Soyuz MS-19 decola na missão Cinema do Espaço

Nave russa leva uma atriz e diretor de cinema para um voo de 12 dias à estação espacial

Decolagem da plataforma 31/6 “Vostok” em Baikonur, no Cazaquistão

O foguete Soyuz-2.1a nº Kh15000-047 com a nave espacial Soyuz MS-19 foi lançado da plataforma 31/6 do cosmódromo de Baikonur hoje, 5 de outubro de 2021, às 11:55:12s, hora de Moscou – 05:55:12 de Brasília. O comandante cosmonauta Anton Shkaplerov, o diretor de cinema Klim Shipenko e a atriz Yulia Peresild entraram em órbita cerca de 9 minutos depois. A nave espacial deve levá-los à estação espacial internacional para gravarem cenas do primeiro filme a ser feito no espaço.

De acordo com informações preliminares, a espaçonave entrou em órbita com os parâmetros: perigeu de 199,84 km; apogeu de 242,69 km; período orbital de 88,64 minutos e inclinação de 51,67 graus. O presidente da Associação Internacional de Participantes de Atividades Espaciais, Oleg Kotov, disse que o lançamento correu bem e o nível de forças G experimentadas pela tripulação não ultrapassou 4,5g.

A triulação antes de entrar no elevador da torre de serviço 11T11P1 para embarcar na nave
Yulia Peresild, a primeira atriz no espaço
Foguete Soyuz 2.1a

O lançamento de hoje foi o quarto de um foguete Soyuz-2.1a (14A14-1A) com uma nave da família Soyuz MS e uma tripulação a bordo. O foguete Soyuz-2.1a substituiu o antigo Soyuz-FG (11A511U-FG) em missões para levar cosmonautas e astronautas à ISS. O Soyuz-2.1a é um foguete desenvolvido no TsSKB Progress (em Samara ), projetado para lançar cargas em órbita baixa da terra. O sistema de controle digital foi criado por especialistas da Associação Científica e de Produção de Automação em homenagem ao Acadêmico NA Semikhatova (Yekaterinburg “): um conjunto de controle digital Malakhit-3 é controla o veículo até a entrtrada da nave em órbita.

A principal vantagem do Soyuz-2.1a sobre o Soyuz-FG é o sistema de controle digital. Além disso, o foguete é caracterizado por uma maior precisão de lançamento e um aumento da massa de cargas em órbitas baixas devido ao aprimoramento do sistema de controle e sistemas de propulsão do primeiro e segundo estágios.

O objetivo do vôo de Peresild e Shipenko é rodar o filme Vi’zov – “Desafio”. Será um drama sobre uma médica que precisa voar ao espaço para ajudar tripulante da ISS. Os detalhes do roteiro ainda não foram revelados.

Terceiro estágio “blok I” se separada da Soyuz
Painel solar da Soyuz estendido

Seu encontro com a estação ocorrerá em duas órbitas: aproximadamente 3 horas e 17 minutos. Este é apenas o terceiro lançamento tripulado neste tipo de circuito ultracurto. É tradicional o esquema de voo de dois dias, quando a nave dá 34 voltas ao redor da Terra. Também é usado um circuito de quatro voltas, que dura cerca de seis horas. Até agora, várias naves de carga Progress MS e duas naves Soyuz tripuladas voaram em um esquema de duas órbitas (três horas). O recorde de duração foi estabelecido pela Soyuz MS-17 em 14 de outubro de 2020, com 3 horas e 3 minutos.

Transmissão ao vivo do acoplamento no canal do Homem do Espaço

A ISS estava a 33 segundos de passar diretamente sobre Baikonur no momento da decolagem da Soyuz MS-19, mas quando a nave entrou em órbita, a estação estava cerca de 2.000 km e 13,3 graus à sua frente no arco orbital. A posição mútua da estação e da Soyuz permitiu um perfil de encontro de duas órbitas entre elas. Após três horas e 17 minutos em vôo autônomo, a Soyuz deve acoplar no módulo Rassvet do segmento russo ainda no dia do lançamento, com três minutos de tolerância a partir das 15h12, horário de Moscou (09:12 de Brasilia). Depois de verificar a hermeticidade no sistema de acoplagem SSVP-M4000, a tripulação deve abrir as escotilhas por volta das 17h05, horário de Moscou (11h05 Brasília).

Controle remoto portátil

A Soyuz MS-19 é equipada com consoles portáteis para que possa ser operada por uma pessoa. “Tive de aprender a controlar a nave sozinho. Nossa Soyuz foi equipada com um novo controle remoto portátil (OVK) para comandos especialmente importantes, que geralmente são executados por um engenheiro de vôo. Em certas fases do vôo, eu o pegarei e emitirei os comandos necessários ”, disse Shkaplerov.

Para o treinamento, o simulador da espaçonave no TSPK – centro de treinamento de cosmonautas – foi modificado, a documentação de bordo foi reescrita. Parte das operações é confiada a Peresild e Shipenko. Como o comandante explicou, perto de Yulia há uma válvula para fornecer oxigênio ao veículo de descida, e à esquerda de Klim há uma para fornecer oxigênio aos trajes espaciais, bem como equipamentos de ventilação.

Foguete

Um cosmonauta com uma experiência muito sólida, Shkaplerov (codinome “Astrei”) está levando os cineastas ao “cenário” entre as estrelas. Este é o quarto vôo dele. Depois de 533 dias passados ​​em ‘gravidade zero’, ele já fez duas atividades fora da nave, no espaço aberto. Mas experiência é experiência, e quando há dois participantes de um vôo espacial na tripulação ao mesmo tempo, ou simplesmente dois “amadores”, e não há um engenheiro de vôo, e isso é mais complexo. E também é uma espécie de desafio – depois de assumir completamente o controle da espaçonave, já em órbita, vai fazer um dos papéis do longa-metragem.

“O melhor investimento no futuro em nossa cosmonáutica”

Quando um novo filme é feito e promete-se um superprojeto ligado ao espaço, geralmente é ótimo para o setor espacial. Na estréia do filme “Salyut-7”, do próprio Klim Shipenko no Palácio do Kremlin, o salão estava lotado com os Heróis do Espaço. As estrelas brilham tanto para quem voou como para quem fez os foguetes e naves. Os nervos estavam à flor da pele: “Só podemos devolver uma pessoa à Terra!” O blockbuster foi baseado nos verdadeiros eventos dramáticos de 1985. Mas também havia invenções artísticas. Um dos heróis-salvadores, o engenheiro de voo da Soyuz T-13, duas vezes Herói da União Soviética, Viktor Savinykh, disse : “Eu era categoricamente contra o episódio em que o cosmonauta repara o sensor solar com uma marreta, mas eles insistiram na cena. “

Peresild, Shkaplerov e Shipenko

No entanto, o fato permanece: o filme bateu todos os recordes de público. E a competição nas universidades por especialidades espaciais simplesmente saltou. Não é por acaso que o comandante da tripulação reserva, Herói da Rússia, cosmonauta Oleg Artemyev, observou: “Este vôo é o mais lucrativo, o melhor investimento no futuro em nossa cosmonáutica.”

O viajante espacial mais alto

Com de 1, 89 metro, o diretor de cinema Shipenko se tornou o passageiro mais alto da Soyuz. Antes disso, o recorde pertencia ao cosmonauta Valery Korzun, com 1, 85m. Pessoas com até 1,90 m de altura podem voar na nave. O fato de Shipenko “ultrapassar” Korzun foi confirmado anteriormente em uma entrevista à RIA Novosti pelo próprio cosmonauta, bem como pelo historiador de tecnologia de foguetes Alexander Glushko. O recordista entre os voos da Soyuz até o momento era o astronauta italiano Paolo Nespoli, de 1,88 metro (dois voos – em 2010 e 2017).

Candidatos baixos foram inicialmente selecionados devido ao pequeno tamanho das espaçonaves soviética. O primeiro time, por exemplo, incluía homens de até 1,70 m de altura. Assim, Yuri Gagarin tinha 1,57 m, e Gherman Titov, 1,63 metro.

Somente na década de 1990, após o início da cooperação espacial entre a Rússia e os Estados Unidos, para voos de astronautas estrangeiros na Soyuz, as necessidades foram ampliadas com a redução do espaço ocupado pelo painel de controle da espaçonave, sobre o qual as pernas dos triulantes ficam. A Soyuz TM ( introduzida em 1986) já podia acomodar cosmonautas de 1,64 a 1,82 m, e a Soyuz TMA e a modificação Soyuz MS de agora podem acomodar cosmonautas de 1,50 a 1,90 metro de altura.

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Compre os e-books da Biblioteca Espacial Brasileira:

CONTRIBUA ATRAVÉS DO PIX DO HOMEM DO ESPAÇO: homemdoespacobr@gmail.com

BIBLIOTECA ESPACIAL

E-book Estações Espaciais Volume I

E-book Estações Espaciais Volume II

E-book Naves Espaciais Tripuladas

E-book Compêndio da missão EMM-1 dos Emirados a Marte

E-book Compêndio Satélites Militares

E-book Compêndio da missão Soyuz 9

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: