Rússia lança Kosmos 2552 “Kupol”

Sistema EKS de alerta antecipado ganha sua 5º espaçonave

Foto de arquivo de um Soyuz 2.1b

O foguete Soyuz-2.1b, lançado na quinta-feira, dia 25 às 04h09, horário de Moscou (quarta, 22:09 de Brasília, dia 24) do cosmódromo de Plesetsk, colocou em órbita o estágio Fregat com o quinto satélite militar Kupol/ Tundra do sistema EKS, informou o Ministério da Defesa da Rússia. Depois da decolagem, o Soyuz-2.1b foi rastreado pelo Centro Espacial Principal de Testes Gherman Titov das Forças Espaciais. Após entrar em órbita com inclinação de 63 °, a espaçonave seria batizada como Kosmos 2552. O satélite está equipado com um sistema de propulsão, que visa corrigir a sua órbita, bem como baterias solares para fornecer eletricidade aos sistemas.

Foguete-lançador Soyuz 2.1b

O Kupol/EKS (designação industrial 14F142) é um satélite de detecção de infravermelho para observação de mísseis e demais armas que geram calor quando em atividade. O sistema é chamado EKS OiBU for Edinaya Kosmicheskaya Sistema Obnaruzheniya i Boevogo Upravleniya, ou Sistema Integrado de Detecção e Comando em Batalha e é comandado pela estação Serpukhov-15, perto de Moscou.
“A cabeça do veículo de lançamento Soyuz-2.1b tendo o estágio superior Fregat e a espaçonave do Ministério da Defesa da Rússia, no horário estimado de 04h18, hora de Moscou, foram separados do terceiro estágio”, anunciou o ministério. O departamento militar observou que a colocação da espaçonave na órbita prederminada pelo estágio Fregat levaria ainda várias horas.

Os satélites Kupol do sistema EKS, também conhecidos como Tundra, são construídos pela RKK Energia, com base no chassi Viktoria ( “UKP”) – que é derivado dos satélites de comunicação Yamal do final dos anos 1990 e início dos 2000. São equipados com telescópios infravermelhos para detectar fontes de calor como o rastro de mísseis e sensores ópticos e ultravioleta. O 14F142 Tundra foi desenvolvido pelo Instituto Central de Pesquisa Kometa e pela Energia. A corporação Kometa, especializada na criação de complexos de defesa anti-espaciais, desenvolveu vários sistemas de infravermelho e de rádio da espaçonave. Anteriormente, a Kometa criou sistemas para detecção de lançamentos de mísseis balísticos intercontinentais de primeira e segunda gerações, bem como as espaçonaves do sistema de alerta de ataque de mísseis Oko. A NPO Lavochkin participou na criação do “Compartimento A” e do “Compartimento B” (ambos constituem o “módulo de equipamento alvo” da espaçonave).

Os satélites Sistema Espacial Unificado EKS substituem os aparelhos Oko desativados (tanto o geoestacionário 71Kh6 como o de órbita altamente elíptica 73D6). O sistema determina independentemente os parâmetros da trajetória balística do míssil e sua área provável de lançamento.

A órbita “Molniya” que o EKS usa é um tipo de órbita elíptica. Com cerca de 1.620 x 38.500 quilômetros, tem um período de doze horas. Sua inclinação de 63,4 graus anula a precessão do argumento do perigeu, mantendo o apogeu sobre o hemisfério norte.

Sistema EKS

Os satélites anteriores estão assim distribuídos: Kupol-1 (Kosmos-2510): 1627 x 38734 km x 63,00 °; o Kupol-2, Kosmos-2518: 2349 x 38013 km x 63,27 °. O Kupol-3 (Kosmos-2541) em 1550 x 38802 km x 63,82 ° ; Já o Kupol-4, ou Kosmos 2546, está numa órbita de 35807 x 1654 km, inclinada em 63.83°. O apogeu de cada órbita está acima do leste da Sibéria e sul da Groenlândia.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: