‘Rocket Cargo’ Vanguard

USAF planeja usar foguetes para transportar tropas em teatros de guerra

pelo Secretariado de Relações Públicas da Força Aérea Americana

Tecnologias de pouso vertical, popularizadas por McDonnel Douglas no passado e SpaceX atualmente, são avaliadas para transporte logístico militar

 O Departamento da Força Aérea anunciou hoje, 4 de junho, a designação do Rocket Cargo como o quarto programa Vanguard como parte de seu portfólio de ciência e tecnologia transformacional identificado na estratégia de ciência e tecnologia DAF 2030 [*] para a próxima década. Além disso, a Força Espacial dos EUA foi designada como o serviço líder do Rocket Cargo Vanguard, marcando o primeiro programa desse tipo.

Sob o Rocket Cargo Vanguard, o Laboratório de Pesquisa da Força Aérea (Air Force Research Laboratory – AFRL) vai liderar um esforço de ciência e tecnologia para determinar a viabilidade e a utilidade do uso de grandes foguetes comerciais para a logística global do Departamento de Defesa, potencialmente expandindo o portfólio de capacidades que o USSF apresenta aos comandantes. O Centro de Sistemas Espaciais e de Mísseis -Space and Missile Systems Center , atuará como Diretor Executivo do Programa.

O AFRL pesquisará e desenvolverá os aspectos exclusivos necessários para alavancar a nova capacidade para a missão logística do DoD. Isso inclui a habilidade de pousar um foguete em uma ampla variedade de superfícies não tradicionais, inclusive em locais remotos. Além disso, os cientistas e engenheiros do AFRL irão pesquisar a capacidade de pousar com segurança um foguete perto de pessoal e estruturas, projetar um compartimento de carga e logística para carregamento e descarregamento rápido e descarregar a carga do foguete após a reentrada para atender aos locais onde um foguete normal ou aeronave não pode pousar.

“A Força Aérea ofereceu rápida mobilidade global por décadas e o Rocket Cargo é uma nova maneira de o Departamento explorar capacidades complementares para o futuro”, disse o Secretário em exercício da Força Aérea John Roth. “As iniciativas do Vanguard levam a inovações que preservam nossa vantagem sobre os concorrentes próximos, e esta última adição também é um marco significativo como o primeiro projeto Vanguard avaliado sob a supervisão da Força Espacial.”

Com base na capacidade comercial anunciada e nos objetivos de negócios, o AFRL está atualmente avaliando a capacidade emergente de foguetes em toda a base de fornecedores comerciais e seu uso potencial para transportar rapidamente material do DoD para locais em todo o mundo.

“O Rocket Cargo Vanguard é um exemplo claro de como a Força Espacial está desenvolvendo soluções inovadoras como um serviço, em particular a capacidade de fornecer opções independentes no, e para o espaço”, disse o Chefe de Operações Espaciais, general John W. “Jay ”Raymond. “Uma vez realizado, o Rocket Cargo alterará fundamentalmente o cenário de logística rápida, conectando o material aos combatentes em uma fração do tempo que leva hoje. Em caso de conflito ou crise humanitária, a Força Espacial será capaz de oferecer à nossa liderança nacional uma opção independente para atingir os objetivos estratégicos do espaço. ”

Transportar carga por foguetes não é um conceito novo. Historicamente, os altos custos de lançamento têm sido proibitivos para uma aplicação focada em logística, e a capacidade de carga útil relativamente pequena restringia os tipos de carga que poderiam ser entregues, também limitando sua adequação. Hoje, várias empresas comerciais estão criando rapidamente novas oportunidades, desenvolvendo grandes foguetes e estágios reutilizáveis ​​que pousam com segurança de volta à Terra, expandindo a capacidade de carga e reduzindo drasticamente os custos de lançamento.

“A logística rápida sustenta nossa capacidade de projetar poder”, disse o general Arnold W. Bunch Jr., comandante do Comando de Material da Força Aérea. “Essa é a motivação fundamental para iniciar o programa Rocket Cargo. Vemos suas aplicações iniciais na restauração rápida da capacidade operacional das forças que avançam em ambientes austeros, bem como na redução drástica do tempo necessário para fornecer assistência humanitária crucial e alívio em desastres ”.

Sob o novo Rocket Cargo Vanguard, a DAF buscará incentivar esses avanços comerciais e posicionar o DoD como um dos primeiros a adotar a nova capacidade comercial. Essa abordagem é uma ruptura com o passado, em que o governo dos Estados Unidos liderava o desenvolvimento da tecnologia de foguetes e arcava com a maior parte dos custos. Hoje, com os provedores de lançamento espacial comercial desenvolvendo foguetes avançados, a DAF, em vez disso, investirá principalmente na ciência e tecnologia – C&T – necessária para se adaptar rapidamente às missões logísticas do DoD e, então, será o primeiro cliente a adquirir a nova capacidade comercial por meio de locações de serviços.

A utilidade militar da nova capacidade inclui o suporte à missão de reabastecimento do Comando de Transporte dos Estados Unidos (USTRANSCOM), com entrega mais rápida e com potencialmente menor custo. O AFRL tem uma parceria estreita com o USTRANSCOM para avaliar o aspecto comercial de uma capacidade potencial do Rocket Cargo para logística global, incluindo melhorias potenciais no custo de entrega e velocidade em comparação com as operações de carga aérea existentes. As aplicações de missões em potencial incluem transporte aéreo especial para entregar equipamentos necessários para restaurar rapidamente uma perda de operações em missão e ajuda humanitária e cargas úteis de alívio de desastres para as áreas atingidas.

A Rocket Cargo se junta a três programas atuais do Vanguard, incluindo Skyborg (uma iniciativa para integrar inteligência artificial (IA) com veículos aéreos não tripulados (UAVs) autônomos para permitir agrupamento tripulado-não tripulado); NTS-3 (um experimento de vôo para examinar as capacidades de campo em todo os solos, no espaço e segmentos de usuário para melhorar o posicionamento baseado no espaço, navegação e tempo (PNT)); e Golden Horde (uma iniciativa para demonstrar armas autônomas em rede colaborativas, criando um sistema de armas integrado onde diferentes tecnologias trabalham juntas para derrotar os alvos).

Os programas Vanguard avançam rapidamente com os sistemas de armas emergentes e os conceitos de combate por meio de prototipagem e experimentação. Com esses programas, a DAF visa fornecer novas capacidades operacionais revolucionárias que proporcionem aos combatentes vantagens superiores no campo de batalha na próxima década.ilustração de foguete

O Rocket Cargo permitiria a entrega rápida de cargas úteis do tamanho de aeronaves para uma logística global ágil, como assistência humanitária urgente e resposta a desastres. (Ilustração da Força Aérea dos EUA / Randy Palmer)

[*] – Defence Science and Technology Strategy 2030: Ela descreve as ambições, aspirações e estabelece as prioridades gerais de ciência e tecnologia para a Defesa. Essa estratégia visa garantir que a iniciativa nacional de C&T seja alimentada e alavancada para alcançar escala nos recursos que são aplicados aos problemas de pesquisa. Inclui iniciativas para concentrar recursos nas prioridades estratégicas mais altas da Defesa e oferece suporte à transição mais simplificada de ideias em capacidade. Aceitar esses desafios garantirá que as forças militares tenham uma vantagem estratégica alcançada por meio de capacidades de salto à frente para prevalecer em ambientes contestados.
Os principais objetivos da Estratégia são: Concentrar-se em programas de C&T que apoiem as prioridades estratégicas da Defesa. Aumentar a escala fazendo parcerias dentro da empresa nacional de ciência e tecnologia e parceiros internacionais. Oferecer impacto e uma vantagem de capacidade por meio de caminhos de inovação simplificados e seguros. A Estratégia é sustentada por três pilares e apresenta o conceito de Ciência, Tecnologia e Pesquisa (Science, Technology and Research – STaR) Shot. Enquanto os STaR Shots enfocam a iniciativa nacional de ciência e tecnologia nos objetivos de Defesa para oferecer capacidades de salto à frente, os pilares estratégicos permitem os STaR Shots e sustentam o programa de ciência e tecnologia de Defesa num escopo mais amplo.

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet