Rússia lançará nave de carga no dia 28

Progress MS-18 se acoplará ao módulo Zvezda

A nave Progress MS-18 deve engatar-se à traseira do módulo Zvezda

Transmissão ao vivo do Homem do Espaço hoje às 20:30

Após um longo período de inatividade, o sistema de acoplagem SSVP-P passivo do módulo de serviço Zvezda da estação espacial internacional será ocupado pela nave cargueira russa Progress MS-18. O compartimento traseiro do Zvezda tem pequenas fissuras por onde a atmosfera da estação está vazando em ritmo constante há mais de um ano, fruto de desgaste natural e possíveis incorreções no processo de soldagem da carcaça, há mais de 30 anos. A escotilha da câmara ‘perekhodniy kamera’ (PrK) que conecta ao compartimento de trabalho (rabotniy otsek, ou RO) está fechada desde a partida de uma outra nave Progress no início do ano. Assim, somente o ar presente na câmara vaza para o espaço.

O voo orbital da Progress MS-18 deverá seguir um perfil de encontro (“convergência”) de dois dias com a ISS. Sua acoplagem na porta traseira do Módulo de Serviço está programada para 30 de outubro, às 04h33, horário de Moscou (22h33 de 29 de outubro em Brasília). Será a primeira nave a encaixar nesta porta desde a partida da Progress MS-14 em 28 de abril deste ano. Durante esse período, a câmara de transferência que conecta o sistema de engate ao interior do Zvezda permaneceu fechada para minimizar o vazamento.

Configuração atual da ISS

O colar de encaixe pressurizado SSVP-G4000 é um sistema “macho-fêmea”, ou pino-e-soquete; a parte ‘feminina’ do SSVP fica no Zvezda e a parte ‘masculina’ nas naves espaciais Soyuz e Progress.

O foguete Soyuz-2.1a com a Progress MS-18 na cabeça está programado para decolagem da plataforma 6 da Área 31 do cosmódromo de Baikonur em 28 de outubro de 2021, às 03:00:32, horário de Moscou (21:00 de Brasília do dia 27).

Seguindo trajetoria vertical sob a tração dos quatro motores RD-107A nos ‘boosters’ (“cenouras”) que formam o primeiro estágio (blocos B,V,G e D) e os RD-108A do segundo estágio (Bloco A), o veículo seguirá um azimute leste para atingir a órbita-alvo de 51,67 º de inclinação ao plano do equador. Os quatro propulsores do primeiro estágio se separarão quase dois minutos após a decolagem, seguidos pelo descarte das duas metades da carenagem de cabeça um pouco mais de um minuto depois. Enquanto isso, o segundo estágio continuará funcionando até 4,7 minutos de vôo.

O terceiro estágio ‘Bloco I” deve então acender seu motor RD-0110, 1.1 segundo antes da separação do segundo estágio, numa separação “quente”, quando os jatos dos motores jorram através da treliça de conexão entre o topo do estagio central e a baia de motores do terceiro estágio. Em seguida os três paineis de fechamento da baia de motor do bloco I são descartadas para diminuir a massa a ser acelerada dali em diante. A espaçonave deve se separar do terceiro estágio em 8 minutos e 49 segundos após a decolagem.

Ciclograma oficial da Roskosmos sobre o voo da Progress MS-18

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: