Juno já sobrevoou Ganimedes e agora mais uma vez estudará nuvens jovianas

Encontro ocorreu às 16:56:07 UTC

O encontro da estação automática interplanetária americana Juno com o satélite de Júpiter, Ganimedes, ocorreu ontem, 7 de junho de 2021. A nave  passou pela lua  Ganimedes a uma altitude de cerca de 1.039 km às 12h56 EDT (16:56 GMT). As imagens ou outras informações demorarão a chegar, já que a NASA normalmente faz downloads para a Terra quando a espaçonave está menos ocupada coletando dados. “É nosso primeiro sobrevoo em Ganymede em 20 anos. Fiquem atentos nas imagens e resultados científicos”, disse a conta do Sistema Solar da NASA no Twitter  no momento do sobrevoo . A última passagem de Ganimedes foi em 2000 pela  espaçonave Galileo  , que orbitou Júpiter e sobrevoou por muitas de suas luas entre 1995 e 2003.

Às 1726 UTC Juno deixou a ‘esfera’ Ganimedeana e retornou à órbita de Júpiter, com parâmetros aproximados de 2.000 x 6.930.600 km, inclinação de 102,5 graus.

O sobrevoo recentemente realizado em Ganimedes pode oferecer informações para a futura exploração das luas geladas de Júpiter, onde duas missões serão feitas na década de 2030: a missão JUICE da Agência Espacial Européia e a missão Europa Clipper da NASA. Luas geladas são consideradas ambientes promissores para habitabilidade devido aos seus ambientes aquáticos e fonte de energia do puxão gravitacional de planetas próximos.

O sobrevôo incluiu sondagem por vários instrumentos e câmeras da Juno: três câmeras diferentes, instrumentos de rádio, o Espectrógrafo Ultravioleta (UVS), os instrumentos mapeador infravermelho auroral de Júpiter, ou Jovian Infrared Auroral Mapper (JIRAM) e o Radiômetro de Microondas (microwave radiometer – MWR). O último instrumento estava tentando identificar os ingredientes das partes mais claras e mais escuras da camada de gelo de Ganimedes, disse a NASA. No entanto , espera-se que apenas cinco imagens da câmera estelar da espaçonave, JunoCam , retornem à Terra, porque a lua apareceu e desapareceu do campo de visão da espaçonave em apenas 25 minutos durante o sobrevôo. “A Juno carrega um conjunto de instrumentos sensíveis capazes de ver Ganimedes de maneiras nunca antes possíveis”, disse o principal investigador Scott Bolton, cientista do Southwest Research Institute em San Antonio, em um comunicado da agência . “Voando tão perto, traremos a exploração de Ganimedes para o século 21.” Ganimedes será o alvo principal da missão JUICE, que também explorará as luas Calisto e Europa. Antes da Juno, apenas três outras espaçonaves viram de perto Ganimedes, a maior lua do sistema solar. As duas naves gêmeas Voyager da NASA passaram pela lua em 1979, e a Galileu fez sua passagem próxima de Ganimedes em 2000. A lua é maior do que o planeta Mercúrio e é a única lua conhecida que tem um campo magnético.

O site eyes.nasa mostra a posição da espaçonave em simulação de tempo real.

Simulação da Juno sobrevoando Ganimedes. imagem NASA / JPL-Caltech / SwRI / ASI / INAF / JIRAM

Simulação no eyes.nasa mostrando a posição da espaçonave

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet