China lança mais um satélite de observação terrestre

O TianHui-1 04 entrou em órbita quase circular e fará levantamento estéreo de imagens da Terra

Longa Marcha 2D n º Y62 decola de Jiuquan

Às 04:01 UTC (12:01 hora local) de 29 de julho de 2021, horário de Pequim, a China usou o foguete transportador Longa Marcha 2D n º Y62 a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, Província de Gansu, noroeste da China para lançar com sucesso o satélite TianHui-1 04. O satélite entrou com sucesso na órbita programada e a missão foi um sucesso total. Esta missão é o 381º vôo da série Longa Marcha de foguetes.

O TianHui-1 04 (天 绘 一号 04, “Desenho do céu”) é um satélite de observação terrestre estereotopográfico operado pelo Exército de Libertação do Povo. Segundo fontes oficiais, o satélite funciona de forma estável na órbita desejada ( 488,0 x 503,5 km, período de 94,53 min e inclinação de 97,48 °) e será “usado principalmente para a realização de pesquisas experimentais científicas, levantamento geral de terrenos e recursos, mapeamento e outras tarefas”.

TianHui-1 04

A mídia oficial forneceu poucas informações sobre o satélite: apenas que foi desenvolvido pela Hangtian Dongfanghong Weixing Corporation Space Satellite Company como parte da Academia Chinesa de Pesquisa de Tecnologia Espacial – CAST e se destina “a pesquisas científicas e experimentais, o estudo de terras e recursos, cartografia e outros propósitos.”

O nome do dispositivo implica continuidade em relação aos três satélites anteriores “Tianhui-1”, lançados em 24 de agosto de 2010, 6 de maio de 2012 e 26 de outubro de 2015 no mesmo cosmódromo da mesma operadora. O TianHui tem cerca de 1.000 kg sendo construído com base no chassi CAST-2000 e está equipado sensores desenvolvidos pelo Instituto de Óptica, Mecânica Fina e Física Changchun CIOMP, englobando uma câmera CCD de matriz linear cartográfica de três canais com resolução de 5 metros para uma faixa de 60 km de largura, cujos telescópios olham para o nadir e fazem um ângulo de 25 ° para a frente e para trás na direção do vôo; uma câmera de alta resolução para imageamento pancromático com resolução de 2 metros numa faixa de rastreio de 64 km de largura. E uma câmera multiespectral com resolução de 10 metros, operando em quatro bandas espectrais da faixa do visível e infravermelho próximo.
Os preparativos de lançamento ocorreram na estação quente em Jiuquan, que registrou +42 ° C. O veículo teve seu horário de abastecimento mudado das nove para as sete da manhã, e outras medidas foram tomadas para minimizar os efeitos do calor no foguete e nos sistemas de carga útil. Durante a preparação e o lançamento, um novo sistema integrado de telemetria e conexão com o segmento de suporte de solo foi usado para o controle das condições do foguete-portador. Este foi o 54º lançamento do foguete CZ-2D, desenvolvido para colocar uma carga útil de 1.200 kg em uma órbita padrão sincronizada com o Sol a uma altitude de 700 km.

Os desenvolvedores do Longa Marcha 2D dedicaram o lançamento ao sexagésimo aniversário da Shanghai Space Research Academy SAST, cuja história remonta a 1º de agosto de 1961, com a criação da 2ª Diretoria da Indústria Eletromecânica de Shangai (上海市 第二 机电 工业 局) Atualmente, a SAST conta com desessete institutos de pesquisa, 10 empresas e 10 unidades de produção e realiza o desenvolvimento de todo o espectro da tecnologia de foguetes espaciais, desde mísseis de combate e lançadores espaciais e espaçonaves para diversos fins. O lançamento Tianhui já havia sido anunciado em 1º de julho em meio a uma série de comemorações pelo 100º aniversário do Partido Comunista Chinês. O lançamento deveria ocorrer no dia 27 de julho, mas foi adiado para o dia 29.

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: