China lançou quatro satélites na sexta-feira: BJ-3, HS-2,YW-1 e TJ-1

Foguete foi um Longa Marcha 2D

A China colocou quatro satélites em órbita, a partir do Centro de Lançamento de Taiyuan, no norte da província de Shanxi, na sexta-feira, 11 de junho. Os satélites Beijing-3 (BJ-3), HISEA-2 (“Haisi “, HS-2), Yangwang-1 (YW-1) e Tianjian weixing (TJ-1) foram lançados por um foguete Longa Marcha-2D às 11h03 (horário de Pequim, 03:03 UTC). Esta foi a 373ª missão da série de foguetes Longa Marcha.

Desenvolvido pela China Spacesat Co., Ltd., o satélite comercial de sensoriamento remoto BJ-3 vai fornecer serviços nas áreas de levantamento de recursos, gestão de cidades, monitoramento ambiental e socorro em desastres. O satélite HS-2 será usado pela Universidade de Xiamen para estudar o ambiente ecológico das costas e de mares rasos. O veículo YW-1 será usado pela Origin Space Technology Co., Ltd. para a pesquisa e exploração de recursos de asteróides. O satélite TJ será usado por universidades para ensino e “treinamento em serviços em órbita”. Esta foi a 373ª missão de vôo da série de foguetes Longa Marcha, disse o centro de lançamento.

Pequim-3 (Běijīng xìliè 3 dài xīng, Estrela da Série de 3ª Geração ‘Pequim’, Beijing-3)

O Beijing-3 é um satélite óptico de sensoriamento remoto desenvolvido pela Aerospace Dongfanghong Satellite Co., Ltd. da Quinta Academia de Ciência e Tecnologia Aeroespacial. Usando a nova geração de tecnologia de satélite de resposta rápida, que pode obter rapidamente imagens terrestres de alta qualidade, alta resolução (o,5 m) e alta precisão, melhorando significativamente o nível do sensoriamento remoto comerciais da China. A plataforma CAST3000E de alto desempenho, usando “ultra-alta agilidade, ultra-alta estabilidade, tecnologia de alta precisão, planejamento de missão autônomo, processamento de imagem em órbita e outras tecnologias para testar sistemas inteligentes de imageamento contínuo autônomo”. Deve fornecer um grande número de dados de sensoriamento de alta resolução e produtos de informação para o mercado global e dar suporte de informação espacial para gestão de terra e recursos, agricultura, monitoramento ecológico e planejamento urbano.

Haisi-2


O Haisi-2 (“Hǎi sī”, HISEA-2) foi patrocinado e desenvolvido em conjunto pela universidade de Xiamen e desenvolvido em conjunto pela empresa aeroespacial Dongfanghong Co., Ltd., a Fujian Tendering and Procurement Group Co., Ltd., Sanming Investment Group e o Segundo Instituto de Oceanografia do Ministério de Recursos Naturais. É um satélite de porte “micro-nano”, com equipamento óptico multiespectral de sensoriamento com objetivo de observar o ambiente de águas costeiras rasas e águas interiores, com uma função de demonstração de tecnologia para o desenvolvimento de sensoriamento remoto oceânico. Ele tem instrumentos miniaturizados, e será usado para a observação do ambiente ecológico marinho. Servirá para o desenvolvimento econômico e social de populações locais e prevenção de desastres.
O Aparaleho é chamado “Hǎi sī” – “海丝” porque a Universidade de Xiamen está localizada em Fujian, o ponto de partida da Rota da Seda Marítima; seu nome em inglês HISEA é derivado da similaridade sonora da palavra do dialeto do Fujian meridional “海丝”, e soa como “Hi, Sea!”, que significa “Olá, mar” em inglês; é também a abreviatura do nome em inglês do satélite.

Yangwang-1

Yangwang-1 (YW-1) foi desenvolvido pela Shenzhen Aerospace Dongfanghong Satellite Co., Ltd. É o primeiro satélite astronômico comercial na banda óptica chinês, com equipamentos imageadores de luz visível e ultravioleta com amplo campo de visão. O satélites conduzirá principalmente observações multibanda de descoberta e pesquisas de asteróides, determinação orbital, fotometria, etc., e fará pesquisas aprofundadas sobre recursos de asteróides; ele usa telescópios de campo amplo para realizar observações de levantamento eficientes e conduzir observações astronômicas na faixa do ultravioleta e pesquisas sobre fenômenos astronômicos relacionados.

Tianjian-1 (Teste Espacial-1)

O Tianjian-1 será usado principalmente para realizar testes e verificação de novas tecnologias de gerenciamento inteligente de integridade baseada em ensaios de falha e para ensino e treinamento relacionados. A Universidade de Engenharia Aeroespacial é responsável pela pesquisa e desenvolvimento geral, e o Instituto 805 do Grupo de Ciência e Tecnologia Aeroespacial participaram do desenvolvimento.

Após o lançamento, quatro objetos foram catalogados em órbita, com suas designações internacionais: 2021-050A / 48840, em perigeu de 488 x apogeu de 502 km x inclinação de 97,51 °; 2021-050B / 48841, em 488 x 502 km x 97,51 °; 2021-050C / 48842, em 488 x 501 km x 97,51 °; e 2021- 050D / 48843 em 489 x 503 km x 97,51 °

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet