SpaceX testa motor Raptor e trabalha na infra-estrutura de solo

Em Starbase, empresa de Musk testa pré-queimadores enquanto instala maquinário e tanques

Nas instalações da Starbase da SpaceX no sul do Texas, na noite de segunda-feira 18 de outubro de 2021, os técnicos acenderam o motor Raptor do protótipo Starship SN20 como parte da campanha de teste de pré-voo do veículo a ser equipado com seis – três deles motores otimizados para vácuo (‘RVac’) para propulsão no espaço. Em seguida, na terça-feira, 19, volta das 04h39 UTC, a empresa realizou um teste em um ou mais dos motores na base do protótipo, também chamado S20 (“Ship 20”). Após este teste, o protótipo foi desabastecido para permitir a reabertura da rodovia State Highway 4. Embora não tenha sido confirmado pela empresa, o vídeo do teste por organizações como a NASASpaceflight mostrou um brilho e um som relativamente abafado, indicando um teste dos pré-queimadores (pequenas câmaras de combustão para acionar as turbobombas que bombeiam propelente dos tanques para a câmara principal). Metano e oxigênio passam pelas bombas e seu escapamento é combinado na câmara de combustão principal para ajudar na eficiência geral do motor). Não houve o som forte de uma ignição estática total do Raptor – que no entanto ainda pode ter lugar nos próximos dias, possivelmente já esta noite.

Os motores Raptor são usados nos dois estágios do sistema Starship/SuperHeavy, e consomem metano líquido como combustível e oxigênio líquido como oxidante. A utilização do Raptor nos dois estágios foi a solução encontrada pela SpaceX para diminuir o custo de desenvolvimento e produção do foguete. Ao usar o mesmo propulsor nos dois estagios, com modificações adaptadas à função de cada um, as mesmas instalações e os mesmos maquinarios. ferramental e equipes podem ser empregadas para a sua preparação e checagem.

Neste tipo de ensaio, os engenheiros ligam brevemente o motor R-Vac por alguns segundos na plataforma de lançamento para analisar o seu funcionamento, desde a sucção do metano /oxigênio, a circulação dos fluidos de pressurização e purga. O funcionamento dos compressores e turbinas é verificado, bom como a voltagem dos circuitos e o fluxo de dados dos transdutores ligados a cada elemento do sistema. O protótipo S20 fica instalado na plataforma de teste, com parte da cablagem de umbilicais continua conectada, enviando dados diretamente à mesa de comando do chefe de lançamento.

Por outro lado, os ‘boosters’ e B3 e B4 estão recebendo aros de suporte e placas circulares junto aos sinos das tubeiras de seus motores Raptor, o que foi interpretado como parte de um sistema defletor de calor.

Um residente da vila de Boca Chica recebeu uma carta da SpaceX noite passada, afirmando que eles planejam conduzir um teste estático completo de alguns segundos hoje quarta-feira, 20 de outubro, enquanto o veículo permanece instalado na montagem de teste. – “Para residentes ou ocupantes da Vila de Boca Chica: “… a SpaceX conduzirá Atividades de Teste Espacial em 20 de outubro de 2021 das 17h00 às 00h00”, escreveu a empresa, “Aproximadamente 10 minutos antes da atividade, você receberá um aviso pelo o som de uma sirene da polícia na vila de Boca Chica. Pode haver mais de uma instância durante esse período de tempo em que você ouvirá a sirene. Existe o risco de que um mau funcionamento do veículo durante essas atividades crie um ‘evento de sobrepressão’ que pode quebrar janelas.”

Não está claro exatamente quando o vôo de teste da combinação Starship/SuperHeavy ocorrerá, e não apenas porque os cronogramas de testes são incertos: a Administração Federal de Aviação dos EUA, FAA, está conduzindo uma avaliação ambiental do local de lançamento. A FAA divulgou um rascunho de seu relatório no mês passado e está aceitando comentários públicos sobre o documento até 1º de novembro. Esses comentários serão incorporados à avaliação final. Um dos principais pontos de contenção que as equipes observarão durante o teste será o sistema de proteção térmica do veículo, ou TPS, que é composto por milhares de telhas hexagonais de TUFROC resistentes ao calor que são instaladas na parte inferior da nave. Um dos maiores desafios enfrentados pela equipe foi encontrar uma solução para evitar que as telhas caíssem.

Enquanto isso, outras atividades continuam no local de construção e teste da SpaceX, enquanto os pegadores de “pauzinhos” (chopsticks, uma referência aos talheres japoneses) estão sendo preparados para instalação na torre e o complexo de tanques de propelentes continua a crescer. Os dois pegadores de “pauzinhos”, que formarão o captador de foguete “mechazilla” no topo da torre orbital de lançamento, foram posicionados para serem preparados para instalação. A instalação do sistema de trilho que permitirá que os dois braços gigantes se movam verticalmente para cima e para baixo da torre ocorreu no início da semana, abrindo espaço para os dois coletores serem içados e montados no lugar, possivelmente ainda antes de domingo.

Na seção do complexo de abastecimento, um novo tanque de metano chegou o local de lançamento. Espera-se que este tanque faça parte do crescente parque de combustível que alimentará metano e oxigênio líquidos aos foguetes orbitais enquanto se preparam para o vôo.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: