O ‘Starship’ chinês

Alheio a críticas – o desenho similar ao da SpaceX- o país projeta superfoguete capaz de lançar nave em voos ponto-a-ponto, para passageiros e carga

Enquanto as empresas ocidentais se aproveitavam da mão-de-obra barata e as condições especiais oferecidas pela China (inclusive a empresa de Elon Musk), tudo estava bem. O país era fonte de trabalho mal-remurerado e entregas no prazo, no que aprazia às grandes big-techs e a outras indústrias do Ocidente, que moveram instalações inteiras para terras asiáticas. Quando o Império do Centro passou a liderar a corrida tecnológica em várias frentes, absorvendo tecnologia ocidental (que lhes foi dada de graça como subproduto da exploração dos trabalhadores do país) a gritaria dos ocidentais (americanos em particular) foi mais uma vez incendiada pelo vídeo mostrado no Dia da Astronáutica chinês (24 de abril). Os chineses se inspiraram no desenho do SuperHeavy e da nave Starship (aparentemente sem os canards) para seu proposto transporte suborbital capaz de meia-volta em torno da Terra. O fato de que o desenho seja copiado do americano pode significar apenas que os asiáticos se aproveitaram da aerodinâmica já estudada, mas certamente a tecnologia e os métodos de produção serão genuinamente chineses – pois o país já domina a tecnologia de foguetes sem precisar recorrer aos outros. Isso é difícil para os americanos aceitarem, e quanto mais eles demoram em aceitar a China como um parceiro, mais perdem. A China continuará em seu programa espacial, e a bem da verdade pouco se importa com a opinião dos ‘analistas espaciais’ da internet.

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet