Starliner: problemas na ISS adiam voo de teste OFT-2

Espaçonave da Boeing deveria ser lançada amanhã à estação espacial internacional

Espaçonave Boeing CST-100 Starliner

A NASA e a Boeing decidiram adiar a tentativa de lançamento de amanha, sexta-feira, dia 30, da missão OFT-2. Atualmente, as equipes de lançamento estão avaliando a próxima oportunidade disponível. A movimentação permite que a equipe da estação espacial continue a trabalhar nas verificações do recém-chegado módulo Nauka e para garantir que a estação esteja pronta para a chegada do Starliner. O primeiro estágio do foguete Atlas V N22 AV-082 para a missão Orbital Flight Test OFT-2 da Starliner foi instalado em sua plataforma de lançamento na Estação da Força Espacial do Cabo Canaveral.

Foguete-portador Atlas V N22 – AV-082

Os contratos da tripulação comercial da NASA com a Boeing desde 2010 estão avaliados em mais de US $ 5 bilhões. A NASA tem um contrato similar com a SpaceX avaliados em mais de US $ 3 bilhões para o desenvolvimento da nave Crew Dragon. Os contratos para ambas as empresas incluíam um mínimo de seis voos de rotação de tripulação operacional para a Estação Espacial Internacional.
A Boeing parecia no caminho certo para lançar sua primeira missão tripulada do Starliner em 2020, mas o primeiro vôo de teste não-pilotado em dezembro de 2019 terminou prematuramente sem acoplar na estação espacial. Funcionários da Boeing e da NASA atribuíram a falha do voo de teste a problemas de software, incluindo um cronômetro de tempo decorrido de missão que foi ajustado incorretamente antes do lançamento. O problema fez com que o computador da espaçonave ‘pensasse’ que estava em uma fase de vôo diferente após o lançamento do Atlas 5 em órbita, fazendo com que os propulsores da cápsula e queimassem muito propelente. O uso de propelente acima do esperado impediu a Starliner de acoplar na estação.

A Boeing agora está reformando aquela cápsula para o Starliner Crew Flight Test. Mas, primeiro, os gerentes da Boeing e da NASA concordaram em lançar um segundo Orbital Flight Test, na OFT-2, para provar o software da espaçonave e completar as tarefas de demonstração que não foram realizadas pela missão OFT-1 em 2019.
Um segundo módulo da tripulação da Starliner voará na missão OFT-2. Assim que estiver de volta à Terra, a Boeing irá reformar a cápsula para futuras missões. Cada missão de uma Starliner apresentará um novo módulo de serviço, que é descartado durante a reentrada.

No início deste ano, a Boeing concluiu uma simulação de missão completa no Laboratório de Aviônica e Integração de Software da empresa em Houston. O teste combinou o equipamento de vôo e a versão final do software da espaçonave. Um ensaio desses não foi realizado para verificar o código do software antes da missão OFT-1 em 2019.

“Estou extremamente orgulhoso das equipes da NASA e da Boeing Starliner enquanto trabalham metodicamente em direção à missão OFT-2 no próximo mês com verificações finais do módulo da tripulação e do sistema e software do módulo de serviço enquanto nos preparamos para esta importante missão de teste sem tripulantes”, disse Steve Stich, gerente do programa de tripulação comercial da NASA.

“Fechar todas as conclusões da equipe de revisão independente para o software e sistemas de comunicação é um grande marco para o programa da tripulação comercial e incluiu muitas horas de testes e análises por nossas equipes dedicadas da Boeing e da NASA durante esta pandemia Covid-19”, disse Stich. Paralelamente aos testes de software, os técnicos da Boeing na Unidade de Processamento de Tripulação e Carga Comercial do Centro Espacial Kennedy concluíram a maior parte dos preparativos para a missão OFT-2. Em janeiro, a Boeing intergrou (encaixou) o módulo da tripulação e o módulo de serviço dentro da instalação de processamento, um antigo hangar do ônibus espacial. Um porta-voz da Boeing que os módulos foram totalmente carregados com sua mistura de propelentes hipergólicos, que irão alimentar os propulsores para manobras de encontro com a estação espacial e a queima de saída de orbita no final da missão.

A United Launch Alliance, uma joint venture 50/50 entre a Boeing e a Lockheed Martin, é a fornecedora de lançamento para as missões Starliner. Em 17 de junho, a ULA içou o primeiro estágio do Atlas 5 N22 para a OFT-2 em sua plataforma de lançamento dentro da Instalação de Integração Vertical (VIF) perto da plataforma 41 na Estação da Força Espacial do Cabo Canaveral.

Foguete Atlas V na torre de montagem e testes

A ULA planejou instalar dois propulsores de propelente sólido e o estágio superior Centauro de dois motores RL-10 no foguete, preparando para a entrega da espaçonave Starliner ao VIF em meados de julho. Não haverá ensaio de abastecimento de pré-lançamento no foguete Atlas antes da missão OFT-2.
“Nas próximas semanas, as equipes de controle de missão na Flórida e no Texas continuarão realizando ensaios gerais simulados para a OFT-2 e missões tripuladas subsequentes. As equipes de pouso e recuperação da Starliner também farão uma verificação no local de uma das zonas de pouso do veículo “, disse a Boeing. Os técnicos também carregaram a carga no módulo pressurizado do Starliner, que voará com um manequim de teste instrumentado em um de seus assentos. A missão OFT-2 vai entregar cerca de 200 quilos de carga e suprimentos para a tripulação para a estação espacial.

Assumindo que a missão seja lançada em 30 de julho, a espaçonave Starliner está programada para acoplar em 31 de julho com a porta de engate frontal IDA do adaptador PMA do módulo Harmony da estação. No final de julho, antes da chegada do Starliner, quatro dos sete membros da tripulação se abrigarão em sua espaçonave SpaceX Crew Dragon para uma realocação da porta de acoplamento frontal para a porta superior no mesmo módulo Harmony. Isso abrirá o caminho para a acoplagem do Starliner. A Boeing diz que a missão OFT-2 deve durar cerca de cinco a 10 dias antes de ser desacoplada da estação e retornar à Terra. A cápsula terá como alvo uma das cinco zonas de pouso no oeste dos Estados Unidos, incluindo dois locais no polígono de testes de White Sands Missile Range no Novo México e zonas em Utah, Arizona e Califórnia.
O desengate, a reentrada e o pouso da Starliner estão provisoriamente programados para 5 de agosto. Nessa data, o local de pouso principal será em White Sands.
Se a missão OFT-2 atingir todos os seus objetivos, os funcionários da Boeing e da NASA “buscarão oportunidades no final do ano” para lançar o Starliner Crew Flight Test. Essa missão, que também será lançada em um foguete Atlas V N22, levará os astronautas da NASA Barry “Butch” Wilmore, Mike Fincke e Nicole Mann à ISS.

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: