Painel solar da sonda Lucy com defeito

Equipamento estendeu-se mas não travou na posição pretendida

Espaçonave Lucy fotografada como um ponto luminoso em meio às estrelas, por um astrônomo amador

A espaçonave Lucy, lançada no sábado, 16 de outubro, por um foguete Atlas V 401 (AV-082) da United Launch Alliance, começou a estender seus dois painéis solares cerca de uma hora após o lançamento. Na hora, tudo parecia correr bem, mas agora parece que um dos painéis tipo Ultraflex [*] circulares, cada um com quase 7 metros de largura, não se fixou no lugar corretamente. “A LucyMission da NASA está segura e estável”, escreveu Thomas Zurbuchen, administrador associado para a ciência, em um tweet postado no domingo (17 de outubro). “Os dois painéis solares foram estendidos, mas um pode não estar totalmente travado. A equipe está analisando os dados para determinar as próximas etapas. Essa equipe já superou muitos desafios e estou confiante de que eles prevalecerão aqui também.”

Os painéis solares são uma parte crucial da missão de levar os cientistas à primeira vista de perto os asteróides que orbitam no mesmo caminho de Júpiter, chamados troians. Quando a nave estiver fazendo seus sobrevôos, ela quebrará o recorde do quão mais distante do Sol uma espaçonave funcionou exclusivamente com energia solar.

A NASA está avaliando a situação para determinar como proceder, de acordo com um comunicado da agência, que observa que os outros sistemas da espaçonave estão operando conforme o esperado. “Os dois painéis solares foram estendidos e ambos estão produzindo energia e a bateria está carregando”, de acordo com o comunicado. “Embora um dos paineis tenha travado, as indicações são de que o segundo pode não estar totalmente travado.” A Lucy não corre nenhum perigo imediato, enfatizou a agência. “Na atitude atual da espaçonave, ela pode continuar a operar sem nenhuma ameaça à sua saúde e segurança”, diz o comunicado. “A equipe está analisando os dados para entender a situação e determinar os próximos passos para alcançar a extensão completa do painel solar.” A primeira tarefa da espaçonave é completar dois sobrevôos terrestres (Earth Gravity Assist) que lhe darão a velocidade necessária para alcançar o sistema solar externo. Seu primeiro sobrevoo de um asteróide do cinturão principal, ocorrerá em 2025. Ao todo, espera-se que a sonda tenha observado oito asteróides diferentes até 2033, sete deles pertencentes aos troianos. Os cientistas esperam que os dados os ajudem a compreender melhor a diversidade desses asteróides e os primeiros dias do sistema solar.

[*] – O painel solar tipo Ultraflex é composto células solares prontas para uso e materiais e processos de última geração. O sistema incorpora o uso de um substrato de manta que é termicamente compatível com silício e outros materiais típicos de dispositivos avançados de multijunção. O mecanismo de extensão é tido como simples e confiável, e sua a estrutura é inerentemente rígida.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: