestacionária com altitude de cerca de 36,8 mil km. Eles fornecem conectividade global de voz e dados de alta velocidade para clientes terrestres. O satélite de sexta geração é o primeiro de dois dos maiores e mais avançados dispositivos de comunicação comercial do Reino Unido. Esses são satélites de carga útil dupla, capazes de operar nas bandas L e Ka. Eles também têm um sistema de propulsão elétrica Fakel SPT140D, que lhes permite mudar de órbita e manter estacionamento.
O foguete japonês H-IIA, de classe média, foi criado por encomenda da Japan Aerospace Exploration Agency (JAXA) pela Mitsubishi Heavy Industries. É um lançador movido a hidrogênio e oxigênio líquidos com quatro foguetes auxilares de propelente sólido – capaz de lançar seis toneladas de carga útil em órbita. O primeiro vôo desse tipo de foguete ocorreu em 29 de agosto de 2001. O custo de um lançamento é estimado em US $ 90 milhões. O transportador consiste em um primeiro estágio equipado com quatro ‘boosters’ e um motor principal, um segundo estágio que dá partida após o desligamento do primeiro estágio e uma carenagem de cabeça que abriga o satélite. O comprimento total no momento do lançamento é de 53 metros e o peso total previsto é de 443 toneladas.

Topo do tanque de oxigênio líquido de primeiro estágio do H-2A

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: