Starliner: Boeing e NASA discutem contaminação do circuito de propelente

Umidade teria entrado pelas válvulas

Engenheiros de Boeing e NASA discutem o problema com a Starliner 2 OFT-2; Ao que parece o tetraóxido de nitrogênio estava vazando pelas válvulas, reagindo com a umidade para formar ácido nítrico e óxido nítrico, sendo que possivelmente as válvulas não estavam devidamente purgadas por nitrogênio, ou o circuito não estava vacuificado e isolado. Acreditam que durante um período de chuva, a água entrou nas tubulações dos motores de orientação. As juntas são de teflon. Era esperado que houvesse vácuo na tubulação à jusante das válvulas, mas havia umidade.

Atlas V N22 AV-082 na plataforma

Tipos similares de válvulas são usadas para o hélio, o combustível e o N2O4. A umidade também penetrou nos solenóides das válvulas. O motivo principal desta contaminação ainda não foi estabelecido. Quando questionados se podem realizar um lançamento tripulado dentro de 8 a 12 meses, eles não responderam.

Foram treze circuitos de N2O4 dos 24 existentes os contaminados. O Starliner será examinado na fábrica onde se buscará pela causa raiz. Eles vão tentar desmontar o mínimo possível, mas sem garantias, as válvulas entre tanques e as tubulações secundárias. Os engenheiros são questionados sobre a causa da umidade, se meramente atmosférica ou por gotas de chuva? Eles respondem que “estamos orgulhosos da equipe e estamos quase prontos para voar e que estamos felizes por termos encontrado esse problema no solo”. Outro engenheiro interrompeu a resposta e disse “honestamente que não sabemos. A culpa é do calendário mal elaborado: o lançamento foi planejado no verão com muita umidade. Tudo estava bem em dezembro.”

Conheça mais sobre exploração espacial no Curso Introdutório de História e Fundamentos da Astronáutica

Curso de Introdução à Astronáutica

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: