SpaceX lança amanhã mais um lote de Starlinks

“Group 4-1” amplia a cobertura de internet

O próximo lançamento de um lote de satélites Starlink da SpaceX será o chamado grupo “Starlink Group 4-1” em um foguete Falcon 9 Ft Bl5 nº B1058-9. A SpaceX havia cancelado o lançamento, programado para hoje, devido ao mau tempo no Cabo Canaveral e às condições desfavoráveis ​​na zona de recuperação do ‘core’ de primeiro estágio do foguete.
Agora, a decolagem está programada para ocorrer sábado, 13 de novembro, às 7h19 EST (12h19 UTC, 09:19 Brasília) do Complexo de Lançamento Espacial 40 (SLC-40) na Estação da Força Espacial do Cabo Canaveral (CCAFS) na Flórida. A previsão melhorou para “80% favorável” para a oportunidade de lançamento. Os Starlink deverão ser separados às 12:55:57 UTC (09:55:57 Brasília), sendo a duração da missão estimada em 15 minutos e 31 segundos. Após a separação, a SpaceX pousará o primeiro estágio do Falcon 9 na barca-drone Just Read the Instructions, que estará estacionada no Oceano Atlântico a 640 km de distância do Cabo.
A reentrada do segundo estágio está prevista para o Oceano Índico, a leste da Nova Zelândia.

Satélite Starlink

A órbita de liberação esperada é de aproximadamente 210 x 340 km a 53,2 graus de inclinação. Os satélites v1.5 são mais pesados ​​devido aos interlinks de laser (com cerca de 10 kg por terminal de laser instalados em cada chassi) permitidos pelo ganho de eficiência de cerca de 5% no lançamento pela rotação da Terra. A SpaceX ainda está maximizando sua utilização do desempenho do F9 para órbita baixa, permitindo uma massa em torno de 290 kg por satélite – cerca de 15% mais pesados do que os de versão V1.0. Os satélites lançados para a segundo “shell” são modelos de segunda geração, também conhecidos como v1.5 , equipados com links inter-satélite atualizados, que permitem que se conectem a satélites próximos sem o uso de uma estação terrestre, estendendo assim a cobertura a altas latitudes e áreas sobre os oceanos. A constelação consiste em cinco grupos de satélites ou ‘shells’ (“conchas”, ou “camadas”), que irão operar em diferentes altitudes e inclinações orbitais. O primeiro agrupamento está autorizado a conter mais de 1.584 satélites, com 22 em cada um dos 72 planos orbitais espaçados a uma altitude de mais de 550 quilômetros.

Esta missão transportará cinquenta e três satélites da quarta “camada” do sistema em sua primeira constelação com órbitas circulares a 560km de altitude e 53,2º de inclinação. Espera-se que a massa total da carga útil fique em 15.370 kg, o que inclui os satélites e o suporte de fixação e os ganchos e travas usados para liberar a “pilha” uma vez extinguida a ignição do segundo estágio do foguete. Cada satélite pesa aproximadamente 290 kg e apresenta um design compacto “chato” que minimiza seu volume, permitindo que um empilhamento denso aproveite ao máximo as capacidades do Falcon 9. Com quatro paineis de arranjo de fase e duas antenas parabólicas instalados em cada satélite. No final de seu ciclo de vida, os satélites utilizarão seu sistema de propulsão elétrica para desorbitar ao longo de alguns meses. No caso “improvável” – segundo a SpaceX – de seu sistema de propulsão se tornar inoperante, os satélites irão queimar na atmosfera da Terra dentro de um a cinco anos, “significativamente menos do que as centenas ou milhares de anos necessários em altitudes mais elevadas”. Além disso, os componentes Starlink são projetados para se desintegrarem facilmente durante a reentrada na atmosfera.

Lançamento, trajetória de ascensão e zona de recuperação do ‘core’ e das conchas das carenagens

O primeiro estágio do Falcon 9 para esta missão, B1058-9, anteriormente foi utilizado para os lançamentos das missões Crew Dragon Demo-2, do ANASIS-II, a espaçonave de carga Cargo Dragon CRS-21, Tansporter-1 e outras missões Starlink, as L12, L20, L23 e L26. As meias-coifas da seção de cabeça também serão reutilizadas: uma concha voou anteriormente na missão GPS-III SV04 e a outra foi usada anteriormente em outro lançamento de Starlinks. As metades da carenagem tentarão um pouso suave no Oceano Atlântico, cerca de 680 km de distância do local de lançamento, para então serem recolhidas pelo navio de recuperação de carenagem e de apoio de balsa, o Bob.

Zona de reentrada do segundo estágio

Eventos de lançamento
00:01:12 Zona de Max Q (momento de máximo estresse estrutural no foguete)
00:02:32 Corte dos motores principais Merlin 1D do 1º estágio (MECO)
00:02:36 1º e 2º estagios separados
00:02:43 Motor Merlin Vac do 2º estágio acende
00:02:53 liberação da carenagem
00:06:41 Início da ignição de reentrada do 1º estagio
00:07:01 Queima de entrada de primeiro estágio completa
00:08:20 Início da ignição de pouso do 1º estagio
00:08:42 Ignição de pouso do 1º estagio completa
00:08:50 Corte do motor de 2º estágio (SECO-1)
00:15:31 Satélites liberados

As zonas de exclusão para a missão do Group 4-1 confirmam as datas alternativas de 13 a 19 de novembro com base nos anúncios NOTMAR emitidos:
A data primária era sexta-feira, 12 de novembro por volta das 12:31 UTC
Dia de reserva número 1: sábado, 13 de novembro por volta das 12h09 UTC
Dia reserva número 2 é domingo, 14 de novembro às 11:47 UTC
Dia de reserva número 3 sendo segunda-feira, 15 de novembro por volta das 11:25 UTC
Dia reserva número 4 é terça-feira, 16 por volta das 11h04 UTC
Dia reserva número 5, quarta-feira, 17 por volta das 10:42 UTC
Dia de reserva número 6, quinta-feira, 18 por volta das 10:21 UTC
Dia reserva número 7 sendo sexta-feira, dia 19 por volta das 09:59 UTC

Foguete Falcon 9 v1.2 FT BL5

Estatísticas da missão:
Esta será a 135ª tentativa de lançamento orbital da SpaceX.
Este será o 25º lançamento da empresa no ano
Se bem-sucedido, este será o 102º lançamento orbital de sucesso consecutivo desde o último acidente, o Amos 6.
Este será o 127º voo do Falcon 9
Este será o 9º vôo do ‘ core’ nº B1058.
Será a 73ª vez que a SpaceX reutiliza um ‘core’
Este será o 74º lançamento da SpaceX do complexo SLC-40
Este será o 31º lançamento de Starlinks de constelação de primeira geração.
Este será o primeiro lançamento para a quarta “camada” (shell) dessa constelação.

Seção de cabeça do Falcon 9

A frota da SpaceX se encontra empenhada em diversas atividades: O navio de apoio Doug está trazendo a barca A Shortfall of Gravitas de volta para Port Canaveral após a missão Crew-3. O navio Finn Falgout e a balsa JRTI estão posicionados na zona de pouso “Norte” norte para o lançamento do Starlink e o GO Navigator está passando as Florida Keys com a nave espacial C206 Endeavour que retornou à Terra há dias trazendo a missão Crew-2.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: