Virgin faz seu primeiro voo de teste com passageiros

O dono da empresa, Richard Branson, estava a bordo entre os seis tripulantes

A Virgin Galactic conduziu o primeiro vôo tripulado de passageiros suborbital com sua nave VSS Unity do Spaceport America, Novo México, hoje, 11 de julho de 2021, às 15:30 UTC (08:30 horário local). Pela primeira vez, a segunda SpaceShipTwo carregou uma tripulação completa de dois pilotos (Dave Mackay e Michael Masucci) e quatro especialistas de missão na cabine: Colin Bennett (Engenheiro Líder de Operações), Beth Moses (Instrutora Chefe de Astronauta), Richard Branson (Fundador Virgin Galactic) e Sirisha Bandla (Vice-presidente de Assuntos Governamentais e Operações de Pesquisa).
A dupla Kelly Latimer e CJ Sturckow pilotou a nave-mãe, aeronave de transporte “VMS Eve”.

Os passageiros : Colin Bennett , Beth Moses , Sirisha Bandla e Richard Branson

Carros levaram Branson e seus companheiros ao avião, e o vôo decolou na manhã de domingo por volta das 14h40 horário UTC, do Spaceport America, cerca de 290 km ao sul de Albuquerque. Durante o vôo, foi avaliada uma experimento usando um material da Universidade da Flórida.

Decolagem, vista pela câmera instalada próximo à janela do assento de Branson

O vôo de hoje foi o 22º vôo de teste do VSS Unity e o primeiro vôo com uma tripulação completa na cabine, incluindo Branson. A tripulação cumpriu uma série de objetivos relacionados à experiência do cliente, incluindo a avaliação da cabine comercial, as vistas da Terra do espaço, as condições para a realização de pesquisas e a eficácia do programa de treinamento pré-voo de cinco dias no Spaceport.

VSS Unity aproxima-se para pouso

A aeronave transportadora VMS Eve lançou o VSS Unity às 15:25 UTC antes da ignição do motor de foguete de propelente híbrido de HTPB/N2O por 70 segundos durante a fase de subida. O VSS Unity atingiu uma velocidade de Mach 3 após ser liberado da nave-mãe. O veículo chegou ao espaço, a uma altitude de 86.099,9 metros, antes de descer, reentrar na atmosfera densa e planar suavemente para a pista de pouso no Spaceport America. Richard Branson finalmente conseguiu sua viagem ao espaço.

Cabine da SpaceShipTwo VSS Unity na experiência de ‘ausência de gravidade’

Michael Colglazier, CEO da Virgin Galactic, disse: “Hoje é uma conquista histórica para a empresa e um momento histórico para a nova indústria espacial comercial. A cada missão bem-sucedida, estamos abrindo caminho para a próxima geração de astronautas. Quero agradecer a nossa talentosa equipe, incluindo nossos pilotos e tripulantes, cuja dedicação e comprometimento tornaram possível [o feito de] hoje. Eles estão ajudando a abrir a porta para um maior acesso ao espaço – para que possa ser para muitos e não apenas para alguns.”
Sir Richard Branson disse: “Sonho com este momento desde que era criança, mas nada poderia ter me preparado para a visão da Terra do espaço. Estamos na vanguarda de uma nova era espacial. Como fundador da Virgin, tive a honra de testar a incrível experiência de cliente como parte dessa notável equipe de especialistas em missões e agora astronautas. Mal posso esperar para compartilhar essa experiência com aspirantes a astronauta de todo o mundo ”. Branson continuou: “Nossa missão é tornar o espaço mais acessível a todos. Com esse espírito, e com o sucesso do vôo VSS Unity de hoje, estou entusiasmado em anunciar uma parceria com a Omaze e a Space for Humanity para inspirar a próxima geração de sonhadores. Por muito tempo, olhamos maravilhados para os pioneiros espaciais de ontem. Agora, quero que os astronautas de amanhã olhem em frente e tornem seus próprios sonhos realidade. ”

Fases de voo suborbital

O evento deu uma noção da jornada que os futuros passageiros da Virgin Galactic podem esperar quando a empresa lançar o serviço comercial após a conclusão de seu programa de teste. Uma gravação da transmissão ao vivo pode ser acessada no canal da Virgin Galactic no YouTube.

Mais de uma hora depois, Branson subiu ao palco montado no espaçoporto com seus companheiros de tripulação. “A coisa toda foi mágica”, disse ele.

Foi uma espera muito longa para Branson, o bilionário britânico de 70 anos que lidera o conglomerado de empresas Virgin. Em 2004, ele fundou a Virgin Galactic para oferecer aos turistas aventureiros passeios em aviões movidos a foguetes até o limite do espaço e de volta. Na época, ele achava que o serviço comercial começaria em dois ou três anos. Em vez disso, quase 17 anos se passaram. A Virgin diz que ainda tem mais três voos de teste para realizar, incluindo esse de domingo, antes de estar pronta para passageiros pagantes.

Equipe completa: Dave Mackay, piloto, Colin Bennett, engenheiro chefe de operações da Virgin Galactic, Beth Moses, Instrutora Chefe de Astronautas, Richard Branson, fundador da Virgin, Sirisha Bandla, vice-presidente de Assuntos Governamentais e Operações de Pesquisa , e Michael Masucci, piloto.

Chris Hadfield, astronauta canadense cuja performance de “Space Oddity” de David Bowie na estação espacial internacional se tornou viral há alguns anos, prendeu broches de asas de astronauta (*) nos macacões de vôo dos tripulantes, que os designam oficialmente (na tradição da NASA) como astronautas.

( * ) Na era de confrontos da Guerra Fria da década de 1960, manchetes da corrida lunar e guerra no sudeste da Ásia, oito pilotos de teste voaram o avião-foguete X-15 para fora da atmosfera entrando para o livro dos recordes, ganhando o status de astronauta. Até 23 de agosto de 2005, três daqueles primeiros pilotos de teste nunca haviam recebido o reconhecimento oficial de sua categoria como astronautas porque apenas os militares tinham as “asas de astronauta” para conferir aos seus pilotos da época. Os pilotos civis da NASA não tinham essa condecoração. Isso foi corrigido quando o piloto aposentado da agência, Bill Dana, e membros da família que representavam os pilotos já falecidos John B. McKay e Joseph A. Walker, receberam asas de astronautas civis reconhecendo seus voos acima de 80 km de altitude. Os homens foram homenageados em uma cerimônia silenciosa Dryden Flight Research Center na Base Aérea de Edwards na Califórnia, local de suas realizações. Bill Dana foi filosófico sobre isso; Os pilotos da NASA não usavam asas de qualquer maneira, e o conceito de ganhar asas especiais era mais crucial para a carreira de um piloto militar, explicou ele. O primeiro dos dois voos de Dana ao espaço o levou a 93.55 km acima do deserto de Mojave em 1 ° de novembro de 1966, enquanto tentava coletar amostras de micrometeoritos e estudava os problemas de brilho do céu naquela altitude. A terceira incursão do X-15 com Joe Walker ao espaço reivindicou o recorde não-oficial de altitude mundial de 107,9 km, em 22 de agosto de 1963. O registro não-oficial de Walker também marcou a maior altitude à qual o X-15 já voou. John McKay atingiu 90 km em 28 de setembro de 1965 durante vários experimentos de pesquisa. O programa X-15 usou três aviões-foguete hipersônicos pilotados a uma altura de 108 km e a quase sete vezes a velocidade do som. O volume de dados recolhidos de 199 missões dos X-15 ajudaram a moldar os programas Mercury, Gemini, Apollo e Space Shuttle. Dois X-15s são exibidos no National Air and Space Museum, Washington, DC, e no Air Force Museum, Dayton, Ohio.

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: