SpaceX lança Sirius SXM-8

Satélite de alta potência para serviço de rádio de áudio digital da SiriusXM

O satélite Sirius / SXM-8 Sirius-FM8 foi lançado da estação da força aérea (Cape Canaveral Space Force Station – plataforma SLC-40) em Cabo Canaveral em um foguete Falcon 9 Block 5 FT v1.2 da SpaceX em 6 de junho de 2021, domingo, às 04:26 UTC. A Marinha Americana apoiará o In-Orbit-Testing (IOT), teste em órbita, quando a espaçonave estiver estacionada a 120,5 graus. Esse IOT vai durar nominalmente por 21 dias com um adicional de nove dias de contingência. Após a separação dos estágios, a SpaceX pousou o primeiro estágio (“core“) B1061.3 do Falcon 9 na barca-drone do tipo MARMAC 304 ‘Just Read the Instructions’, que estava localizada no Oceano Atlântico – rebocada pelo barco Finn Falgout. As duas metades da coifa foram recuperadas no mar pelos navios de busca Go Searcher e Go Navigator. O satélite, que pesou quase 7.000 kg durante o lançamento, foi construído no chassi 1300-CLASS PLATFORM da Maxar. O SXM-8 foi projetado para oferecer serviço por 15 anos ou mais. Uma vez em órbita, o SXM-8 irá desfraldar sua grande antena refletora e permitirá que a programação do SiriusXM alcance rádios móveis, como os de veículos em movimento.

O SXM-8 é mais um satélite de transmissão de alta potência para o serviço de rádio de áudio digital da SiriusXM que permite aos assinantes receber música e podcasts personalizados para o rádio de seus carros ou online. O seu similar SXM-7 já está em órbita. O rádio por satélite permite uma conexão mais estável do que as estações de rádio tradicionais de modulação de frequência terrestre (FM). Por exemplo, quando alguém ouve rádio FM em seu carro, se ele se afastar muito da cidade, o sinal da estação ficará com estática. Os sinais de rádio FM podem cobrir apenas cerca de 48 a 64 quilômetros de sua fonte. O SiriusXM Radio oferece serviço ininterrupto de seus satélites , que são capazes de transmitir sinais para a Terra a mais de 35.000 quilômetros de distância; o cliente poderia dirigir pelos Estados Unidos sem ter que procurar por uma nova estação , nem perder o sinal. De fato, muitos fabricantes de automóveis colaboram com a Sirius XM para adicionar o serviço como um recurso do veículo. Em agosto de 2019, a Tesla incluiu uma assinatura de teste de três meses do serviço de rádio por satélite SiriusXM em seus veículos elétricos Modelo X e Modelo S.
Em maio de 2017, havia cinco satélites em órbita: dois XM e dois Sirius e um sobressalente. XM-3 e XM-4 são os satélites ativos para o serviço XM e substituíram os satélites XM-1 e XM-2 originais que foram colocados em órbitas de eliminação. Os Sirius FM-5 e FM-6 funcionam como primários . O FM-6, que foi lançado em 25 de outubro de 2013 e declarado pronto para serviço em 2 de dezembro , inicialmente serviu como sobressalente em órbita, enquanto a empresa trabalhava para instalar repetidores para o segmento terrestre que eram necessários para a transição para a operação geoestacionária completa. Em 2016, o FM-6 foi colocado em serviço ativo e substituiu oficialmente os originais da Sirius FM-1 a FM-3, que operavam em órbita elíptica. Os FM-1 a FM-3 foram posteriormente colocados em órbitas de eliminação. Com esta mudança, FM-5 e FM-6 atendem exclusivamente o serviço Sirius espelhando os XM-3 e XM-4. Antes do FM-6 ser lançado, o XM-5 foi colocado em órbita pelo foguete Proton , em 14 de outubro de 2010, e é capaz de transmitir para qualquer um dos serviços. O XM-5 serve como sobressalente em órbita para todo o sistema e pode funcionar no lugar de um satélite Sirius ou XM.
Os satélites Sirius transmitem nas freqüências da banda S de 2,3200–2,3325 GHz, enquanto o rádio XM usa freqüências adjacentes de 2,3325–2,3450 GHz; Os SXM 7 e 8 são satélites de transmissão de alta potência para o serviço de rádio de áudio digital (DARS) da empresa.
A Sirius XM Holdings Inc. tem sede em Midtown Manhattan, na cidade de Nova York, e oferece serviços de rádio via satélite e rádio online operando nos Estados Unidos. Foi formada pela fusão de 2008 da Sirius Satellite Radio e XM Satellite Radio, fundindo-as na SiriusXM Radio. A empresa também possui uma participação acionária de 70% na Sirius XM Canada. Em 21 de maio de 2013, a Sirius XM Holdings, Inc. foi incorporada e, em novembro de 2013, a Sirius XM reorganizou sua estrutura corporativa, o que tornou a Sirius XM Radio Inc. uma subsidiária direta e integral da Sirius XM Holdings, Inc.

A US Federal Communications Commission (FCC) aprovou a fusão da XM Satellite Radio e da Sirius Satellite Radio, Inc. em 29 de julho de 2008, 17 meses após a proposta. A fusão criou uma empresa com 18,5 milhões de assinantes, e o negócio foi avaliado em US $ 3,3 bilhões, sem incluir dívidas. A fusão foi contestada por aqueles que consideraram que criaria um monopólio. As Sirius e XM argumentaram que uma fusão era a única maneira de o rádio por satélite sobreviver.

Em setembro de 2018, a empresa concordou em comprar o serviço de streaming de música Pandora, e essa transação foi concluída em 1º de fevereiro de 2019
Em 31 de dezembro , a Sirius XM tinha aproximadamente 34,9 milhões de assinantes.
O rádio Sirius XM é um ponto de entrada principal para o Sistema de Alerta de Emergência.

O satélite
A ex-Space Systems / Loral (SS/L), agora Maxar Technologies fez o satélite baseado em seu chassi SSL-1300. Ele pode gerar mais de 20 kW de potência e tem um grande refletor de antena extensivel.
As tecnologias envolvidas na espaçonave SXM são:
Capacidade “interna” completa
• Desenvolvimento e teste de materiais, projeto / análise, fabricação
e Inspeção, Teste de Montagem ( Estático / Vibração / Acústico)
• Estrutura composta de grafite, painéis em favo de mel, suporte de carga,
cilindro central • A família de satélites 1300 é modular e escalável para
maior potência e mais capacidade de carga útil
Tipo e capacidade de energia do subsistema de energia elétrica
• Bateria de íon de lítio de 145 Ah (18 células cada)
• Transferência direta de energia com barramento de força único regulado em 100 V, mais um barramento de baixa tensão 31 V
• Design de asa de painel solar convencional com 3 segmentos
• Todos os painéis são totalmente montados com junção tripla avançada
Células de arsenieto de gálio (GaAs)
Arquitetura de controle de atitude
• Sistema de impulso em três eixos desenvolvido internamente pela Maxar
Controle de 4 rodas de reação
• Giroscópios laser de anel comprovados em voo (RLGs) para orientação inercial
• Advanced 2: Um sensor de estrelas para precisão e reconhecimento de atitude
• Combinação de herança de sensores solares redundantes de tecnologia da Maxar

Sistemas de comunicação
• Bandas UHF, L-, X-, Ka-, Ku-, S-, C
Comando e tratamento de dados
• Arquitetura de manipulação de dados distribuída com 2: 1 redundante RAD-750.
Processadores de controle central – Barramento de dados serial MIL-STD-1553B, e arquitetura de dados em barramentos RS-485 de nível inferior • Roteadores RS-485, com Módulos de interface serial • Comando (CMD) e Telemetria (TLM)
Capacidade de criptografia AES
Meios de controle térmico
• Sistema de controle térmico passivo padrão dissipador com tubos embutidos nos painéis • Refletores solares ópticos (OSRs) sobre os painéis de comunicação
Propulsão
• Sistema alimentado por pressão usando bipropelente hipergólico (MMH e N2O4) com tanques de 2.272 kg de capacidade e pressurizante de hélio – motores R-4D-15 HiPAT (produzindo 445N em Dual Mode High Performance (375-para-1), um motor bi-propelente desenvolvido pela Aerojet Rocketdyne, compacto, pesando 5,44 kg), e quatro propulsores de plasma SPT-100 (SPT-100 é um motor iônico de efeito Hall. SPT significa Propulsor de Plasma Estacionário. Ele cria um fluxo de íons de xenônio, eletricamente carregado, acelerado por um campo elétrico e confinado num campo magnético. É fabricado pela OKB Fakel russa); e doze motores convencionais de Controle de Atitude e Órbita (AOCS); A capacidade de propelente citada de 2.272 kg é extensível para 3.800 kg.
Mudança de velocidade máxima (Delta V): 4.073 m/s
Massa de carga útil de até 500 kg
Potência para carga útil, 2.857 watts
Carga útil apontando através dos canais de rolagem em 83 arc/s ; arfagem 137 arc/s; e guinada a 90 arc/s.
Volume nominal externo da carga útil: 2,4 m x 2,2 m x 3,1 m
Volume nominal interno de carga útil em 4 seções, cada uma com 2,4 m x 1,2 m x 0,31 m
Capacidades do chassi
Tipo de órbita: baixa, média e geoestacionária
Eixo em modo de estabilidade: 3, com rodas de reação redundantes duplas
Apontamento, precisão <60 (3s) arc/s
Controle de Apontamento <200 (3s) arc/s
Formatos de downlink: CCSDS, STDN
Downlink de banda S
Armazenamento de dados de até 5,6 Tb
Taxa de downlink de 350 Mbps

Estrutura
Painéis tipo “sanduíche” de estrutura composta de grafite-epóxi e alumínio tipo favo de mel
O chassi propriamente dito tem uma massa de 916 kg (dependente da carga útil)
Modo de vibração estrutural mais baixa: 14,2 Hz lateral, 35 Hz longitudinal
Compatível com os veículos lançadores H-2A, Altas V, Delta IV, Ariane V e Falcon 9

Possui uma estrutura configurável leve e de alta resistência, tendo subsistemas de atitude e manutenção de estação com baixo consumo de combustível, bem como painéis e baterias solares confiáveis ​​e de alta eficiência, com subsistemas de comando e controle avançados

Plataforma 1300-Class da Maxar (exemplo)
1 – Painel Solar
2 – Tanque de Propelente
3 – OSR (Refletor Solar Óptico)
4 – Estrutura da Torre
5 – Propulsor de Plasma Estacionário SPT-100
6 – Refletor da Antena
7 – Subrefletor da Antena
8 – Eletrônicos do painel de comunicações
9 – SCE (Eletrônicos de controle do satélite)
10 – Motor
11 – Alimentação da Antena
12 – Sensor de Terra
13 – Cobertor Térmico
14 – TWTA – traveling-wave tube amplifier, amplificador de tubo de onda móvel

15 – Baterias
16 – Antena TT&C – telemetria, rastreamento e controle

A 1300, uma plataforma robusta e comprovada no espaço para uma ampla gama de serviços, “tem estado em constante desenvolvimento evolutivo para oferecer cada vez mais potência, capacidade de comunicação e vida útil mais longa, mantendo a empresa na vanguarda da tecnologia de satélite”.

A potência total varia de 5 a 12 kW continuamente ao longo da vida da nave. A potência do transmissor a bordo – superior a 5.000 watts de RF – pode acomodar até 70 transponders ativos. Os satélites padrão da linha 1300 cabem em uma carenagem de foguete de 4 metros.

O tamanho e as capacidades da 1300 podem ser expandidos para gerar e processar mais energia e acomodar cargas úteis maiores e mais poderosas. No total, essas mudanças podem oferecer até 40% mais capacidade do que a disponível no modelo básico, ideal para qualquer uma das cargas úteis multibanda e de feixe pontual exigentes hoje.

Eventos do lançamento até a entrada em órbita

00:00:00 – Lançamento
00:01:21 – Max Q (pico de estresse mecânico no foguete)
00:02:33 – Corte dos motores do 1º estágio (main engine cut-off – MECO)
00:02:42 – 1º e 2º estágio separados
00:02:50 – ignição do motor Merlin Vac do 2º estágio
00:03:30 – descarte da coifa de cabeça
00:06:45 – 1º estágio ignição de reentrada
00:08:12 – corte do motor do 2º estágio (second stage engine cut-off – SECO)
00:08:42 – pouso 1º estágio na barca-drone Just Read the Instructions
00:26:07 – motor do 2º estágio reinicia
00:26:51 – segundo corte do motor do segundo estágio (SECO-2)
00:31:50 – Satélite SXM-8 é liberado

“A Maxar e a SiriusXM têm um relacionamento de décadas e estamos entusiasmados em entregar o nono satélite que construímos para eles desde 2000”, disse Paul Estey, vice-presidente executivo para serviços de programas espaciais da Maxar. “O SXM-8, construído no comprovado chassi da classe 1300, é duas vezes maior e poderoso que a constelação SiriusXM de primeira geração construída pela Maxar.”

Tanto o SXM-7 quanto o SXM-8 operam no espectro da banda S. Cada satélite irá gerar mais de 20 kW de potência e tem a antena desfraldável, que permite a transmissão para rádios sem a necessidade de grandes antenas parabólicas no solo.

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet