Progress MS-17 em rota para acoplar-se à ISS

Nave russa se acoplará em modo automático

A nave cargueira Progress MS-17 foi lançada com sucesso ontem do cosmódromo de Baikonur numa órbita de período de 88,54 minutos; inclinação de 51,67 graus; perigeu de 193,06 km; e apogeu de 240,87 km. Vai se acoplar a Estação Espacial Internacional no módulo Poisk em 2 de julho 04: 02, hora de Moscou. A acoplagem será realizada em modo automático sob o controle do Centro de Controle da Missão de TsNIIMash e os cosmonautas Oleg Novitsky e Peter Dubrov. A nave leva à ISS 470 kg de combustível de reabastecimento, 420 litros de água potável nos tanques do sistema Rodnik, 40 kg de ar e oxigênio, 1.509 kg de equipamentos e materiais experimentos espaciais, suprimentos sanitários e higiênicos, roupas, e alimentos frescos para a tripulação, e cargas científicas e experimentos.

Além disso, o foguete Soyuz-2.1a foi lançado com os símbolos da Chuvashia e a imagem do cosmonauta da URSS Andriyan Grigorievich Nikolaev um chuvash. Nikolaev foi o terceiro cosmonauta soviético. Duas vezes Herói da União Soviética. Major General de Aviação. Ele fez dois voos espaciais – um em 1962 com duração de 4 dias (Vostok-3), e outro em 1970 com Vitaly Sevastyanov, durante 18 dias (Soyuz-9).

Nave espacial Progress MS

A Progress MS é uma nave espacial automática. Faz parte da família Progress de naves de carga, que foram criadas especificamente para atender a estações orbitais. Usado para levar cargas à Estação Espacial Internacional, bem como para corrigir sua órbita. O desenvolvedor e fabricante da modificação Progress MS é a RKK Energia. Uma série de alterações foram feitas no design da Progress para a versão MS, o que aumenta sua funcionalidade e confiabilidade. É equipado com proteção adicional contra detritos espaciais e micrometeoritos, e motores elétricos duplicados como parte do mecanismo de acoplamento SSVP-A. O sistema de comando de rádio Kvant-V da antiga Progress M-zero-M foi substituído pelo sistema de telemetria unificado interligado aos satélites Luch-5, que mantem a comunicação em qualquer ponto do órbita, e não apenas sobre o território da Rússia. O sistema de encontro e acoplagem foi aprimorado. O Instituto de Pesquisa de Instrumentos de Precisão (parte da holding de Sistemas Espaciais Russos Roskosmos) substituiu o sistema Kurs-A ucraniano pelo Kurs-NA modernizado, fabricado na Rússia e que usa métodos modernos de processamento de sinal digital. Além disso, tem metade do peso e três vezes mais eficiência elétrica do que a geração anterior.

Esquema da Progress: 1 – compartimento de carga seca; 2-compartimento de propelentes de abastecimento; 3- compartimento de propulsão e serviço; 4- motores de controle de atitude; 5- equipamento eletrônico e sistema acessórios; 6 – tanques de propelentes; 7 – suporte de cargas no compartimento pressurizado; 8- colar de acoplamento. (o desenho mostra o modelo anterior, mas a estrutura é similar, nos pontos nomeados)
Configuração da ISS antes da chegada da Progress MS-17

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: