O cosmonauta Atkov ‘deu a dica’ sobre “quem fez um furo na Soyuz MS-09”

Oleg Atkov

Não basta ter brigas com os americanos na arena política – mais uma, aparentemente, não pôde ser evitada. Uma insinuação sobre quem exatamente perfurou o buraco, ou melhor, o ‘furo tecnológico’ na espaçonave russa Soyuz MS-09 em 2018, foi feita na segunda-feira em uma reunião geral do Departamento de Ciências Médicas da Academia Russa de Ciências pelo Membro Correspondente da Academia, cosmonauta Oleg Atkov [*]. Segundo ele, foi possível entender que o problema surgiu devido à presença na tripulação de uma mulher, uma pessoa com colapso psicológico. “Cherche la femme”, neste caso, não levará muito tempo: havia uma senhora em órbita naquele momento.

Falando sobre o desenvolvimento da medicina espacial, o cientista se concentrou no tópico das tripulações heterogêneas e mistas, enfatizando que os cientistas soviéticos foram os primeiros a formar essa tripulação. Atkov mostrou a todos uma foto de seis membros da famosa estação Salyut-7, entre os quais uma mulher – a cosmonauta soviética Svetlana Savitskaya.

“Estou mostrando esta foto por um motivo”, disse Oleg Atkov. – Esta é a primeira experiência na formação de uma tripulação heterogênea … Os problemas de heterogeneidade da tripulação estão associados a diferenças culturais e linguísticas, que têm um impacto significativo na comunicação da tripulação <…> Tais problemas já surgiram . Há muito trabalho aqui, inclusive para o nosso colega, Membro da Academia Zurab Kekelidze (Diretor Geral do Centro Nacional de Pesquisa Médica para Psiquiatria e Narcologia V.P. Serbsky ), que lida com questões de automóveis -treinamento e correção psicológica. Porque se quisermos evitar uma situação em que um buraco seja feito por uma mão inepta com uma broca , e a furadeira escorrega, porque a pessoa está com tensão pré-mentrual e não as devidas instruções de como manejar a máquina, e ela portanto não sabe furar. … É preciso selecionar muito bem as pessoas e dar suporte psicológico durante todo o voo. ”

Em 30 de agosto de 2018, foi registrada uma queda na pressão do ar na ISS. A tripulação da estação revelou um vazamento no compartimento habitacional (BO) da espaçonave Soyuz MS-09 acoplada ao módulo Rassvet. Um orifício de três milímetros foi perfurado por alguém atrás de um dispositivo de saneamento . Cosmonautas russos selaram os danos e então sairam ao espaço para obter evidências – possíveis vestígios de cola do lado de fora do buraco, a fim de confirmar ou negar a versão do que aconteceu. Oleg Kononenko e Sergei Prokopyev arriscaram suas vidas trabalhando fora da espaçonave sem dispositivos especiais para tal trabalho. Sua tarefa era abrir o revestimento externo da nave.

Um dos tripulantes americanos durante o período dos danos desconhecidos à espaçonave russa foi Serena Aunyon-Chancellor, uma engenheira de voo que teve um sério problema de saúde durante o voo- um coágulo sanguíneo em um dos vasos do pescoço. Muitos especialistas no campo da astronáutica sugeriram repetidamente em conversas pessoais que fazer um buraco na espaçonave Soyuz MS-09 poderia ter sido o trabalho de uma senhora que em algum momento experimentou extremo estresse e queria voltarà Terra o mais rápido possível. No entanto, desde certo tempo, a Roskosmos abafou a questão de investigar este caso extraordinário – “quem realmente perfurou um buraco na espaçonave russa?”. Os jornalistas foram informados de que os especialistas há muito sabem quem exatamente perfurou o “furo tecnológico”, mas a divulgação dos dados da investigação está há algum tempo no campo da política. O chefe da Roscosmos, Dmitry Rogozin, um ano após a descoberta do furo, disse aos repórteres que havia um acordo com a NASA para não divulgar os resultados da investigação.

Alguns analistas, graças à declaração de Atkov, acreditam que a julgar pelas palavras do cientista, definitivamente o furo não foi perfurado na Terra.

“Bem, já que há vazamentos, agora podemos dizer como foi realmente feito o buraco no compartimento habitacional da Soyuz”, escreveu o especialista espacial Vadim Lukashevich em sua página na rede social. “Foi perfurado pela astronauta americana Aunyon-Chancellor. Colapso mental sob estresse extremo. A pedido do lado americano, a Roscosmos concordou em não dar voz ao verdadeiro motivo do buraco. Além disso, realizamou uma perigosa caminhada no espaço para sustentar publicamente a versão de que nós, dizem, estavamos verificando a possibilidade do buraco ter sido feito durante a montagem da nave ou sua preparação para o vôo de volta à Terra.

Sobre isso a Roskosmos ficaria em silêncio, mas seu chefe não – por isso ele levanta esse assunto periodicamente a cada esquina, mas tipo “Eu sei, mas não posso falar. ” Em qualquer caso, as palavras de Atkov me permitem quebrar o silêncio sobre este assunto. “

Mas todas as versões sobre o envolvimento de empregados da Roskosmos ou da empresa RKK Energiya no incidente, que por negligência ou intenção maliciosa, ofendidos pelos pequenos salários, deliberadamente fizeram buracos na espaçonave, foram quase imediatamente censuradas na Roscosmos. Todo o processo de montagem da Soyuz na Energia foi especialmente mostrada aos jornalistas, a partir dos quais ficou claro que nem um único passo ou má conduta dos colaboradores com acesso ao produto principal poderia passar despercebido pelos serviços de controle.

No entanto, diversos especialistas ligados ao setor se mantêm firmes: “O furo foi feito no solo durante a montagem do compartimento da Soyuz MS-09”.

Para ser honesto, para não inflamar ainda mais a guerra de versões, seria melhor que o lado cujo representante perfurou o buraco fizesse uma declaração franca.

[*] – Oleg Yuryevich Atkov (nascido em 9 de maio de 1949 , Khvorostyanka , região de Kuibyshev (agora Samara) ) é Cientista médico soviético e russo , médico. Piloto-cosmonauta da URSS , Herói da União Soviética (1984), Membro Correspondente da Academia Russa de Ciências (desde 28.10.2016).

De 8 de fevereiro a 2 de outubro de 1984, junto com outros membros da tripulação da espaçonave Soyuz T-10 , ele fez um vôo espacial para a estação orbital Salyut-7. A duração total do vôo foi um recorde naquela época – 236 dias 22 horas 49 minutos. Durante o vôo, Atkov testou novos equipamentos e instrumentos para avaliar a condição dos cosmonautas e realizou uma série de experimentos científicos únicos.

De 2005 a 2015, Vice-presidente das Ferrovias Russas para Saúde e Trabalho com Organizações Públicas. Desde 2010, Presidente do Conselho de Administração do JSC RZD-ZDOROVIE . Doutor em Ciências Médicas, Professor. Cientista Homenageado da Federação Russa, Laureado do Prêmio de Estado da URSS (1989) e Prêmios do Governo da Federação Russa (2006, 2012).

Author: homemdoespacobrasil

Sua referência em Astronáutica na internet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s