China lançou o satélite FengYun 4B

O satélite geoestacionário meteorológico de nova geração

A China lançou com sucesso o Fengyun-4B (FY-4B), seu novo satélite meteorológico, na órbita inicial planejada às 00h17: 04.273, hora local (16h17: 04.273 UTC) em 3 de junho. O lançador foi um foguete transportador Longa Marcha 3B G3 nº Y72 a partir do espaçoporto de Xichang. Esta foi a 372ª missão de vôo da série de foguetes Longa Marcha. O satélite foi colocado numa órbita inicial de 200 km × 35. 991 km com inclinação de 27.2 graus a longitude de 179.3 graus.

O FY-4B, segundo a Administração Meteorológica da China, é o primeiro satélite operacional da série Fengyun-4, pertencente à segunda geração de satélites meteorológicos estacionários do país. Feng Yun significa Vento e Nuvem. Os aparelhos substituem a série FY-2 anterior, sendo uma espaçonave de chassi SAST-5000, com estabilização em três eixos, comparável americano GOES-R, e superior à geração de satélites meteorológicos geoestacionários europeus. Dois satélites são posicionados em 86,5 ° E e 105 ° E. Uma terceira posição em 179.3 ° E é a do FY-4B.

Satélite com algumas de suas cargas úteis

A série de satélites meteorológicos Fengyun-4 (FY-4) dividide-se em dois tipos: satélites ópticos e de microondas (radar). No início de 2010, o FY-4 foi aprovado pelo Conselho de Estado para ser usado para substituir o satélite de primeira geração FY-2. O Fengyun 4 usando a plataforma SAST5000, tem uma vida útil projetada de oito anos, sendo que o modelo óptico era descrito originalmente como pesando 3.200 kg e o de radar, 5.300 kg. Os anúncios oficiais chineses atuais, no entanto, citam a massa da espaçonave FY-4B como 5.400 kg.

O FY-4B é uma versão atualizada do FY-4A . A carga principal do modelo óptico é o gerador de imagens de radiação de 12 canais avançado AGRI, com a sonda atmosférica vertical interferométrica infravermelha GIIRS e uma câmera CCD de resolução de 100 metros, adicionadas para maior precisão da observação atmosférica, frequência de observação e flexibilidade de observação, melhorando a precisão da taxa de previsão do tempo de curto prazo. O desenho da sonda e do imageador no Fengyun-4 representa um novo avanço no campo de detecção meteorológica. O equipamento proporciona uma resolução máxima de 250 metros e uma precisão de observação de 0,05 graus, facilitando monitoramento meteorológico contínuo dia e noite. Comparado com Fengyun-4A, um novo gerador de imagens de órbita geoestacionária de alta velocidade (GEO High-speed Imager, GHI) foi adicionado para oferecer recursos de imagem regional de alta velocidade e alta resolução; um radiômetro imageador de varredura multicanal (Advanced Geostationary Radiation Imager – AGRI) com banda de 7,24-7,60 μm e resolução espacial das bandas de 2,1 μm e 3,5 μm para 2 quilômetros; uma sonda interferométrica atmosférica vertical (Geostationary Interferometric Infrared Sounder, GIIRS, sonda infravermelha interferométrica geoestacionária) trabalhando em comprimento de onda e alcance estendendo-se de 680 a 1130 cm-1, e a resolução espacial da banda de frequência visível de 1 km. O satélite ainda está equipado com os instrumentos:

LMI (Lightning Mapping Imager, Imageador para mapeamento de relâmpagos). O instrumento trabalha na faixa de 777.4 nanometros, com tolerância de +- 0,5 nanometros;

SEMIP (Space Environment Monitoring Instrument Package – Pacote de Instrumentos de Monitoramento do Ambiente Espacial), um detetor de partículas energéticas e um magnetômetro;

DCS (Data Collection Service, serviço de coleta de dados).

Maquete do FY-4B

Os canais de observação dos instrumentos de imagem vem sendo aumentados de cinco para 14 em cada modelo FengYun, cobrindo luz visível, infravermelho de onda curta, infravermelho de onda média e infravermelho de onda longa, que estão próximos aos 16 canais da terceiro geração de satélites meteorológicos de órbita geoestacionária na Europa e nos Estados Unidos. A precisão da calibração da radiação a bordo é de 0,5 K, a sensibilidade é de 0,2 K e a resolução espacial da luz visível de 0,5 km, o que é equivalente ao nível de imagem óptica dos satélites meteorológicos geoestacionários de terceira geração na Europa e América.

A entidade responsável pelo satélite é o Centro Nacional de Meteorologia por Satélite, e a espaçonave foi construída pela Shanghai Academy of Spaceflight Technology – SAST (Shànghǎi Hángtiān Jìshù Yán Jiù Yuàn), cuja já referida plataforma SAST-5000 (de aproximadamente 5.300 kg) tem um painel solar e baterias recarregáveis; é projetado para uma vida útil, citada em diversas fontes, como variando de 5 a 15 anos.

 A China planeja dois satélites meteorológicos, os Fengyun-4B e Fengyun-3E, para este ano de 2021. Posteriormente, de acordo com o 14º plano quinquenal (de 2021 a 2025), mais cinco satélites deste tipo serão lançados.

Foguete-portador Longa Marcha 3B CZ-3B

A massa total de decolagem para o foguete-portador CZ-3B é de 456 toneladas. O comprimento total é de no máximo 57,056 m, dependendo do tipo de carenagem de carga útil a ser usada e método de encapsulamento selecionado. Existem quatro tipos de carenagem de carga com o diâmetro nominal de 3,7 metros (para lançamentos duplos), 4,0 m e 4,2 m, respectivamente. A opção selecionada depende se a carenagem for encapsulada na plataforma de lançamento ou no BS3 (prédio de abastecimento e preparação segura ou Hazardous Operation Building).

O veículo de lançamento CZ-3B é composto pela estrutura do veículo, sistema de propulsão, sistema de controle, sistema de controle (telemetria e sistema de rastreamento e segurança de alcance), gerenciamento de propelente e sistema de controle de reação, sistema de utilização de propelente, sistema de separação e sistema auxiliar, etc.

O veículo de lançamento CZ-3B

A estrutura do veículo consiste no estágio principal (ou primeiro estágio), segundo e terceiro  estágios e  os “boosters”. O estágio principal sendo semelhante ao do Longa Marcha CZ-3A, mas com uma estrutura de tanques aperfeiçoada para atender aos requisitos de carga do modelo CZ-3B. Os tanques do segundo estágio foram estendidos em um total de 1,65 m para permitir o acondicionar mais propelentes. Cada booster consiste em um cone de nariz, tanque de oxidante, seção intertanques, tanque de combustível, seção transição traseira, baia de motores, ​​aletas, motor, válvulas e tubulação. O terceiro estágio inclui o adaptador de carga útil (payload adaptor, PLA), compartimento de equipamentos do veículo (vehicle equipment bay – VEB ), tanques e motores do propelente criogênico – hidrogênio e oxigênio líquidos. O  adaptador de carga útil conecta o satélite ao  CZ-3B e suporta o estresse mecânico do lançamento e voo atmosferico e transtamosferico. O adaptador pode ser uma das interfaces de padrão internacional designadas como as 937B, 1194 ou 1194A. O satélite pode ser encapsulado na plataforma de serviço ou no prédio BS3. As carenagens de carga útil consistem em cúpula hemisférica, seção bicônica, seção cilíndrica e seção de cone reverso, e os associados mecanismos de separação.

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet