EVA-76

Astronautas instalam mais um pacote iROSA do sistema elétrico da estação

O astronautas Shane Kimbrough da NASA e Thomas Pesquet da Agência Espacial Européia fizeram mais uma atividade extraveicular (a EVA-76, ‘extravehicular activity’) hoje, sexta-feira, 25 de junho, para continuar as atualizações do sistema elétrico e provando a tecnologia que habilitará a futura estação lunar Gateway da agência espacial americana. Foram seis horas, 45 minutos e 07 segundos para continuar a instalação e extensão do segundo conjunto de seis novos painéis solares ISS Out Solar Arrays (iROSA) para ajudar a fornecer eletricidade à Estação Espacial Internacional. Os dois astronautas saíram da câmara de ar do módulo Quest às 08:52, hora de Brasília (11:52 UTC) para começar a trabalhar no segundo grupo de painel solar, iROSA 4B – este no canal de energia “4B” da treliça P6, para instalação e extensão. A cobertura ao vivo começou às 6h30 EDT na NASA Television, o site da agência. Kimbrough e Pesquet instalaram e estenderam o segundo de seis novos ISS Roll-Out Solar Arrays no canal elétrico 4B da estação. Às 1826 UTC, os dois astronautas estavam de volta à câmara de descompressão do Quest.

Shane Kimbrough da NASA e Thomas Pesquet da ESA

Pesquet foi o membro de tripulação extraveicular 1 (EV 1), com listras vermelhas em seu escafandro espacial EMU, enquanto Kimbrough foi o membro de tripulação extraveicular 2 (EV 2), com um traje sem identificação. Durante a caminhada no espaço, Pesquet agarrou-se ao final do Canadarm2 e, em seguida, agarrou o iROSA. Operando de dentro da estação, a astronauta da NASA Megan McArthur, com Mark Vande Hei servindo como reserva, comandou o braço robótico para manobrar Pesquet e o painel o mais próximo possível do local de instalação.

Painéis iROSA sendo estendidos
Os dois astronautas saíram do módulo Quest às 11.52 UTC
Os astronautas saíram ao espaço através do módulo Quest
Módulo Quest (Joint Airlock Module), por onde os astronautas do segmento americano fazem suas saídas extraveiculares. 1 – escotilha para acesso ao exterior; 2 – compartimento da tripulação; 3 e 12 – cilindros de alta pressão (dois com nitrogênio e dois com oxigênio); 4 – escotilha entre o compartimento da tripulação e o compartimento de equipamentos; 5 – pino vertical inferior para montagem do módulo no compartimento de carga do shuttle; 6 – compartimento de equipamento ; 7 e 14 – munhões horizontais do módulo de montagem no compartimento de transporte; 8 – local de armazenamento dos trajes espaciais EMU ; 9 – rack padrão com sistemas de manutenção; 10 – porta de engate passiva tipo CBM; 11 – escotilha; 13 travas de captura tipo FRGF para o braço de manipulação remota Canadarm2 ; 15 – painel dos conectores de interface dos trajes; 16 – recipientes de armazenamento de
equipamentos e ferramentas

Durante as duas atividades extraveiculares anteriores, Kimbrough e Pesquet trabalharam na extremidade esquerda da estrutura de treliça da estação (segmento P6, ou “truss segment P6”) para instalar e desenrolar o primeiro dos dois rolos iROSA que aumentaram a capacidade do canal de energia 2B da P6: Em 16 de junho, Kimbrough e Pesquet moveram o primeiro iROSA para um suporte de montagem no canal elétrico 2B na treliça da P6, onde foi preso em sua configuração dobrada. No dia 20 de junho, os dois voltaram ao canal 2B para concluir a instalação e extensão. Também instalaram um cabeamento para o segmento russo e instalou um roteador wi-fi na treliça.

Desta vez, o trabalho foi na seção 4B, sobre um segundo conjunto de painéis originais da estação. Kimbrough conectou o último cabo elétrico, amarrando a iROSA no canal de energia solar P6 / 4B; Depois que o solo completou o teste de conectividade, a tripulação liberou as ‘mantas’ enroladas para que estendessem ao comprimento total de 18 metros. Assim, os dois novos arranjos solares foram desdobrados e estendidos depois que os astronautas verificaram pontos de atrito e interferência mecânica, com a inserção de pinos de alinhamento.

Os astronautas estavam equipados com os auxilos de atividade extraveicular SAFER
Astronautas usam a ferramenta pistol-grip tool
Ferramenta PGT usada na estação espacial internacional

Antes que o painel pudesse ser estendido e começar a fornecer energia para o laboratório orbital, os dois precisaram instalar os cabos elétricos e configurar dois mecanismos para permitir que o painel solar o desenrole em sua posição totalmente estendida.

Astronautas trabalharam com o braço robótico Canadarm2 durante a atividade extraveicular

Pesquet foi o ‘membro da tripulação extraveicular 1’ (EV 1), com listras vermelhas em seu traje espacial EMU, enquanto Kimbrough foi o ‘membro da tripulação extraveicular 2’ (EV 2) com um traje sem listras.Esta foi a quinta EVA para Kimbrough e Pesquet trabalhando juntos – e a nona EVA para Kimbrough e a quinta para Pesquet no total. Kimbrough e Pesquet conduziram duas caminhadas espaciais juntos durante a Expedição 50 em janeiro e março de 2017. Foi a 241ª caminhada no espaço em apoio à montagem, manutenção e atualizações da estação.

O trabalho correu de acordo com o programado.
Pontos de paineis solares na “Truss’; os canais de cablagem elétrica 4B e 2B estão na extremidade do segmento P6, à direita

Após a realização do trabalho, a paleta de transporte do iROSA, agora vazia, foi separada e preparada ser colocada volta ao compartimento de carga da espaçonave de carga SpaceX Dragon CRS22. O conjunto dos novos paines solares chegaram à estação nesta espaçonave como parte da 22ª missão comercial de serviços de reabastecimento para a estação. Em 10 de junho, os operadores do Centro de Controle da Missão no Centro Espacial Johnson da NASA usaram o braço-robô Canadarm2 da estação para extrair os painéis solares do compartimento vazado do Dragon em preparação para a instalação.

Os novos painéis solares irão aumentar a área dos existentes, que estão funcionando bem, mas começam a mostrar sinais de esperada degradação , pois operaram além de sua vida útil projetada de 15 anos. O primeiro par de painéis solares foi estendido em dezembro de 2000 e alimenta a estação há mais de 20 anos.

Anexar o iROSA ao Beta Gimbal Assembly original permite o uso de rastreamento solar existente, distribuição de energia e cablagem
iROSA instalado na frente do painel solar original. Sombreando aproximadamente dois terços dos paineis originais e conectadas ao mesmo sistema de energia para aumentar o fornecimento existente ; a parte não sombreada do original permanece ativa

Esses astronautas chegaram para uma missão de seis meses na estação em 24 de abril com a missão SpaceX Crew-2 da NASA a bordo da nave Crew Dragon C206 Endeavour.

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

%d bloggers like this: