Rússia: Orenburg será o local de pouso da Aryol

Orenburg tem vantagens logísticas para o pouso da nova nave russa

O diretor da TsENKI – Centro de Operação de Instalações de Infraestrutura Espacial de Base Terrestre, Ruslan Mukhamedzhanov, disse em uma entrevista à TASS que foi tomada a decisão de pousar espaçonaves Aryol nas proximidades da cidade de Orenburg, no sudoeste da Rússia, não muito longe da fronteira com o Cazaquistão. Mais especificamente, uma zona de desembarque com um raio de 8 km foi selecionada em uma região a cerca de 60 km a sudeste de Orenburg, sendo as aldeias mais próximas Kryuchkovka, Buranychi, Staritskoye e Tsvetochnoye. Outras áreas que foram estudadas estavam perto de Orsk, Engels e Rubtsovsk (também não longe da fronteira com o Cazaquistão). As zonas de pouso candidatas foram eventualmente reduzidas a Orenburg e Rubtsovsk, mas a escolha final caiu em Orenburg por ser mais perto do fabricante (RKK Energiya) (1.500 km contra 3.600 km de Rubtsovsk). O pesquisador e autor Bart Hendricx observou que: Mukhamedzhanov confirmou que Orenburg será a área de pouso não apenas para a Aryol , mas também para uma espaçonave provisoriamente chamada Arlyonok (“pequena águia”, o diminutivo de Aryol, “águia”). Dmitri Rogozin disse no final do ano passado que Arlyonok é uma versão mais leve, de 16 toneladas, da Aryol – projetada para transportar dois em vez de quatro cosmonautas. Com ela, os cosmonautas russos poderão fazer voos para a Lua antes que o foguete de carga pesada Yenisei esteja disponível. Isso exigirá um esquema de lançamento múltiplo usando foguetes Angara. O cronograma que Rogozin deu na época foi:

2023: voo de teste autônomo não tripulado da Aryol
2024: voo de teste não tripulado da Aryol para ISS
2025: voo tripulado da Aryol para a estação espacial internacional, seguido por voos regulares das Aryol e Soyuz MS para a ISS
2028: primeiro vôo de teste da Arlyonok

Orenburg

Diretor do TsENKI: especialistas levaram em consideração a densidade populacional na escolha da área de pouso da Aryol

por Ekaterina Moskvich

28 de abril marca cinco anos desde o primeiro lançamento do cosmódromo Vostochny, localizado na região de Amur. Agora existe um complexo de lançamento para foguetes de médio porte da série Soyuz-2. Já foram realizados oito lançamentos utilizando a infraestrutura construída.

Um complexo de lançamento para o foguete Angara está atualmente em construção em Vostochny. Ruslan Mukhamedzhanov, Diretor Geral do Centro de Operação de Instalações de Infraestrutura Espacial em Terra (TsENKI), falou à TASS sobre as perspectivas futuras, a campanha de lançamento de 2021 e os preparativos para lançamentos tripulados do cosmódromo.

Em dezembro de 2012, a OAO TYAZhMASH e a FGUP TsENKI assinaram um contrato para a fabricação dos equipamentos para o cosmódromo de Vostochny.

Em 2021, espera-se um aumento no número de lançamentos de Vostochny, o cosmódromo está pronto para isso?

Em 2021, estão previstos sete lançamentos de espaçonaves: quatro no programa comercial e três no federal. O cosmódromo está pronto para lançamentos e conta com todos os materiais e meios técnicos, componentes de propelente, pessoal treinado e autorizado.

Gostaria de destacar, em especial, que desde 2021 o cosmódromo oferece lançamentos com gerenciamento próprio: praticamente sem o envolvimento de especialistas das filiais da TsENKI – o Instituto de Pesquisa dos Complexos de Lançamento Barmin e Centro Espacial Yuzhny.

Plataforma do Soyuz 2.1 em Vostochniy

Existem planos para concluir a construção da primeira fase do cosmódromo Vostochny em 2021? Como está o andamento do trabalho?

Em 2021, está prevista a continuação da construção de nove instalações da primeira fase do cosmódromo, confiadas à TsENKI pelo governo da Federação Russa. Trata-se de estrutura habitacional, um complexo de áreas de pouso, um complexo meteorológico, estradas, ferrovias e outras instalações.

Em 2021, será concluída a construção de três prédios com um total de 258 apartamentos no microdistrito Zvezdny da cidade de Tsiolkovsky, bem como 28 estruturas e redes de engenharia do Complexo Meteorológico, que permitirão receber, analisar e processar dados sobre fenômenos climáticos perigosos para o lançamento de foguetes.

Além disso, os principais objetos da primeira fase do cosmódromo serão concluídos e apresentados ao desenvolvedor (a Direção FKU do cosmódromo): a instalação de lançamento, complexos técnicos e instalações de captação de água.

Já começaram os trabalhos de desenho da infraestrutura para os lançamentos tripulados de Vostochny? Quando começará sua construção?

Durante uma viagem de trabalho ao cosmódromo pelo Presidente da Federação Russa em setembro de 2019, foi decidido testar o novo veículo espacial de transporte tripulado em um foguete de classe pesada Angara-A5 com o primeiro lançamento não tripulado em 2023. Um lançamento não tripulado para a ISS está programado para 2024, e o primeiro lançamento tripulado em 2025.

Os critérios definidores na formação das técnicas de adaptação do complexo de lançamentos foram a minimização de custos e o aproveitamento máximo da configuração existente das unidades e os sistemas a criar.

Agora está sendo concluído o desenvolvimento de um anteprojeto para o complexo espacial e estão em andamento os preparativos para os equipamentos adicionais de sistemas, que terão início em abril após a adoção pelo cliente estatal do anteprojeto e das normas organizacionais e administrativas para a implantação do trabalho. Até o primeiro lançamento do Aryol, está prevista a criação de todo o equipamento necessário para a realização de todas as operações e testes da espaçonave no complexo de lançamento, com exceção do embarque da tripulação na própria espaçonave.

Espaçonave planejada Aryol

Que infraestrutura será necessária para voos de Vostochny para o espaço profundo?

A operação da nova espaçonave tripulada após o teste deve fazer parte do desenvolvimento do foguete de classe superpesada para voos espaciais profundos. Para isso, está prevista a terceira etapa de criação do cosmódromo Vostochny. Inclui a construção de um complexo de lançamento universal, instalações para um complexo técnico universal, instalações para testes do veículo espacial tripulado e um centro de treinamento de cosmonautas, infraestrutura rodoviária e ferroviária, instalações de energia, instalações de abastecimento de água, habitação adicional e outros.

Anteriormente, o projetista geral do TsENKI disse que a espaçonave Aryol, após o voo espacial, pousaria na região de Orenburg. Por que essa área específica foi escolhida? A Aryol e a Arlyonok terão uma área de pouso comum?

Foguete-portador Angara A5M com espaçonave Aryol

Os veículos espaciais Aryol e Arlyonok terão uma área de pouso comum localizada na região de Orenburg. As povoações mais próximas – as aldeias de Kryuchkovka, Buranychi, Staritskoe e Tsvetochnoe.
Para selecionar a área, o projetista-chefe da espaçonave – a RKK Energia – compilou uma lista de requisitos de densidade populacional, geometria do território, ausência de florestas, grandes rios, reservatórios e pântanos, tipo de solo etc. A Energia também divulgou uma lista com as coordenadas dos centros e os raios das possíveis áreas de pouso.

Inicialmente, quatro locais foram escolhidos perto de Orenburg, Orsk, Engels e Rubtsovsk. As localizações nas regiões de Orenburg (raio de 8 km) e Rubtsovsk (raio de 10,5 km) cumpriram integralmente os requisitos. Porém, Rubtsovsk fica a 3.600 km do fabricante, para onde o veículo espacial deverá ser transportado após o pouso, e Orenburg fica a 1.500 km, o que reduz custos e tempo de entrega do veículo espacial.

Quais as principais obras previstas para a construção do complexo de lançamento do Angara em 2021?

Na unidade de lançamento, a TSENKI está trabalhando na instalação do revestimento metálico do defletor de chamas, que faz parte da plataforma de lançamento. Uma montagem ampliada de estruturas metálicas está sendo realizada para a instalação de tanques de alta pressão. Está em andamento uma montagem ampliada do equipamento do sistema de abastecimento de oxigênio líquido e do sistema de suprimento de nitrogênio.

A instalação de 19 sistemas tecnológicos está prevista para este ano. Na instalação de lançamento – uma plataforma pesando 700 toneladas e uma torre de reabastecimento de cabos pesando 3.000 toneladas, tanques de alta pressão (1584 peças pesando mais de 4 toneladas cada), o fornecimento de gás e sistemas de controle de temperatura serão montados na instalação centralizada. Também está prevista a instalação de sistema de controle automatizado de equipamentos no posto de comando, sistema de abastecimento de naftil na sua unidade de processo e sistemas criogênicos na unidade de processamento de oxigênio e nitrogênio.

No ano passado, após dois lançamentos tripulados, a plataforma de lançamento do cosmódromo de Baikonur sofreu danos não críticos. Com que frequência uma plataforma de lançamento é danificada após os lançamentos?

O impacto do jato de gás dinâmico do foguete na plataforma de lançamento é o mesmo para lançamentos tripulados e não tripulados. Portanto, é impossível dizer se o dano estava associado a programas tripulados.

Para minimizar os resultados das consequências dos lançamentos, os projetistas introduziram unidades de ação única no complexo de lançamentos, que, de acordo com a documentação operacional, devem ser substituídas a cada lançamento. Não verificamos danos sistêmicos no nosso local de lançamento.

Estão em curso trabalhos preparatórios em Baikonur relacionados com a reconstrução da plataforma de lançamento do foguete Soyuz-5?

O projeto Baiterek envolve uma profunda modernização das instalações de infraestrutura terrestre do foguete Zenit-M e do seu complexo espacial no cosmódromo de Baikonur.

Foguete proposto Soyuz 5

À custa dos fundos orçamentários da República do Cazaquistão, o TSENKI terá que modernizar os complexos técnicos e de lançamento, bem como criar instalações de treinamento do zero. Para esses fins, o lado cazaque está alocando 88 bilhões de tenges. O lado russo contribui para o projeto desenvolvendo e criando o foguete Soyuz-5.
As características distintivas do novo complexo são sua compatibilidade ambiental (por conta dos propelentes oxigênio líquido e naftil), maior capacidade de carga (17,5 toneladas em órbita de referência), atratividade de mercado (um custo de lançamento dentro de $ 50-55 milhões, com uma carenagem de cabeça com um diâmetro de 5,2 m).

Apesar da pandemia, o trabalho no cosmódromo foi concluído com sucesso no ano passado. Agora que o desenvolvimento do projeto está sendo concluído nas filiais de Moscou da TsENKI , o trabalho de pré-contrato do bloco de construção foi lançado. Uma holding do Cazaquistão – Basis realizará o projeto e os trabalhos de construção e instalação.

O Soyuz-5 será lançado apenas do cosmódromo de Baikonur. A inauguração do complexo não só criará novos empregos, mas também permitirá que o cosmódromo sobreviva após a redução de uma série de outros programas.

Qual é o destino da plataforma 1 “Gagarin Start” em Baikonur ? Já foi assinado acordo para sua modernização?

Agora, a empresa estatal Roscosmos, juntamente com parceiros do Cazaquistão e dos Emirados Árabes Unidos, está considerando a questão de modernizar a plataforma do foguete Soyuz-2. As bases e condições básicas para a implementação do projeto estão refletidas no esboço de um acordo intergovernamental trilateral, que foi aprovado pelas autoridades da Federação Russa e está atualmente sendo aprovado pelo Cazaquistão e os Emirados Árabes Unidos.

Após a conclusão dos trabalhos preparatórios e da assinatura de um acordo intergovernamental, está prevista a celebração de um contrato com a TsENKI para a modernização do complexo de lançamento por um período de três anos. As datas exatas do projeto ainda não foram definidas.

Você está desenvolvendo tecnologias promissoras para a busca e evacuação de estágios descartados ​​de foguetes para agilizar o processo? Que tecnologias estão sendo desenvolvidas?

No momento, o TSENKI está realizando trabalho de desenvolvimento na KERP-Vostok. Além de abrir novas áreas de queda para as partes separadas do lançador Angara-A5 e modernizar (reduzir o tamanho) das áreas existentes onde caem as partes descartadas do lançador Soyuz-2, está prevista a criação de meios técnicos especiais.

Por exemplo, novas estações de radar móveis estão sendo desenvolvidas, capazes de serem instaladas tanto no chassi de um veículo terrestre quanto no compartimento de carga de um helicóptero Mi-8. Essas estações rastreiam os fragmentos de separação de peças de todos os tipos do veículo lançador na fase passiva de vôo, processam as informações recebidas e dão as coordenadas dos pontos de impacto previstos dos fragmentos. Já testamos essa tecnologia durante os lançamentos dos cosmódromos de Baikonur e Vostochny.

Além disso, para reduzir o tempo de voo para helicópteros Mi-8 em operações de busca, começamos a usar amplamente veículos aéreos não tripulados de médio (até 50 km) e longo alcance (até 100 km), o que o tornou possível reduzir os custos financeiros. A próxima ideia é a implementação de propostas para a instalação de transmissores especiais nos componentes do foguete, sinalizando sua posição após a queda no solo, enquanto os equipamentos receptores podem ser instalados tanto a bordo dos helicópteros quanto nos drones.

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet